quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

JORNALISMO É PARA COBRAR E FISCALIZAR

Convidados da TV Cultura, sociólogo e jornalista criticam emissora no ar


O sociólogo Demétrio Magnoli e o jornalista Eugênio Bucci criticaram reportagem da TV Cultura no próprio Jornal da Cultura, em programa exibido na noite da terça-feira, 16. Os dois foram convidados a comentar a reportagem logo após sua exibição pela apresentadora Maria Cristina Poli.

Na reportagem, é apresentada proposta do governo de São Paulo para regionalizar a saúde. O vídeo mostra imagens de personagens e de um seminário realizado sobre o tema. O secretário de Saúde do Estado, Giovanni Guido Cerri, aparece defendendo maior investimento nas unidades básicas de saúde. No entanto, a reportagem não informa quando isso será feito e de que maneira.

Após a exibição do vídeo, ´Magnoli foi o primeiro a falar:”Eu não atuo como jornalista, mas eu fiz jornalismo. E eu aprendi que a notícia, quando se trata do governo é uma medida prática, uma medida já adotada, e não um projeto, uma declaração de intenções, um seminário, uma promessa.”

A apresentadora o interrompe: “Você está criticando essa pauta? É isso, Demétrio?” O sociólogo responde: “O que estou dizendo é que isso parece merchandising do governo.” E acrescentou: “Eu não vi notícia aí.”

Bucci disse concordar com a crítica de Magnoli. “É importante nós termos claro que o protagonista de uma notícia de interesse público é cidadão afetado por alguma medida do governo. Ou uma medida real que modifica a realidade. As intenções elas não tem esse poder”, afirmou.

A apresentadora pergunta a Bucci se a divulgação dessas intenções não serviria para depois cobrar, já que isso foi dito publicamente. “Sim, pode e deve cobrar. E nós devemos usar o jornalismo muito mais para cobrar e fiscalizar do que para promover o anúncio de nobres interesses”, respondeu o jornalista.

Ao final, Magnoli sugere a realização de uma reportagem para apurar a realização do que prometera o governo, e a apresentadora encerrou o assunto: “isso é jornalismo”.

A TV Cultura foi procurada pra se manifestar sobre o assunto, mas até o momento da publicação desta nota ainda não enviou resposta.

Fonte: Jair Stangler, Estadão

8 comentários:

Estou Sabendo disse...

Aqui no Acre os jornais e jornalistas já anunciaram que o Acre será um grande produtor e exportador de peixes, isso seria propaganda de uma coisa para o futuro como disse o sociólogo?

Andarilho disse...

Será grande produtor, assim, como foi a notícia sobre a 'grande' produção de tomates?

Cecília França disse...

Sou suspeita, já que sou fã do Demétrio Magnoli. Sempre ensinando algo.

JO ALVES disse...

Prezado Altino,
Esta reportagem foi uma verdadeira aula para todos os cidadãos, jornalistas ou não.Principalmente para aqueles que não são jornalistas de fato , e se anunciam como tal.
Valeu !!!!

nataliemessias disse...

todos os chamados "jornalistas" do Acre deveriam assistir essa matéria!
uma verdadeira aula aos nobres "profissionais" porque o que se vê é puro merchandising do governo sempre!

lzomatos disse...

Sensacional! O governo do povo (ou seria da floresta?) poderia contratar o sociólogo Magnoli para efetuar uma análise como esta no sistema público de comunicação do estado. Tenho certeza que diversos atos de merchandising do governo (2:37 do vídeo) serão identificados. A propósito, para isso nem precisa ser especialista. Basta acompanhar com atenção os noticiários da 96.4 FM e da TV Aldeia.

P.S.: Se precisar de recurso para contratar o especialista, é só remanejar um percentual do que foi destinado ao show do Latino ou a cia. da selva pela criação da logomarca lixo.

inté!

clelio rabelo disse...

ALTINO,

Indabém que existe você por estas plagas. Indabém que existe o Demétri noutras. Pena eu não ter conseguido ainda o nível de independência necessário para fazer o jornalismo que deveria. Mas um dia chegou lá. Enquanto isso, cêsdois vão dando aulas para mim e pos nossos "coleguinhas".

Abraços do clelio rabelo

Janu Schwab disse...

Excelente.