quarta-feira, 30 de junho de 2010

FLORESTA ESTADUAL DO MOGNO

Índios protestam contra projeto madeireiro do apresentador Ratinho


Índios e ribeirinhos de sete aldeias da etnia yawanawá ameaçam fechar a partir desta quinta-feira (1) a BR-364, que liga a capital Rio Branco ao interior do Acre, em protesto contra a relação do governo estadual com a empresa Radan Administração e Participação Ltda., que tem como sócio majoritário o apresentador de TV Carlos Massa, o Ratinho.

A Radan obteve licenciamento para exploração madeireira em 150 mil hectares na Floresta Estadual do Mogno, na margem esquerda da BR-364. O plano de negócio é de conhecimento do governo estadual. O plano de manejo florestal já foi analisado e aprovado pelo governo federal. Está previsto a instalação de uma indústria de beneficiamento de madeira na região.

Duas organizações do povo yawanawá entregaram na semana passada uma carta ao governador Binho Marques (PT) na qual criticam duramente a relação do Estado com a empresa de Ratinho. De acordo com os índios, está chegando ao final o terceiro mandato da coligação Frente Popular do Acre e o governo pouco ou quase nada de significativo tem feito para ajudar concretamente as comunidades indígenas.

Leia mais no Blog da Amazônia.

4 comentários:

Rosangela Barros disse...

Eis aí uma realidade nua e crua para além da minha capacidade em compreender este Governo da Florestania...

Marcos Lopes disse...

Onde se ler Indústria de Beneficiamento de Madeira, leia-se Serraria....pois a Madeira vai ser beneficiada no Paraná.

jletto disse...

Isso é uma vergonha para os governates do Estado do Acre que pregam tanto a preservação das florestas, é muita hipocrisia mesmo só não ver quem não quer.

Lindomar disse...

Caro Altino,

É preciso mesmo que os indígenas do acre em especial, e do Brasil como todo, não se deixem instrumentalizar por políticos e suas políticas de dividendos (verdes) em dolares. Penso que finalmente é chegada a hora de dar um basta nisso e acreditamos na força política e na organização dos povos indígenas do Acre e Sul do Amazonas.

Bom trabalho.

Lindomar padilha