quarta-feira, 28 de setembro de 2005

JORGE VIANA VÊ FOGO

Movimento quer o Acre indenizado por
queimadas em Rondônia e Mato Grosso

Embora tenha chovido no Acre na segunda-feira, o fogo continua na Reserva Extrativista Chico Mendes e foi constatado ontem pelo governador Jorge Viana durante sobrevôo que realizou na área. A reserva abrange quase 1 milhão de hectares em cinco municípios.

Além de combater os focos de incêndio, o governo estadual vai avaliar os prejuízos econômicos, estabelecer um plano de atendimento às vítimas, monitorar as áreas que não foram queimadas e multar quem já queimou pastos e florestas.

- É o jeito. O que não dá é para ficar de braços cruzados vendo esta tragédia acontecer à nossa volta. O nome não poderia ser outro: o que está acontecendo é uma verdadeira tragédia - afirmou Jorge Viana.

Na sexta-feira, depois de ter decretado situação de emergência no Acre por causa dos danos ambientais decorrentes das queimadas e da fumaça, Viana sobrevoou a área pela primeira vez, mas relatou não ter avistado focos de incêndio.


Naquela ocasião, sobrevoou a área acompanhado da procuradora Patrícia Rego, coordenadora de Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, do superintendente do Ibama, Anselmo Forneck, e do coordenador da Defesa Civil, coronel Henrique Jardim.

Viana voltou a defender o manejo florestal como forma preventiva de combate às queimadas na Amazônia.

- Eu sempre defendi o manejo florestal e talvez por isso mesmo tenha sido tão criticado e combatido por aqueles que defendem outras práticas, que implicam no uso permanente de queimadas. Estamos sofrendo a conseqüência de grandes queimadas em Mato Grosso e em Rondônia. Nestes dois estados, foram mais de 100 mil focos de incêndio em menos de 30 dias, enquanto no Acre tivemos menos de cinco mil.

O governador não descartou medidas judiciais para tentar responsabilizar os demais Estados.
Viana promete conduzir ações integradas entre os órgãos estaduais e federais.

- A partir de amanhã, com a chegada de três helicópteros de apoio, vamos intensificar ainda mais a fiscalização. As medidas de punição para aqueles que ainda insistirem em fazer queimadas no Estado serão severas.

Sociedade reage
Organizações do movimento social estão exigindo que o Governo do Acre acione na Justifça Federal os estados de Rondônia e de Mato Grosso por causa da destruição de suas florestas, tendo em vista que a fumaça e a fuligem decorrentes cobrem os céus do Acre na época da estiagem na região. Sugerem, ainda, que a Bolívia seja acionada através do Itamaraty.

De acordo com um documento encaminhado ao governador Jorge Viana, a ação judicial terá que identificar e comprovar que a fumaça e a fuligem das queimadas em Rondônia e Mato Grosso cobrem os céus do Acre no período seco; levantar os prejuízos à saúde humana e perdas financeiras sofridos pelo Estado e concluir com um pedido de indenização.

A proposta, liderada pelo deputado estadual Moisés Diniz (PC do B), sugere que a ação judicial deve arrolar como testemunhas pesquisadores da Universidade Federal do Acre (Ufac), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), do Ministério da Ciência e Tecnologia, do Ministério do Meio Ambiente e de profissionais do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), do Departamento de Aviação Civil (DAC) e da Secretaria de Estado da Saúde.

2 comentários:

Sergio Moreira disse...

Altino,

fico assustado e indignado com o descaso em relação à Amazônia!
Será que ela ainda é nossa?

Fênix disse...

O jorge Viana Apaga o fogo com uma mão e acende com a outra. Num mesmo vôo ele avalia a tragédia na reserva extrativista e apoio o "progresso"(desenvolvimento baseado na monocultura e devastação) no Juruá participando da I Expo Juruá....Depois vem na midia com essas lágrimas de crocodilo...É um....