quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Denúncia do MPF contra empreiteiros e ex-servidora do Crea é recebida pela Justiça

A Justiça Federal em Rio Branco recebeu a denúncia do Ministério Público Federal contra os empreiteiros Narciso Mendes de Assis Júnior e Luiz Carlos de Oliveira, além de Shirlen de Souza Miranda, ex-servidora do Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) do Acre

Os envolvidos, que agora passam a ser réus no processo e podem apresentar suas defesas, são acusados de fraudes para beneficiar a empresa CIC Construções e Comércio Ltda, de Narciso Júnior, com a emissão de Certidões de Acervo Técnico, documento que comprova a capacidade técnico-profissional e habilita a participar de licitações.

O caso foi descoberto pela própria equipe de auditoria do Crea, que flagrou manobras em documentos para encobrir a possível fraude.

Luiz Carlos de Oliveira, representante da empresa Engecal, teria atestado falsamente que a empresa CIC, de Narciso Júnior, havia concluído integralmente obras no conjunto residencial conhecido como “Cidade do Povo”.

Entretanto, a Câmara Especializada de Engenharia Civil do Crea verificou que a empresa Engecal não poderia ter subcontratado a CIC, além de constatar que a obra sequer havia sido terminada.

Os empresários foram denunciados pelo crime de falsidade ideológica e podem ser condenados a penas que variam de um a três anos de prisão, e pagamento de multa.

Shirlen Miranda, por sua vez, que à época dos fatos era gerente do departamento de registro e cadastro do Crea-Ac, foi denunciada por uso de documento falso e corrupção passiva “privilegiada”.

Segundo o MPF, ela praticou atos de ofício, infringindo seu dever funcional, para beneficiar a empresa de Narciso Júnior. A ex-servidora pode ser condenada a até quatro anos de reclusão pelos crimes de que é acusada.

Os depoimentos de acusados e testemunhas devem ocorrer a partir da segunda semana de março. Clique aqui  para acompanhar o processo no site da Justiça Federal.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Estatueta


Ouriço de castanha


Cine cão


Manhã de terça-feira (2), bairro Taquari, um dos mais pobres e violentos de Rio Branco. Agonizante, um jovem infrator de 16 anos sai de um matagal na Travessa Flamengo, caminha cerca de 50 metros e cai morto na varanda de uma casa na Estrada do Sol.

Em desespero e tocante ironia, a mãe do adolescente grita aos prantos:

- Agora não terá mais roubo no Taquari. Mataram o único ladrão do bairro. Só meu filho que é bandido, só ele que não prestava. Agora vai acabar o roubo aqui, Jesus.

A foto de Selmo Melo, que amanheceu na capa de A Tribuna, expõe uma cena que faz parte do cotidiano das crianças na periferia da capital do Acre. Sentadas no meio-fio, só falta pipoca em suas mãos para se imaginar que se trata de alguma mostra de cinema itinerante.

Um pai de família se apresentou à polícia, na manhã desta quarta-feira (3), para confessar que matou porque o menor teria furtado uma TV e um botijão de gás de sua casa.

Ele contou ter encontrado o menor na rua e aplicado uns catiripapos. O adolescente reagiu e por isso, segundo a versão do homem, desferiu a facada fatal na jugular.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Secretário de Saúde descarta ‘diagnóstico’ de zika em servidora pública do Acre

O secretário Secretaria de Estado de Saúde Armando Melo descartou registro de caso de zika no Acre envolvendo uma servidora pública em Rio Branco. O caso foi relatado ao blog (leia) por um funcionário do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), irmão da paciente, que não forneceu o número do telefone da irmã, mas se dispôs a repetir o relato ao secretário.

- Conversei com o servidor do TRE, que nos forneceu o número do fone da paciente, irmã dele. Telefonamos para ela e fomos informados que fez apenas exame clínico, na Unimed, e que sequer foi coletado material para exame laboratorial. Mesmo assim nós vamos tomar as providências necessárias contra a possibilidade de presença do Aedes aegypti onde ela mora - afirmou o secretário Armando Melo.

Confrontado pela reportagem, o servidor da Seção de Partidos Políticos do TRE-AC alegou que havia recebido mensagem da irmã, quando a mesma estava sendo atendida.

- Ela mandou mensagem dizendo, no domingo, que o caso estava confirmado como zika. Realmente, depois que o secretário telefonou, foi que minha irmã esclareceu que fez exame clínico e não laboratorial - acrescentou.

