sábado, 16 de novembro de 2013

Comida estragada no Hospital das Clínicas do Acre


A direção do Hospital das Clínicas do Acre jogou no lixo, na noite de sexta-feira, 50 marmitas  que foram servidas no jantar para os pacientes do setor de hemodiálise.  Os pacientes e a direção constataram a presença de vermes (tapurus) no frango assado na cozinha do próprio hospital. 

O caso foi denunciado pela presidente da Associação dos Pacientes Renais Crônicos e Transplantados, Berenice Sales da Silva.

O diretor Carlos Eduardo Alves e a nutricionista Eliane Frari, chefe do Serviço de Nutrição Dietética, prometeram abrir sindicância administrativa para apurar o caso. Uma paciente que comeu o frango sofreu desarranjo intestinal após o jantar.



A direção do hospital negou que a comida tenha sido preparada e guardada com muita antecedência por causa do feriado da Proclamação da República. O diretor e a nutricionista disseram que o hospital é rigoroso ao preparar a comida de paciente e funcionários.

- Quando mostramos a condição do alimento, a nutricionista nos pediu desculpas. Mais de 30 pacientes encontraram bichinhos na comida. O hospital queria abafar o caso. Eu consegui sair com duas marmitas dizendo que era comida pro meu cachorro. Queria que vocês vissem esse absurdo - disse a paciente Kelly Andreia Silva.

5 comentários:

Carlos Floresta disse...

Misericórdia, meu Deus!
Quando a gente imagina que as coisas vão mal eles ainda conseguem deixa-las muito pior!
Isso é imperdoável, indesculpável, intolerável!
Nem aos cães se pode servir uma "comida" dessas!
Chocante demais!
A comida podre, a política podre, o governo podre, os governantes podres (de rico) e o Ministério Público podre de vergonha por se fazer vassalo!
A Saúde no Acre está podre!

Carlos Floresta disse...

Fiquei tão chocado que quase esqueci! Houve cometimento de CRIME capitulado no Art 132 do Código Penal Brasileiro.

Art. 132 - Expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente:

Pena - detenção, de três meses a um ano, se o fato não constitui crime mais grave.

Parágrafo único. A pena é aumentada de um sexto a um terço se a exposição da vida ou da saúde de outrem a perigo decorre do transporte de pessoas para a prestação de serviços em estabelecimentos de qualquer natureza, em desacordo com as normas legais. ( Incluído pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)

ACOOOOORDA MINISTÉRIO PÚBLICOOOO!
Justifiquem pelo menos seus altos salários porque do seu DEVER vocês já se esqueceram!

Carlos Floresta disse...

Enquanto a galera do G7 degustou uma iguaria "a la acreanese du G7" (tatu com ervas finas!!!) e cometeu crime ambiental mesmo no xilindró, à população doente, é servido um "galeto à fulerrage" sem ervas finas mas com muita larva de mosca.
Très Chiq, se não fosse crime!

Carlos Floresta disse...

Jornalismo de vanguarda no Brasil e em especial no Acre é dizer e mostrar a verdade.
Seu Altino, parabéns pela reportagem!

Evandro Ferreira disse...

Quem é o(a) responsável pela cozinha do hospital?
Se fosse em país sério, onde a indicação não é feita por critérios políticos e de amizade, a demissão era tão certa que antes disso ocorrer as pessoas se demitem.

O que vai acontecer aqui? Nada!
Vão abrir uma sindicância...conversa vai, conversa vem, enrola daqui, enrola dali, espera o tempo passar e...surpresa!!!!...nada vai mudar e tudo continuará como dantes...

Seja firme Tião Viana! Tome uma atitude! Demita os responsáveis, dê exemplo!!