segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

SINTO VERGONHA

Carta sobre a mudança do fuso horário, enviada à Tribuna do Juruá pelo empresário Edson Sidou, de Cruzeiro do Sul (AC), região mais ocidental do Brasil
 
"Senhores Governador, Senadores e Deputados do Acre,

Integro a comunidade cruzeirense desde 23 de maio de l951 quando aqui cheguei para dar minha modesta contribuição no desenvolvimento desta cidade distante, sofrida, mas hospitaleira e muito querida Cruzeiro do Sul.

Nesses 60 anos vivenciei momentos dos mais variados: Alegrias, tristezas e algumas decepções. Assisti diversas resoluções políticas, desde a época de Getúlio Vargas, passando por regimes totalitários, e alguns tipos de democracias, inclusive aquela de saudosa memória, em que a vontade expressa da maioria do eleitor nas urnas, tinha poder de decisão. Ninguém ousava contestar. Era LEI e LEI com letra maiúscula.

Hoje invade no meu peito de octogenário, a tristeza de sentir e ver a um verdadeiro ultraje na Constituição do País.

A vontade expressa de um povo em um referendo, processo legal em todas as normas, sobre o necessário retorno ao antigo horário do Acre, transformada em lixo, desrespeitada e habilmente ultrajada, por interesses pecuniários de emissoras e políticos que não vivem a realidade do povo acreano e em especial a do cruzeirense.

De repente levanta-se o questionamento: será que também o processo eleitoral que elegeu os senhores (governador, senadores e deputados das três casas) não deveria ter o mesmo destino? Ou seja, tornar-se sem valor, uma vez que foram eleitos pelo mesmo processo e pelos mesmos eleitores.

Sinto vergonha senhores de uma situação desta em nosso País, Estado, e especialmente em nossa cidade que por ser a mais ocidental, nota-se de modo diferente os efeitos desse decreto que não foi pedido e muito menos desejado.

O que mais estranho é não ver os nossos defensores -aqueles que colocamos no comando para nos defender-, se pronunciarem. Estão omissos, se retraindo como alguém que não tem obrigação de seguir na vanguarda das lutas em beneficio do povo que os elegeu.

Esperamos merecer dos nossos "generais" políticos, um grito bravo e destemido, para o resgate dos males sofridos na nossa Constituição e enfim sentirmos orgulho do nosso Brasil, de seu maravilhoso hino e "deitarmos eternamente num berço esplendido".

Edson do Vale Sidou"

11 comentários:

Roberto Feres disse...

Gostei desse cara... anota ai que sou o numero um do fa clube.

ROMISSON NAWA disse...

Tem toda razão o seu Edson Sidou !

sergio souto disse...

Quero parabenizar o nobre senhor, e dizer q sou o fã nº2.
Valeu Bob Feres!!

Antonio disse...

Esse comportamento do senhores Vianas, (Jorge Viana e Tião Viana), o fazem sangrar a cada dia que passa, com suas atitutudes anti-democraticas. Essa é somente mais uma desses ditadores, que não vêm apresentando nada de novo, pelo menos, nos últimos seis anos. Estão com seus prazos de validade, literalemente vencidos. Votei pela permanência da Lei Tião Viana, Rede Globo e Banqueiros. Mas, exijo respeito ao resultado das urnas no Referendo. Se for o caso vou aproveitar essa onda de democracia que invade o mundo e vou para as ruas, exigir o fim da ditatura no Acre. Vou esperar até quarta-feira. Já comprei minha pistola (calma! é de tinta) e vou começar a pixar muros. Vou acordar o povo! Seu Edson Sidou. Meus respeito. Sei que o senhor já fez muito. Deixe com os mais jovens. Prometo não "deitar em berço explendido"
Criseu

BárbaraCameli disse...

Seu Edson Sidou apenas transcreveu o sentimento de todos os que votaram a favor da volta do horário, porém o mais importante foi o fato do não cumprimento da lei, e a melhor parte do texto foi
'De repente levanta-se o questionamento: será que também o processo eleitoral que elegeu os senhores (governador, senadores e deputados das três casas) não deveria ter o mesmo destino? Ou seja, tornar-se sem valor, uma vez que foram eleitos pelo mesmo processo e pelos mesmos eleitores.'
Enquanto esse 'adiamento' de decisão não fere aos interesses deles, 'vamos lá, ver até onde o povo acriano gosta de ser feito de otário'

Janu Schwab disse...

