segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

0 ACRE E O PIB BRASILEIRO

O governo do Acre tem dito que o Estado "deu um salto" nos últimos oito anos de gestão do PT e que o PIB estadual passou de R$ 500 milhões para R$ 5 bilhões.

O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou em dezembro o comunicado "Desigualdade regional recente: uma nota a partir de dados estaduais".

De acordo com o Ipea, entre 1995 e 2008, a economia brasileira cresceu à taxa média anual de 2,8%. O ritmo de crescimento variou nos estados.

Veja a tabela de participação dos Estados no PIB brasileiro em 1995 e 2008. O Acre se manteve no ranking com 0,2%.

4 comentários:

Gustavo disse...

Só posso fazer coro à aquilo que nosso saudoso professor José Mastrangelo dizia: "...Enganar a gente com o tal espetáculo de crescimento que, em verdade, há de vir e, quando vier, com certeza não será com essa política econômica desumana e injusta, que favorece tão somente os poderosos, esticando sobremaneira a fronteira entre os mais ricos e os miseráveis deste país".

Ativista d'Acre disse...

Altino,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK !!!

Eu Sou,Joana D'Arc Valente Santana

Gabriel JMC disse...

Isso é subjetivo. Ou vcs acreditam que entre 95 e 08 São Paulo decresceu?

Muito pelo contrário. O problema desse ranking é que além de analisar números de participação, não deixa o crescimento ou decréscimo proporcionais. Ou vcs todos acham justo comparar números reais entre estados com realidades econômicas tão diferentes como SP e AC?

Questão de interpretação. Vocês vêem o que vcs querem ver, nesse caso uma crítica.

Paulo Wadt disse...

Podemos comparar Rondônia e Acre, dois estados próximos: no mesmo período, a contribuição do PIB de Rondônia no PIB brasileiro aumentou em 50% (passou de 0,4 para 0,6%) e se em 1995 era o dobro do PIB do Acre, em 2008 já estava três vezes maior.