quinta-feira, 31 de março de 2016

Crise econômica transforma o Acre em porta de saída de imigrantes haitianos


Principal porta de entrada de haitianos durante cinco anos, o Acre começa a se tornar porta de saída de uma parcela dos 50 mil imigrantes que entraram no país e que agora começam a voltar para o Haiti por causa da crise econômica, principalmente a falta de emprego e a alta do dólar.

Mais de 40 haitianos desembarcaram em Rio Branco na madrugada desta quinta-feira (31). Homens, mulheres e crianças de colo deixaram cidades do interior dos estados de Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

Como no Brasil o preço das passagens para Porto Príncipe varia de R$ 5 mil a R$ 8 mil, os haitianos começam a se deslocar para o Peru e Equador. Nesses países, refazendo a rota pela qual a maioria ingressou em território brasileiro a partir de 2011, dizem que fica mais em conta comprar passagem aérea até Santo Domingo, capital da República Dominicana.

- Quase todos os haitianos estão em situação bem difícil no Brasil. Falta trabalho e o valor do dólar está muito alto. Não temos mais como continuar aqui e muito menos como ajudar nossos parentes que ficaram no Haiti. Quem tem algum dinheiro não pode comprar passagem aérea no Brasil de volta para o Haiti. Passei pelo Acre em 2012 e a situação no Brasil era outra. A situação começou a piorar nos últimos dois anos. Poucos conseguem fazer o que estamos fazendo agora para regressar ao Haiti - disse um haitiano que estava acompanhado da mulher e de um bebê brasileiro.

Consultado, o secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão, não tinha conhecimento da nova rota que os imigrantes estão tentando estabelecer de volta ao Haiti. Mourão assinalou que o abrigo de imigrantes que era mantido em Rio Branco, em parceria com o governo federal, está fechado desde o mês passado.

- A única coisa que podemos fazer agora é orientar quem estiver de passagem pelo Acre - disse Mourão.


2 comentários: