terça-feira, 19 de outubro de 2010

VOTE 77 NO REFERENDO DA HORA

Silvio Simione da Silva

Estamos às vésperas do referendo que decidirá sobre o “fuso horário” do Acre. Um país ou uma unidade política qualquer, pode ter horários determinados não condizentes com sua localização no Planeta. Isso ocorre quando o lugar tem um território pequeno; quando sua extensão leste/oeste é estreita, sendo maior no sentido norte sul, ou quando o governo é autoritário e muda os horários conforme suas conveniências econômicas ou políticas. Em qualquer das situações quem paga mais caro pelas mudanças é a população, que tem de estudar, trabalhar, descansar etc. em horários, às vezes, não tão apropriados.

O Acre faz parte de um país imenso tanto no sentido leste-oeste quanto norte-sul. Por isso, nossas variações temporais são tão comuns, se considerarmos o sentido leste-oeste, nos horários diversificados que temos, assim como são comuns as variações climáticas com as temperaturas mais frias e mais quentes quando tomamos com referência o sentido norte-sul.

Tenho visto muita gente na rua, nos bairros, nas igrejas, em todos os lugares, discutindo como ficará o fuso horário do Acre após o dia 31 de outubro.

Primeiro temos de desfazer uma confusão de termos: “fuso horário” e “horário local”. Vamos primeiro entender que  o “fuso horário acreano” sempre foi o mesmo, pois ele é dado pela localização do Acre no Planeta, e isto não pode ser mudado por força de uma lei. Portanto, o “fuso horário” nosso é e sempre será o mesmo, isto é, o quarto fuso horário brasileiro ou o quinto fuso em relação à linha de Greenwich.

O que foi mudado no  Acre foi nossa “hora legal”. A mudança se baseou em parâmetros que desconsideram o fator natural de nossa localização e a forma da população pensar sobre o assunto. Podemos dizer que foi uma medida errada cientificamente e socialmente arbitrária. Por este motivo defendo o retorno ao antigo e legítimo horário acreano. E justifico cada um dos argumentos:

- O fuso horário de um lugar é um fenômeno de sua localização geográfica no Planeta. Existem profissionais, como geógrafos e cartógrafos, que são especialistas nessas áreas, que vivem no Acre, e foram totalmente ignorados pelo “atropelo do poder e da vaidade” que o autor da lei que mudou a hora do Acre, acreditou ter. Portanto, o primeiro ponto que saliento: o desrespeito para com as ciências da área geográfica e cartográfica e com toda a comunidade acadêmica em geral.

- Nosso organismo reage de forma diferente conforme as variações temporais diárias. Sendo assim, temos mais disposições para dormir à noite e fazer atividades diversas durante o dia. Portanto, o “relógio biológico” de cada humano está vinculado à sua condição de localização no Planeta. Porém, quando mudou o horário do Acre, o então senador Tião Viana (PT-AC), autor da lei, não considerou como a mudança afetaria as condições biológicas das pessoas, com repercussões diretas, inclusive, na saúde de cada acreano. 

- A sociedade acreana ao longo de sua formação acostumou com a hora de fuso horário dado por sua localização. Uma mudança de horário, ou qualquer outra que um dia venha a ser feita, caso envolva a sociedade como um todo, tem que ser aceita por todos. Como vivemos num estado democrático, é bom que as autoridades aprendam que a consulta popular apenas reforça os seus propósitos conforme os anseios de seus representados. Isso deveria ser uma prática comum numa sociedade democrática.

- A localização do Acre fez desse território o Estado mais ao oeste do Brasil. Estamos distantes da faixa litorânea Atlântica, onde situam-se as áreas economicamente mais dinâmicas do país. Na época da mudança do horário, argumentavam que este novo horário iria ajudar o “Acre a aproximar mais do Brasil”. Nisso há pontos críticos. Apesar de distante espacialmente do centro, o Acre é Brasil desde 1903. A distância não é um fenômeno que justifica a importância de um lugar. Nos Estados Unidos da América, os centros políticos principais também estão no litoral Atlântico (New York e Washington, por exemplo), mas o estado mais rico daquele país é a Califórnia, que está no litoral Pacífico, em fuso horário diferente.   Por isso, a localização do Acre é distante do oceano Atlântico, mas é a porção do território nacional que mais se aproxima do Pacífico. Daí, esta localização que aparentava ser um limitador pode ser um potencial importante para nosso desenvolvimento.

- Diziam as mudanças seriam necessárias para viabilizar o funcionamento bancário, para o horário de programas televisivos e para o comércio. Resultado: os bancos mantiveram o horário, os programas de televisão continuam sendo assistidos por todos, inclusive, nossas crianças (que agora dormem mais tarde). Ao comércio até que serviu para as negociações telefônicas, porém hoje, diante da tecnologia existente, as transações comerciais e financeiras podem ocorrer praticamente em qualquer horário. Também o comércio, em Rio Branco, passou a abrir em horários variáveis -algumas lojas às 7 horas, outras apenas às 9 horas. Até as escolas passaram a iniciar as aulas às 7h30. Sabem por que houve essas adequações de horário interno ao Acre? Porque se seguíssemos o novo horário, as pessoas não chegariam no tempo determinado, mas sim no tempo de seu relógio biológico, que está regulado pelo velho horário ignorado pelo senador. Isso demonstra que o costume das pessoas, de todos nós vivendo em sociedade, onde somos os agentes que preenchem a realidade, inclusive, o mercado consumidor, é que dinamiza a realidade. Então esta mudança não nos serviu.

Dizem as propagandas em defesa do sim que: “já se acostumou, por que mudar?” Será que já acostumamos ou estamos sendo obrigados a nos adequar? Não se desfaz algo construído em 100 anos e se reconstrói em apenas um ano. É bom que pensemos nisto.

Com a economia globalizada, o tempo econômico é ágil. A distância temporal torna-se cada vez mais virtual. As principais bolsas de valores do mundo funcionam em fusos horários diferentes é nem por isto as cidades onde se situam tiveram que adequar seus horários ao de New York, de Londres ou de Tóquio. Então a quem interessou a mudança do horário acreano? Este é um ponto para refletirmos e não cair perante vaidades individuais.

Defendo “o não” à mudança e o retorno ao horário real, por uma questão de defesa ao estado democrático, pelo respeito à opinião do povo acreano, pelo acerto científico de nossa hora. No dia 31, escolha 77.

Silvio Simione da Silva é professor do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Acre

26 comentários:

Lindomar disse...

Caro Altino,

O texto do professor Silvio é bastante objetivo, claro e seus argumentos são deveras embasados. Parabéns ao professor!
Penso que essas verdades deveriam ir ao ar especialmente nas televisões locais que estão distribuindo grandes mentiras a respeito do tema como se verdades fossem.

Bom trabalho e 77

Lindomar Padilha

Julio Cesar disse...

Altino,

Como os irmãos Vianas cresceram dentro de uma casa pro-ditadura fica facil entender porque agem assim. Custava consultar ao povo acreano? Aluguei uma moto com som e já estou nos bairros pedindo votos. Vamos dar o troco votando 77.

Kátia Oliveira - Jornalista disse...

Sem entrar em questões políticas, voto no 77, porque nasci no Acre e há 40 anos tinha o fuso horário acreano como regulador do emu organismo. A mudança para mim trouxe inúmeros transtornos e acho que a hora é de corrigir isso.

Buerão disse...

Vão surgir belos textos a favor e contra a mudança do horário, como esse do professor Silvio, porém não é isso que vai me fazer votar no 77 e sim a revolta pela imposição de um tal Tião. Talvés votaria até a favor da mudança, se ele tivesse me perguntado antes. Vá mexer nos ponteiros do seu relógio ou se muda pra outra cidade se quer ficar na "hora mais certa", aqui o povo acrEano é quem manda e decide, não a Globo ou seus interesses particulares.
Ta chegando a hora de mudar a hora!! 77

Marcos disse...

Infelizmente, os nobres querem voltar ao atraso... como comerciante, que gera emprego, voto "55"... quero o bem para esse estado... temos que sair desta mesmice, deixar a politicagem de lado... Sim para o Acre, Sim para o Progresso, Sim para o Horário.

Evandro Ferreira disse...

Marcos, ninguém quer voltar ao atraso...os fusos horários existem por questão geográfica e não política ou econômica.

Voltar ao fuso horário que nos foi usurpado é um avanço, um avanço em direção a hora correta do Acre.

O bem estar da coletividade deve sempre se sobrepor a ganância econômica de uns poucos!

Evandro

Fátima Almeida disse...

O texto do Prof. Silvio Simione flui como o curso de um igarapé. Um belo encontro da literatura com a ciência e com a natureza. Voto 77, claro. Esse texto deveria ser distribuido nas escolas pelos professores de geografia porque não é apenas elucidativo como informativo. Mas o ovo da serpente que está na Educação provavelmente não permitiria.Como nos tempos da Inquisição, vale a autoridade, bane-se a ciência.O Tribunal Eleitoral está com a venda nos olhos porque permite que a propaganda pró-imagem do governador eleito cometa abusos gravíssimos como o de colocar frases na boca de um jovem que relaciona votar no 55 como isso fosse algo "pela juventude". Digam a eles que esperem sentados por empregos na Rede Globo, nos bancos, nas madeireiras, na pecuária....

silene.farias disse...

Meu voto é 77

Eu não me acostumei.

Jean Freire disse...

Altino,

Obrigado por nos brindar com esse post! Parabéns ao Professor Sílvio pela lucidez que tratou o tema. Longe da "paixão" com que alguns têm tratado e outros pela superficialidade na defesa do 55.

Não acredito em todo esse prejuízo financeiro que o horário antigo trazia ou na "pujança econômica" que ora esse novo horário tenha nos proporcionado. Não duvido que tem quem o defenda com medo de ofender o rei! Já estive em várias comunidades da zona rural aqui do Alto Acre. As vozes são uníssonas em afirmar: esse horário novo não emplacou ainda. Mais atrapalha do que ajuda.

A reclamação é recorrente. A mais comum é a crianças terem que sair cedo demais - ainda escuro - de suas casas para esperar o transporte nos ramais. Considero a maior balela esse negócio de dizer que, ao deixar o trabalho, ainda de dia, poderemos aproveitar mais a vida. Eta historinha pra boi dormir! Uma das coisas que mais acho engraçado é a defesa que uns fazem afirmando que fica difícil falar no sul do país, realizar transações econômicas, pegar avião etc. Até parecem mega-empresários falando.

Sugestão: àqueles que defendem o 77, leiam e releiam esse texto. Acredito ter os mais sólidos argumentos pró horário antigo do Acre!

jletto disse...

Esses que estão defendendo a permanência desse horário imposto de forma arbitrária pelos Vianas que se acham os donos do Acre, com certeza pensa e age que nem eles só defendendo os interes dos grandes e de si próprios e sem o mínimo de humildade para fazer uma consulta popular com a cumunidade.

Hamilton disse...

Quanta lorota neste artigo, primeiro criança vai dormir tarde se os pais deixarem, segundo, melhorou o comércio e muito (tem comentário de comerciante aqui comprovando isso), terceiro, o horário de funcionamento das escolas foi adequado, não por conta do relógio biológico (o ser humano se acostuma a qualquer horário, se fosse assim não haveria horário de verão, nem vigia noturno), e sim por conta da claridade do dia, no horário antigo +- 5:25 já estava claro, hoje fica claro +- às 6:25 (logicamente). Contra a lorota e o revanchismo VOTO 55.

this.Log disse...

77 sempre. Trabalho com georeferenciamento e sei muito bem o que é 'mudar um estado de lugar'. Isso, esse horário é uma pouca vergonha. Saúde sobrepõe dinheiro. Viva bem.

Fernando disse...

