terça-feira, 29 de junho de 2010

QUERO VER PROGRAMAS DE GOVERNO

Valterlúcio Bessa Campelo

Tenho defendido sempre que a candidatura ao governo deve ser sustentada por um programa de governo. É o "quê" da eleição. Para votar pra governador não basta saber em quem, é preciso saber no "quê". Com os candidatos conhecidos (Tião Viana e Tião Bocalom), é necessário agora que também sejam conhecidos seus programas de governo para o Acre.

O senador Tião Viana (PT) pretende suceder Binho Marques que por sua vez sucedeu Jorge Viana, irmão do Tião e pertencente ao mesmo partido e mesma coligação. Poderia apenas dizer que seu programa é o que está sendo implementado há 12 anos, que vai dar continuidade e estamos conversados. Mas tem que dizer. Se, por acaso, pretende inovar, reciclar, remodelar a florestania, a campanha eleitoral é a melhor oportunidade para que isto seja bem explicado. Se pretende romper com tudo que está ai, idem.

O Tião Bocalom (PSDB) pretende ser governador com um discurso que vai contra a "florestania", o projeto que vem sendo implantado nos últimos 12 anos. Faz isso com base em um arsenal de críticas e acusações. Muitas delas, certamente, válidas. Mas não basta. Ele mais que o outro Tião tem a obrigação de mostrar o que pretende fazer. Não é razoável pedir o voto do eleitor apenas dizendo que está ruim, que pode melhorar etc. Tem que dizer o que vai pôr no lugar daquilo que considera nocivo. Mudança é apenas slogan de campanha.

Quero, portanto, sugerir aos candidatos ao governo do Acre que exponham seus programas de governo, se os tem, na internet, lembrando que 35% dos domicílios urbanos possuem pelo menos um computador no Brasil. Enumero algumas vantagens.

1. Agiliza a comunicação com o eleitorado.
2. Provoca o debate nas famílias, vizinhança e grupos de eleitores.
3. Proporciona o feedeback (as pessoas podem dar o retorno).
4. Alimenta o próprio programa com idéias vindas da população.
5. Facilita a comparação entre programas.
6. Identifica o candidato com suas propostas.
7. Orienta e baliza os programas eleitorais de rádio e TV.

Além disso, se pode firmar compromissos que podem ser, depois, monitorados pela sociedade. Colocar um programa de governo na internet é facílimo. Desde que se tenha um, é claro.

Valterlúcio Bessa Campelo é agrônomo.

9 comentários:

ac.brasil disse...

Valterlúcio, quanto aos 2 candidatos ainda não sei em qual votarei. mas vc ja teria meu voto!
fico muito feliz que ainda existam pessoas inteligentes com comentários desse nível para que desperte no eleitor
um pouco de serenidade política, comigo funcionou. Obrigado...

Mazé Oliveira disse...

Temos mesmo quantos candidatos?!
São quantos mesmo?!...
Se tivermos dois, já me darei por satisfeita!
Parabéns pelos seus textos.
Um abraço.

Paulo Wadt disse...

Valterlúcio Campelo e Altino Machado,


Tomo a liberdade de, ao manifestar apoio as indagações feitas quando a necessidade dos candidatos majoritários apresentarem suas propostas, que o debate seja estendido também para outros cargos.

Faço esta manifestação na condição de candidato a Deputado Estadual pelo PSDB e, consciente de que a escolha do candidato pelo eleitor deve ser feita de forma consciente e de forma que o candidato possa ter comprometimento com os interesses do eleitor. Caberá ao eleitor avaliar qual candidato apresenta as qualificações necessárias para o cargo.

Assim, gostaria de apresentar a sugestão para a organização de debate para os candidatos majoritários e também aos cargos propoorcionais.

O debate poderia ser feito, da seguinte forma:

a) seria feito convite a candidatos de cada um dos cargos, individualmente ou ao partido, com a seleção prévia ou não de temas. Os candidatos deveriam então, acessar a internet em um local público (praça ao lado da biblioteca, auditório), na mesma data e horário, com um login pré-estabelecido e validado. A data do debate seria divulgada com antecedência.


b) o moderador e os leitores do blog, fariam as perguntas, que seriam imediatamente postadas. A ordem de resposta seria definida por sorteio, e cada candidato poderia responder a questáo ou ditá-la a um acessor que faria a digitação (isto para permitir que candidatos sem prática no uso do computador não sejam prejudiados)

c) além de perguntas dos leitores e do moderador, poderiam haver também perguntas cruzadas entre os candidatos.

Outras regras, para garantir o equilíbrio e a transparência do debate poderiam ser avaliadas.

Acredito que desta forma, haveria possibilidade dos candidatos apresentarem suas propostas e, melhor ainda, deixa-las registradas no blog, para que outras pessoas possam consultar e avaliar a qualidade das proposições.

Se houver interesse em testar um debate desta natureza, coloco-me desde já à disposição deste blog para participar como debatedor.

Paulo Wadt

Acreucho disse...

Tudo que um candidato precisa para "ser candidato" é de um programa de governo, se não tiver, não é candidato. A necessidade de colocar o programa para apreciação da sociedade é sem dúvida alguma uma prioridade se quiser conquistar o voto da população. Bem, o programa do Tião Viana intitula-se provavelmente "continuísmo" ou seja continuar o que a Frente vem fazendo há 12 anos, que não é outra coisa senão criar condições para a perpetuação dela no poder. Não acredito que nada de novo possa ser implantado pela Frente Popular, mesmo porque eles se acham o supra-sumo da competência e que não há nada que alguém possa fazer melhor do que eles. Coitados! Já o Tião Bocalom será obrigado a criar alguma coisa nova, algo que possa continuar o que é bom e inovar e promover o que precisa ser feito para que o Acre seja tirado da estagnação econômica, da condição de que apenas pequenos grupelhos se beneficiem e enriqueçam enquanto o restante trabalhe para isso. O Acre precisa crescer, mesmo que tenha que pagar algum preço para isso. Outra coisa que não adianta de nenhum dos dois candidatos é mentir para o povo, que já está cheio disso.

Magui disse...

Eu acho que a hegemonia do PT no Acre será, dificilmente batido.

Cleiton Façanha disse...

Acho importante que os candidatos tenham um programa de Governo próprio e inovador. Tenho certeza que isso iria dar um novo interesse para os eleitores que ja estão saturados com tanta agressão entre os candidatos.

lzomatos disse...

No link abaixo, forneço um exemplo prático do que o autor expôs em sua mensagem:
http://www.minhamarina.org.br/blog/diretrizes/

Em tempo, muito bom o enquadramento daquela foto publicada hoje n'Agência de Notícias, onde aparece o Lula cercado por +3 possíveis candidatos do nosso estado. Além dos sorrisos marotos e do polegar (torto e direito) de nosso presidente, me pareceu bem propícia para um poster de campanha política partidária.

caboco de belém disse...

vacaba

WADT disse...

O programa de governo do Bocalom não possui malabarismos. Por exemplo, na área agrícola, para um leigo poderá até parecer muito amplo, mas para quem conhece as possibilidades e potenciais do Acre, saberá que é bastante factível.

Como exemplo, forneço o link com um arquivo que contém as principais programas que ele pretende implantar no governo: http://www.dris.com.br/oacrepodemais/BOCALOM_AGRICULTURA_MEIO_AMBIENTE.pdf

É só consultar para ver o que é possível fazer pelo estado.