Aqui pelo "sul maravilha" a coisa começou a se fazer ver. Punhado de colegas da agência - gente de Mídia, Planejamento e afins - já conversa sobre o Acre sem fazer piada. Assunto: a questão do fuso horário, o lobby das tevês e a confusão pós-referendo.

Hoje o papo rendeu e a paulistada queria de mim uma espécie de consultoria sobre o nosso Acre. Joguei uma real e indiquei este blog, com seus posts e comentários afiados, como referência certa, claro.

ALTINO MACHADO disse...

Grato pela consideração e respeito, Januário. Quando aparecer por cá, pagarei a bora e tacacá sem ajinomoto. Frote abr;ço

nataliemessias disse...

Será que é preciso um levante popular nas ruas para que a vontade do povo seja respeitada??
Que fiasco de política..ts..ts

"Ser brasileiro é assim, seu direito é negado todo dia até o fim"

Grover disse...

Com uma familia exemplar, O Sr. Edson Sidou merece toda atenção e respeito.
Tecnicamente falando, ele tem toda razão em falar que Cruzeiro do Sul sente mais a mudança de horário.
Tendo em vista os fusos horários serem estabelecidos da seguinte forma: a cada 15 graus de logitude aparti do merediano de Greenwich tem-se um fuso ou seja, uma hora a mais ou a menos se voce estiver a leste ou oeste do referido meridiano. Com base nisto, na realidade o Acre teria que ter dois fusos, ja que a parti do municipio de Feijó ha o acrecimo de 15 graus a oeste, no caso um fuso ou uma hora a menos que Greenwich.
Por acordo interncional o Brasil optou por tres fusos, para facilitar a vida, ja que geograficamente falando teriamos que ter 5 fusos aparti de Fernado de Noronha até o Acre (com o quinto fuso aparti de Feijo). Como na epoca do império no Brasil esses dois extremos (o Acre ainda pertencia a Bolivia) eram pouquissimo povoado e como ainda são. Optou-se em adotar tres fusos.
Portanto a Lei Tião Viana está indo na contra mão da geografia. Por isso no vale do juruá essa mudança foi sentida bem mais acentuada.

elson disse...

Saudações riobranquenses Sr. Edson e parabenizá-lo pela sua carta correta do início ao fim.



Elson

Nirleia disse...

Queridos amigos, além de concordar com o admirável ponto de vista do respeitável sr. Edson Sidou, acredito que todos nós, cruzeirenses, acrianos e até brasileiros, que lutamos por nossos direitos e que acreditamos no poder da democracia nos sentimos ultrajados com tal acontecimento e devemos nos manifestar. Devemos buscar as mais diversas formas - pacíficas e civilizadas - de demonstrar o quanto estamos sentindo que nosso direito foi brutalmente violado. Nas últimas eleições fomos convidados às urnas para exercermos um direito/dever (porque em nosso país o voto é obrigatório) que até então nos era soberano (pois agora tenho minhas dúvidas): eleger nossos representantes e decidir através do referendo a tão polêmica questão do fuso horário acriano. Pois aconteceu que o povo compareceu, votou e por maioria absoluta dos votos, ficou decido que voltaríamos ao horário antigo. Entretanto, como já é do conhecimento de todos, por motivos mesquinhos e por interesses escusos que são alheios aos interesses dos cidadãos que aqui vivem, e principalmente por interesses que desconhecem a realidade de nosso estado, a vontade dos eleitores não está sendo respeitada. Tal fato só vem evidenciar aquilo que já sabemos: nosso estado está sendo governado por mãos de ferro! Mas afinal, nosso governo, está atendendo aos interesses de quem? Ao que me consta, certamente, não são os interesses da nossa população. Contudo, diante deste insulto me pergunto o que podemos fazer? A que lei podemos recorrer? Em quem podemos acreditar? O que podemos esperar dos nossos representantes? Será que nenhum daqueles a quem elegemos irá se manifestar em nossa defesa? Teremos que baixar nossas cabeças e aceitar em silêncio esta afronta? Aceitar que estamos impotentes diante de tamanha injustiça? São inúmeros os questionamentos... No entanto, minha esperança é de que este fato sirva para levar o Acre ao topo das atenções na mídia nacional e para que outros fatos, tão graves quanto, como o descaso do poder público na saúde, na educação e nas demais esferas sociais possam vir à tona. Talvez essa violação seja o que estávamos esperando para começarmos a questionar a conduta ética e moral dos nossos representantes e principalmente para repensarmos nossa realidade e criarmos coragem pra mudar o final dessa história!