Como o servidor do TRE não quis fornecer o telefone da paciente, a reportagem, com a permissão dele, repassou o número de seu telefone de trabalho ao secretário, que se dispôs a apurar o relato.

O governador Tião Viana decretou na manhã desta terça-feira (2) situação de emergência estadual por causa da presença de zika vírus e chikungunya no país.

Servidora pública do Acre é diagnosticada com zika em laboratório particular

Governador Tião Viana e os secretários Armando Melo (Saúde) e Andrea Zílio (Comunicação)

Com sintomas de febre, manchas, coceiras e dores no corpo, uma servidora pública do Acre foi diagnostica no domingo (31) com infecção causada pelo vírus zika, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo transmissor da dengue e da febre chikungunyaa. O exame foi realizado no laboratório da Unimed, em Rio Branco.

- Ela está em repouso e passa bem. Antes dela, outras pessoas da família chegaram a apresentar, no início de novembro, os mesmos sintomas, mas antes não havia esse tipo de exame na rede pública e nem com cobertura de nosso plano de saúde - contou o irmão da servidora.

Consultado, o secretário Estadual de Saúde Armando Melo disse que não reconhece os exames realizados em laboratórios particulares.

- Nós reconhecemos os exames realizados pelo laboratório do Instituto Evandro Chagas, que é referência para a saúde pública. Embora o diagnóstico tenha sido feito em laboratório particular, temos que tomar algumas medidas preventivas contra a doença na casa da servidora. Até agora, no Acre, temos apenas casos suspeitos de zika e chikungunya - disse o secretário.

O governador Tião Viana decretou (leia) na manhã desta terça-feira (2) situação de emergência no Acre em decorrência da presença do zika vírus e chikungunya no país. O anúncio foi feito após reunião do governador com o secretário de Saúde do Estado. O decreto vale por 180 dias.

Em tempo: com a devida permissão, repassei ao secretário o telefone do irmão da suposta vítima do mosquito para que dialoguem e providências sejam tomadas.

Atualização às 15h

O secretário Secretaria de Estado de Saúde Melo descartou registro de caso de zika no Acre envolvendo uma servidora pública em Rio Branco. O caso foi relatado ao blog por um funcionário do Tribunal Eleitoral do Acre (TRE-AC), irmão da paciente, que não forneceu o número do telefone da irmã, mas se dispôs a repetir o relato ao secretário.

- Conversei com o servidor do TRE, que nos forneceu o número do fone da paciente, irmã dele. Telefonamos para ela e fomos informados que fez apenas exame clínico, na Unimed, e que sequer foi coletado material para exame laboratorial. Mesmo assim nós vamos tomar as providências necessárias contra a possibilidade de presença do Aedes aegypti onde ela mora - afirmou o secretário Armando Melo.

Confrontado pela reportagem, o servidor da Seção de Partidos Políticos do TRE-AC, alegou que havia recebido mensagem da irmã, quando a mesma estava sendo atendida.

- Ela mandou mensagem dizendo, no domingo, que o caso estava confirmado como zika. Realmente, depois que o secretário telefonou, foi que minha irmã esclareceu que fez exame clínico e não laboratorial - acrescentou.

Como o servidor do TRE não quis fornecer o telefone da paciente, a reportagem, com a permissão dele, repassou o número de seu telefone de trabalho ao secretário, que se dispôs a apurar o relato.

O governador Tião Viana decretou na manhã desta terça-feira (2) situação de emergência estadual por causa da presença de zika vírus e chikungunya no país.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Cabelouro

Nas regiões Norte e Nordeste do Brasil alguns pais ainda conservam a superstição de que o “cabelouro” -ligamento nervoso da nuca do boi-, deve ser mastigado pelos filhos atrás da porta, de cócoras, pensando numa pessoa bonita para que fiquem parecidos com ela.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

“Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito”


Governo do Acre vai fechar abrigo de imigrantes que funciona em chácara

Governo do Acre vai encerrar, em março, o trabalho de acolhimento de imigrantes na Chácara Aliança, em Rio Branco (AC), pela qual paga mensalmente R$ 22 mil de aluguel. Um imóvel menor será providenciado na cidade. Por causa da crise econômica e da alta do dólar no Brasil, haitianos e senegaleses passaram a evitar gradativamente o país via Acre. Na manhã desta segunda-feira (25) havia no abrigo público apenas 16 imigrantes - oito haitianos, quatro senegaleses, dois dominicanos, um costa-marfinense e uma criança equatoriana, filha de haitianos. Na chácara, que já chegou a abrigar mais de dois mil imigrantes, cinco gatos curtiam o salão.

Beija-flor no ninho