Excelente texto do Prof Silvio, assim como é excelente o texto que li semana passada defendendo a mudança.
Nestes últimos dias o assunto no Acre é esse o 77 ou o 55 estão na boca do povo, das pessoas com quem converso, a maioria diz que aprovou a mudança, mas, votará 77 simplesmente pela forma como foi feita, vá entender?!?!?!
Independente de beneficiar a globo, o sbt a record ou qq outra emissora de tv, e ainda, independente da forma como foi feita, EU aprovei a mudança, sair do trabalho e ainda poder fazer um programinha de final de tarde com os filhos, fantástico. Nas escolas dos meus filhos houve mudança, nas escolas dos filhos e netos da minha secreta que moram no bairro vitória, também houvem mudanças. EU VOTO 55, por vários beneficíos que a mudança me forneceu, porque lembro que quando trabalhava no comércio 1 hora fazia muita diferença, enquanto estávamos na correria da tarde tentando negociar uma duplicata que havia vencido (quem é comerciante sabe o que é isso) lá do outro lado do mapa os caras tinha ido embora, ou ainda, quando tinhamos uma demanda para o dia seguinte e precisavámos conversar com os fornecedores, eles já haviam saído, era um inferno, isso por causa de 1 horinha. O comércio que representa uma enorme fartia dos empregadores do Acre com certeza aprovaram, seus colaboradores, talvez nem tanto. Filho que acorda tarde pq dorme tarde, hmmm, não sei, meus filhos (menores) dormem cedo e acordam cedo pq têm a responsabilidade de assim acorda e ir à escola.
Poderia descorrer todos os beneficios que a mudança me trouxe, mas prefiro dizer que VOTO 55.
Não porque adoro a globo (nem assisto tv) ou pq sou correligionário do Tião Viana, ou ainda porque o galo tá doido e não sabe q horas cantar, enfim.
Voto 55 porque para mim a mundança foi boa.

Fernando

BárbaraCameli disse...

ótima explanação! um texto que expressa a minha opinião em relação aos vários aspectos dessa mudança, parabéns , VOTO 77 :*

Marcelo disse...

VOTO 77

GERA disse...

Voltar ao horário é um atraso na economia para o comercio, enquanto na Europa que é muita vezes maiores que o Brasil estão diminuindo os fusos como por exemplo a Alemanha que estar cogitando adiantar os relógio de 03 a 04 horas com relação a china só para mater contato comerciais de acordo com Jana Paschen perdem inúmeros contratos e com isso perdem também empregos. A Rússia em 23 de março de 2010, diminui os fusos horário de 11 para 9. a própria idéia foi levantada pelo proprio presidente da Russia, que segundo especialista, a diferença entre os fusos horário dificulta o trabalho de muita organizações, inclusive empresas privadas, como bancos, que precisa fazer transações entre suas agências. Nem na Alemanha e nem Russia não houve plebiscito para consultar a população, porque isso só gera despesas para a nação, a população destes paises é sabe a diferença de política para politicagem.
O professor foi muito ruim em seu depoimento, pois mostra que existe dois polos dos que vão votar 77.
Os partidários e dorminhocos.

Julio CSG disse...

Nessa história toda, o mais ridículo foi ver um publicitário defendendo a alteração da "hora legal".. foi patético. E o auto da lei, aonde estava? lógico, já prevendo a merda que iria dar, ficou escondidinho! Realmente concordo com o professor.. por uma questão de democracia e da ordem natural das coisas, a hora deve voltar como era antes!

Marcel disse...

Eu acho impressionante é como o povo que defende o horário atual não sabe interpretar bem um texto.
Quase todos associam a reclamação do "acordar no escuro" com "sono". A questão não é essa pessoal. Quem defende a volta não é pra durmir mais. A questão é o perigo, principalmente no interior, na zona rural. Imagina seu filho sair de casa às 5:30 da manhã pra pegar barco, andar nos ramais e estradas para aí sim pegar uma condução pra ir na escola? Imagina vc ter que pegar o primeiro ônibus que sair pra não chegar atrasado no trabalho? E tudo isso às escuras?

