quarta-feira, 23 de março de 2005

MATEM OS RATOS!

Estive na casa do jornalista Elson Martins no final da tarde de ontem juntamente com a Célia Pedrina, fundadora do PT no Acre.

São dois velhos amigos, remanescentes de lutas que impulsionaram a criação do jornal Varadouro e o movimento social acreano, que por sua vez culminou com o que conhecemos hoje como Governo da Floresta.

Elson mora numa rua cujo nome alguns dizem existir apenas em língua portuguesa.

A Rua da Saudade, antes do posto Auge Pneus, na avenida Getúlio Vergas, jamais foi calçada ou asfaltada, embora seus moradores paguem impostos e tenham sido atendidos pelo Adjunto Emergencial de Limpeza.

Para abrir os trabalhos de avaliação daqueles feitos que são da conta de todo mundo, o Elson começou por servir café. Estávamos sentados debaixo do frondoso jambeiro.

Numa cadeira de balanço, de frente para a rua intransitável, Elson de vez em quando virava a cabeça para olhar para trás. Depois levantava, se distanciava da gente e entrava em casa pela porta lateral.

Repetiu o ritual várias vezes até voltar para abastecer uma mesinha com um litro de Coca-Cola e um bolo de pupunha e nos perguntar em tom de verdadeira confissão:

- Vocês estão vendo minha aflição? Sabem por que fico olhando para trás e me ausento da conversa o tempo todo? É para impedir que a minha casa seja invadida pelos ratos.

A casa dele é uma obra bem resolvida num aclive zelado, com grama e plantas. Enquanto conversávamos, realmente avistei ratos. Alguns pareciam uma paca.

Espiavam, subiam na calçadinha e seguiam por ela em direção à porta lateral da cozinha.

Elson acha que outros moradores de Rio Branco devem estar enfrentando o mesmo problema em decorrência do Adjunto Emergencial de Limpeza - campanha da prefeitura de Rio Branco que remove diariamente toneladas de lixo da cidade.

- Altino, você poderia abordar essa questão em seu blog. A prefeitura está eliminando o lixo, que é a fonte de alimento dos ratos, e eles estão batendo nas portas de nossas casas em busca de comida.

Elson contou que no Amapá, onde morou durante muitos anos, uma campanha de limpeza semelhante, em Macapá, foi precedida de desratização.

Dado o recado, aproveito para sugerir que a prefeitura afixe placas avisando que é proibido jogar lixo em determinadas áreas onde frequentemente mobiliza homens e máquinas da limpeza urbana.

É inacreditável, ainda, que governo e prefeitura, ambos comprometidos com as causas ambientais, não indiquem sequer um telefone onde o cidadão possa denunciar quem viola as leis.

Querem saber o que conversamos lá, tendo os ratos como testemunhas? Ah! Um pena. A nota tá grande. Depois conto. Por enquanto, vamos jejuar e rezar.

9 comentários:

Anônimo disse...

Tem certeza Altino que vcs estavam tomando café? Ratos do tamanho de cutias tá bom...mas do tamanho de pacas?
Depois do jejum da Sexta Feira Santa, no Sábado de Aleluia, já vai dar prá contar o que conversaram. Vou aguardar em abstinência. Boa Páscoa. Alceu

Elson Martins disse...

Olá, Alceu: os ratos são de todo tamanho e cor. A cidade está cheia deles, que se alimentavam do lixo que ficava na rua e nos quintais. A turma do Angelim devia ter feito uma desratizaçãoem toda cidade, uma operação de 15 dias, antes de recolher o lixo. A minha é mais ou menos central, próximo da Getúlio Vargas. Imagina a situação mais na periferia, nos pontos onde o lico passou a ser recolhido...

Branco disse...

Pois eu cheguei um dia desse em casa e dei de cara com um rato enorme, preto, no meio da sala. Acho que ele entrou pelo buraco do cano de água, que ficou um pouco maior do que era quando precisei mandar fazer uma ligação clandestina, já que minha água tinha sido cortada (ai, ai...). Aí ontem o sacana descobriu a cozinha, e lá se foi uma dúzia de bananas novinhas que o fidiputa roeu...

Anônimo disse...

O! Altino tomei um susto quando li a manchete. Pensei comigo: desta feita vez o Altino perde o emprego. É que achei que vc iria falar dos ratos que aparecem nas tvs e jornais da cidade. Tá uma peste que não acaba mais. Votchi!!
INVASOR DANDO UMA PASSADINHA...

Anônimo disse...

Elson, Altino, esta criação é antiga. Minha sugestão é que a Prefeitura junte a população, numa ação que coloque em prática a chamada "Participação Popular" e desratize a cidade. Será uma ação muito mais importante para a saúde e com efeitos práticos numa atitude de cidadania, que fazer obras de fachadas para iludir o povo. Tenho idéias: Eles podem distribuir cabos de vassouras e marcar um dia para todos caçarem ratos...rssss... boa essa, hein! ou podem criar grupos por bairros e distribuir e orientar a aplicação de veneno...depois a população fica responsável pela manutenção... até os bairros podem se organizar em "brigadas anti-ratos"...rsss...daí surgirão outras idéias e outras tarefas... o poder público fica jogando um papel de unificar a orientação, ouvindo a população, e apoiando as ações. Cadê um vereador para propor algo assim??? Cadê a esquerda e suas idéias criativas e "revolucionárias"? rssss

Anônimo disse...

Astronauta...assinando a nota acima

Anônimo disse...

Astronauta de novo...rss
Altino...cuidado para não ser acusado de incitação à violência...rss... soube de uns cidadãos que ao lerem teu blog hoje, viram o título do texto: "Matem os ratos!" e sem ler a argumentação já se dirigiam para a Assembléia, a Câmara de Vereadores e alguns tribunais atrás dos tais ratos, armados até os dentes...rssssss... foram impedidos por amigos e familiares que os fizeram ler o texto por inteiro e perceberam que você falava de outros ratos... rsss... cuidado, rapaz, com o que você escreve!!! rs

Anônimo disse...

Altino, quero saber se algum dos teus leitores quer fazer perguntas ao Geraldinho na entrevista que prentendo fazer com ele "ao vivo" lá na Caverna... rsss...

Roberto Feres disse...

Oi Altino,
Uma solução paliativa para o caso dos ratos é você mandar um dos filhotes da Mel para a casa do Elson. Porcerto os ratos que sobrarem aprenderão caminhos que não passam por lá...
Grande abraço.