segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Violência contra mulher envolve três personalidades do PT no Acre

Dimas, Aline e Carioca
A cena política no Acre foi sacudida neste domingo (19) por um caso de violência contra mulher envolvendo três personalidades do PT que fazem parte do governo estadual e da prefeitura de Rio Branco, onde ocupam cargos como assessores especiais.

O secretário-executivo da Secretaria de Direitos Humanos do Acre (Sejudh), Dimas Sandas, teria espancado a ex-mulher, Aline Braga, assessora especial da prefeitura de Rio Branco, após descobrir que ela se relacionava com o assessor especial do governo, Francisco “Carioca” Nepomuceno.

Além da suposta agressão à mulher, Sandas causou danos no carro dela, uma Mitsubishi Pajero, cujos vidros foram quebrados. O escândalo começou a se tornar público a partir das redes sociais do Acre.

Aline Braga e Dimas Sandas foram candidatos a vereadores de Rio Branco em 2012. Ambos não foram eleitos, mas assumiram cargos de destaque na prefeitura e no governo estadual, comandado há 15 anos pelo PT.

Solteiro, Francisco “Carioca” Nepomuceno é o principal articulador político do governador Tião Viana e por isso é considerado um dos homens mais influentes no Estado.

Após a suposta agressão, Aline Braga registrou queixa na Delegacia da Mulher. O subsecretário estaria foragido para não ser preso com base na Lei Maria da Penha, mas as informações são desencontradas.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Polícia Civil evitou prestar informações sobre o escândalo, enquanto a Delegacia da Mulher informou que o boletim de ocorrência não está mais sob sua tutela e já havia sido encaminhado para a cúpula da secretaria.

Procurada pela reportagem, a secretária adjunta de comunicação do governo do Acre, Andréa Zílio, disse que o secretário de Direitos Humanos, Nilson Mourão, tomou conhecimento do caso e prometeu “tomar as providências cabíveis”.

- Quanto aos meandros da vida pessoal de cada um, não adentramos no mérito, mas, a partir do momento que haja situação criminal, o servidor, que ocupa o cargo de secretário executivo da Sejudh, será afastado da função até que todo esse problema seja devidamente esclarecido – acrescentou a assessora do governador.



Em 2012, durante a campanha eleitoral, Francisco “Carioca” Nepomuceno manifestou apoio ao casal de candidatos Aline Braga e Dimas Sandas. Num dos vídeos, ainda disponível na web, “Carioca” conta que conheceu Dimas militando na juventude do PT.

- Ele sempre me impressionou porque, mesmo sendo um jovem negro, de família pobre, que tem tem uma origem social marcada pela adversidade, é uma pessoa que nunca baixou a cabeça.

Carioca se referiu à Aline, também durante a campanha eleitoral, como “mulher nova, arrojada e competente”.

- Aline personifica aquilo que nós chamamos no PT de pacto de geração. É uma mulher jovem, bonita, inteligente, militante e que tem sede de cidadania.

A reportagem não conseguiu localizar o trio via telefone.

Nota do casal (atualização às 23h25)

Conversei com o secretário-executivo de Direitos Humanos do Acre, Dimas Sandas, que teria espancado a ex-mulher, Aline Braga, assessora especial da prefeitura de Rio Branco, após descobrir que ela se relacionava com o assessor especial do governo, Francisco “Carioca” Nepomuceno. Além da suposta agressão à mulher, Sandas causou danos no carro dela, uma Mitsubishi Pajero, cujos vidros foram quebrados.

Pela manhã, antes de noticiar o caso, eu havia tentado falar com Sandas. Ele contou que leu minha nota e que a mesma contém “muita informação distorcida”.

- Envio nota esclarecedora na manhã de terça-feira. Inclusive já fomos juntos [Aline e Sandas] a vários locais públicos hoje. Como você pode ver, não houve nenhum tipo de violência física contra ninguém.

Mostrei para Sandas cópia do boletim de ocorrência, obtida depois da publicação da notícia, que menciona agressão física e ameaças de morte, mas ele contestou:

- Isso que está escrito [no BO] é um relato de um terceiro. Não sei qual a fonte. Não procede. Acho melhor esperarmos a nota assinada por mim e por ela. Agradeço pelo contato e responsabilidade.

- Por nada, é meu dever.

Encerrei a conversa dizendo ao secretário-executivo de Direitos Humanos do Acre para que não digam que os repórteres, assim como no caso dos tapurus nas marmitas do Hospital das Clínicas do Acre, também inventaram esse novo escândalo para prejudicar o governo do Acre.

2 comentários:

Carlos Martel disse...

Interessante a matéria!
É impressionante como tudo gira em torno do PT, até mesmo os casos extraconjugais. De fato, isso nos mostra que realmente eles vivem num mundo só deles.

Carlos Floresta disse...

Carioca é belo, um gentleman e poderoso.
Por tudo isso enlouquece as mulheres da FPA e seus maridos.
E o G7 nunca existiu...