segunda-feira, 21 de março de 2005

PRÉ-COVA

É de autoria do chargista Gean Cabral o relato a seguir:

Altino, tivemos que levar nossa filhinha ao pronto socorro e a Sheila, minha mulher, saiu de lá decepcionada porque não sabia falar espanhol. Só havia médico boliviano no atendimento.

Além de não terem a menor higiene e saúde no país deles, esses bolivianos ainda vêm para cá receitarem injetáveis pra todo mundo.

Bem que o governo poderia oferecer um curso de espanhol pra população que busca atendimento no PS. Lamento que não estava com uma câmera digital para registrar tudo ali e mostrar às autoridades do governo.

Aquilo é uma pré-cova. Ou, como diria o jornalista Tião Maia, “uno Pruento-Socuero”. O problema não são os bolivianos, mas o governo que os contrata.

Com médico brasileiro a coisa já é difícil, imagina com bolivianos. Eles não entendem nada do que falamos e a gente menos ainda o que eles receitam.

Altino, você deveria ir ao PS e fazer uma entrevista pro seu blog. Fica perguntando de um e de outro: entendeu o que o médico disse?

Hoje de manhã tinha um paciente, numa matéria da TV Rio Branco, que estava há quatro horas sem saber o que fazer porque não entendeu nada do que o médico lhe disse.

Minha mãe conta uma história mais ou menos assim: uma mulher brasileira procurou um médico na Bolívia e o mesmo fez todos os exames necessários e a condenou:

- Vá para el campo, para que los abutres lhe comam.

Aí a mulher entendeu que deveria ir ao campo comer arbustos. Chegando lá, encontrou uma grande plantação de mastruz e danou-se a comer mastruz.

Dias depois, voltou curada ao médico. Aí o médico fica espantando, pois havia mandado a mesma morrer mais longe. Ele então pede para ela se deitar e aplica uma anestesia geral.

Abre a mulher e encontra sua úlcera gástrica revestida por mastruz. Dali em diante, depois de ter matado a mulher, o médico passou a receitar mastruz aos seus pacientes.

O nome da minha sogra é Bazília. Dia desses fomos à Cobija. Na hora de fazer a notinha do que ela havia comprado, pronunciou o nome para o boliviano. Mas no espanhol o “V” tem som de “B”.

O boliviano preencheu a nota como Vasilha. Resultado: o produto ficou retido pela Receita Federal porque o nome existente na nota não conferia com o da compradora.

Bem, o certo é que o PS continua sendo uma pré-cova.

12 comentários:

Anônimo disse...

Fatinha Mendes - Em primeiro lugar, quero parabenizar o Gean Cabral pelo relato com uma pitada de humor impressionante. Em segundo lugar que a saúde pública infelizmente anda mal das pernas... Principalmente a do Acre, Esses médicos bolivianos vem cometendo erros grotescos e ninguém faz nada (será por que?). Em terceiro, quero parabenizar o mais novo amigo que acabei de ganhar e dizer que que é muito agradável vir aqui. Grande abraço

Anônimo disse...

Acredito que todo médico, independente de sua nacionalidade, deveria ser no mínimo cortês... A maneira com que um paciente é atendido ajuda em muito no seu tratamento... não é preciso ser médico para saber disso... os pacientes que o digam.

Como se já não fosse suficientemente desgastante a espera pelo atendimento, a pessoa leva para casa um hieróglifo em suas mãos, que somente o farmacêutico consegue decifrar...(às vezes) Um pouco de calma e cuidado na hora de receitar algo, já seria uma boa ajuda... Bom seria se o termo "Letra de médico" ficasse para trás.

Nadja disse...

Oi Altino! Posto novamente para solidarizar-me com Gean Cabral, pois tb tenho filho pequeno e bem sei o que é cair nas mãos de profissionais sem preparo técnico e/ou humano para cuidar do seu semelhante. Um detalhe me deixa preocupada: se o atendimento no PS aí em RBCO está sendo realizado por médicos bolivianos incompetentes que, segundo o Gean, não têm nenhuma noção de higiene, o que podemos esperar da legião de jovens acreanos que cruzam a fronteira para estudar medicina na Bolívia (certamente nas mesmas Universidades e nos mesmos moldes que os bolivianos)??? Deixo aqui registrada a minha aflição quando do retorno dos filhos pródigos.

Guilherme disse...

Nao podem generalizar,ah profissionais bons e com muita competencia,formados na Bolivia.Profissionais sem preparo ,existem e em qualquer area. Sou recem formado na www.univalle.edu faculdade plena e muito bem reconhecida aki no Brasil.
contato:guilhermemed20@hotmail.com

wando disse...

Estudei na bolivi ,nas universidades estatais que s n 5 universidades por ano entram so 200 estudantes nacionais e saen ben formados, ten que ver as universidades privadas que a gente tendo dinheiro a gente sai no minimo en 6 anos, pra veces veren a mensualidades pra estudar medicina sao de 45 dolares, en universidades privadas por iso e que a gente vai la nao pode estudar nas universidades estatas e nao consegue entran por que entran 3 estrangeiros por casa 100 nacionais e estuda nas uni, privadas e gente que sai medico que nao esta preparado nen pra atender na bolivia.

Anônimo disse...

Bom eu so boliviano, formado na area da medicina la, agora trabalhando no brasil, mais eu acho que voces não podem falar mau das pessoas, generalizan, sem justificação, eu conheço medicos formados no brasil que não saben nada da medicina, tem un trato ruim com as pessoas, eu acho que si um vara es medico es por amor não por dinenho o status, entao falaem mais NÂO generalizen OK. um abraço y que Deus os abençoe

fábio disse...

É cada vez mais comum, principalmente na rede pública de São Paulo, uma grande quantidade de médicos bolivianos fazer o atendimento médico. Nada contra eles, nem contra os bolivianos, porém, essas pessoas são formadas em medicina, lá na Bolívia, principalmente em Cochabamba, uma das maiores cidades do País.
O curso de medicina na Bolívia não é caro como no Brasil, porém ele é muito incompleto se comparado ao nosso, como o da USP.
Vários estudos e procedimentos, esses médicos bolivianos não conhecem. Com ofertas de empregos no Brasil, esses médicos vem para cá, e entram em um mercado clandestino e criminoso, onde procurarão um agenciador, que fornecerá um CRM de um médico verdadeiro, para esse médico trabalhar. Entenderam a questão?
Ele trabalhará com o registro de médico, de um outro profissional e como não possui o conhecimento de um médico brasileiro, pois na Bolívia seu estudo é mais fraco, ele atenderá mal, e não examinará os pacientes de forma correndo, pondo sua saúde em risco.
Todos devem ser presos. O médico boliviano, por aceitar essa clandestinidade e o agenciador que facilita todas as ações, sem falar nas clínicas, hospitais particulares e públicos que devem fiscalizar melhor os médicos que por lá trabalham.
Obrigado pela atenção!!

Anônimo disse...

otimo, aceito voces criticarem. mais eu quero primeiro passar informacoes para que voces tenham conhecimento.
a bolivia tem faculdades ruins.
o brasil tem faculdades ruins.
brasil nao se move so com A USP, ESSA É PARA VOCE FABIO.
eu estudo medicina na bolivia ja estudei parte da area da saude no brasil. conheco muitas universidades.
e nao vi ate hoje universidades com a estrutura e ensino igual que a universidade privada del valle. cochabamba. bolivia.
na regiao norte voce nao encontra . na regiao centro oeste, uma ou duas parecidas. bom se o brasil nao tem capacidade para formar bons medicos infelizmente temos que aceitar medicos bolivianos. que temos ruins e bons.
como no brasil a gente encontra ruins e bons.
procure se informar da UNIVALLE. aposto que voce ira se surpreender com a qualidade de ensino que voce encontra no brasil.

meu nome é marcos vinicius e se um dia voce escutar meu nome por ai em breve CARDIOLOGISTA bem sucedido. agradeca a bolivia por ter medicos assim no brasil.
aqui voce tem meu email tambem.
marcoskisser_07@hotmail.com

Anônimo disse...

Eu sou medica trabalho aqui no Brasil é sou boliviana. Na verdade tenho vontade de escrever muita coisa para algums de vcs, mas eu tenho educação.
Conheco medicos brasileros q trabalham comigo é não sabem nada é eles não são bolivianos é não estudaram na Bolivia, eles são brasileros é estudaram aqui, tem alguma opinião disso??? Só procura na internet para vc ver quantos medicos BRASILEROS matam pessoas BRASILERAS!!!!
Como podem falar das condiçoes d higiene na Bolivia, vc não conhece Bolivia, pela amor de Deus, gente realmente vcs se acham mais do q são.
Deus abençoe vcs!!!

Anônimo disse...

Altino aquele dia q os medicos bolivianos forom presos, tinha enfermagen en aquele hospital trablhando sem COREM, mas a policia não prendeu eles porque eram brasileras!! Eu só paraguayo é fiquei indignado, Meu Deus!!! só por ser bolivianos??? não da para vc investigar sob isso?

oitrator disse...

sou brasileiro,estarei indo fazer medicina em santa cruz de la sierra na bolivia se deus quiser no meio desse ano,gostaria de lembrar aos demais criticos,que medicos aqui no brasil todos os dias estao matando pessoas,principalmente medicos cirurgioes plasticos... vocês nao devem criticar medicos bolivianos...o erro sabe onde esta?olhem para dentro de casa...o erro esta aqui no brasil!!!grande abraço a todos vocês criticos e nao criticos

lazo.vic disse...

vou fazer medicina na bolivia em santa cruz de la sierra...quem faz a faculdade é o aluno!!!segredo?estudar muito para ser um bom profissional!!!abraço amigos