quarta-feira, 5 de janeiro de 2005

"QUALQUER UM FÁ-LO"


Esse anúncio bisonho de venda de imóveis, assinado por Antônio Avelino Mendes, foi publicado hoje na capa da edição impressa do jornal Página 20, bem no cantinho direito do rodapé.

Além de tropeçar na língua portuguesa e nas regras elementares de comunicação e propaganda, o anúncio indica a sede do Ministério Público do Acre como um improvisado escritório de corretagem imobiliária.

O jornalista Tião Vítor, que acumula a editoria do Página 20 e a assessoria de imprensa do Ministério Público, poderia ter poupado os leitores e as duas instituições a que serve.

Aliás, bem que o Ministério Público poderiar apurar essa afirmação do anunciante de que qualquer um pode fazer dinheiro, a qualquer momento.


Leia para crer. Caso permaneça incrédulo, dê um clique sobre o anúncio para ampliá-lo junto com sua perplexidade.

Um comentário:

Altino Machado disse...

Explicação do jornalista Tião Vitor:

Caro Altino,

A respeito do post sobre o anúncio publicado na edição do dia quinta-feira, na capa, gostaria de informar que desde o mês de setembro de 2004 não atuo mais como assessor de comunicação do Ministério Público. Tomei a decisão de me desligar da instituição em que trabalhei por cinco anos justamente porque não seria possível conciliar as duas atividades e interesses. Quanto ao anúncio, informo que o texto publicado, assim como sua forma e localização, foi exigência do anunciante, Antônio Avelino Mendes, que atua como assessor jurídico do Ministério Público, daí o endereço nele citado.

Grato,


Tião Vitor