Concordo totalmente com o texto.
Pensem no coletivo antes de votar. Não pensem apenas em vocês. O Referendo das Armas é um exemplo de que a população votou em quem necessitava, e não pensando somente em si.

homemverde disse...

Prof Silvio
Lendo o texto, senti orgulho de ter sido seu aluno.
Sobre a mudança, alguem ai comentou que quem quer que mude é dorminhoco. Eu não sou dorminhoco, sempre acordei vinte minutos antes das seis horas para ir a aula, e depois para ir ao trabalho. Nunca cheguei atrasado a nenhum compromisso, marcado para as primeiras horas da manhã. Desde que mudou o horario, não durmo mais direito, nao tenho hora certa para dormir, e reduzi minhas horas de sono, para no maximo cinco horas. Me sinto mal. me sinto na ditadura militar. Me sinto no AI-5. Tem gente que fala em atraso em relação ao país. Que se exploda o resto do país, pois eu moro no Acre. Quem quer viver no horario de Brasilia, que vá morar em Brasilia. Eu sou acreano, com e, quero ser acreano, quero morar no Acre, e quero acordar com o nascer do sol, e nao quando o AI-5 me mandar acordar. Não somos todos comerciantes. Somos policiais, professores, alunos, medicos, garis, trabalhadores rurais, e tambem merecemos respeito.
Devido a meu trabalho, ando bastante na zona rural. Em uma ocasião, perguntei a hora a um cidadão em um ramal, e ele respondeu que eram tres horas. Perguntei se ele não estava enganado. O homem perguntou se eu queria saber que horas eram no horário de Deus, ou no do Tião, porque para ele, o que estava valendo era o horário de Deus. Veja que o tal tião rivaliza com o proprio Deus, na visão do homem simples. Eu sou um homem simples tambem, e como tal, quero o horario de Deus. Viva o horário de Deus. Vote 77.

Marcelo disse...

para GERA, então a população brasileira deve dormir durante o dia e praticar comércio a noite! Certo?
O Brasil tem grandes acordos comerciais com japão, china e Europa!
E o que vc tem a falar sobre isso?

Marcelo disse...

VOTO 77

Márcio Chocorosqui disse...

Embora eu não precise acordar cedo, sei que o horário atual pode ser inconveniente para quem tem que trabalhar de manhãzinha. Muitas pessoas, inclusive, acordando sem a luz do sol, o que deve contribuir para aumentar os gastos com energia elétrica. Ou será que não?
Talvez o horário atual seja conveniente a canais de televisão, a empresários e banqueiros, que, segundo dizem, podem lucrar mais com isso. Porém, quanto desse lucro caiu na conta do trabalhador assalariado?
* * *
O artigo do professor é bastante elucidativo.

Janu Schwab disse...

Gostei do texto do Professor. Esclarecedor para quem pensa em votar no #77. Precisamos de um texto tão esclarecedor quanto para o #55. Mas, independente desse ou daquele, o que importa é poder votar. Afinal, na democracia verdadeira, quem escolhe somos nós!

=)

José disse...

Parabéns ao professor Silvio Simeone, excelente Geografo, voto 77, meu organismo pede.

Marcus Dantas disse...

Se vai ser 77 ou 55, pouco me importa, vou acordar mais cedo ou mais tarde do mesmo jeito. Agora me importo sim, com os (cerca de) 50 funcionários que trabalham comigo em uma obra, e que têm, tinham ou terão no horário atual a possibilidade de todo dia trabalhar 1(uma) hora(extra) a mais, melhorando assim, seu salário em pelo menos R$ 135,00. digo isto pois começando mais tarde(77), para fazer esta hora a mais, ele terá que sair mais tarde - ...sair mais tarde..., mais perigoso..., mais assaltos..., mais pedágios... e mais um monte de coisas. Enfim, tem gente dizendo que o salário não aumentou, mais para esse aí, R$ 135,00 por mês, vai fazer falta...

Maria de Jesus Morais disse...

Eu também voto 77.