sábado, 16 de outubro de 2010

POVO DECIDIRÁ A HORA LEGAL DO ACRE

Por causa do Horário Brasileiro de Verão (HBV), que começa à 0h de domingo em 10 Estados e no DF, a população do Acre, que não terá de adiantar os relógios em uma hora, voltará a conviver com duas horas de diferença em relação ao horário de Brasília.

Tradicionalmente, durante a vigência do HBV, a diferença da hora legal do Acre chegava a três horas em relação a Brasília. Porém, a Lei 11.662, de autoria do senador Tião Viana (PT-AC), governador eleito do Acre, sancionada em maio de 2008 pelo presidente Lula, reduziu em uma hora a diferença sob a alegação de aproximar o Acre ao Brasil.

Como o processo foi conduzido sem consulta à população, o Senado aprovou, em novembro do ano passado, um decreto legislativo. De autoria do deputado Flaviano Melo (PMDB-AC), o decreto possibilitará a realização de um referendo no próximo dia 31 de outubro para que o eleitorado acreano decida se quer ou não que o horário oficial do Acre permaneça com uma hora de diferença em relação ao de Brasília.

Quando os 470 mil eleitores do Acre participaram do primeiro turno, o Estado estava com uma hora de diferença em relação a Brasília. No segundo turno, além de votar para presidente, o eleitorado acreano participará do referendo sobre a polêmica mudança.

O referendo vai custar R$ 1 milhão à União. A Justiça Eleitoral supervisiona os comitês extra-partidários contra e a favor da mudança do fuso horário. Os comitês dispõem de espaço gratuito na mídia para que possam fazer suas respectivas campanhas.

O eleitor terá que responder à seguinte pergunta do referendo: "Você é a favor da recente alteração do horário legal promovida no seu Estado?". Quem for a favor da mudança terá que digitar o nº 55; e quem for contra a mudança terá que digitar o nº 77.

Programação da TV
O movimento político para alterar o fuso horário começou após entrar em vigor a portaria 1.220/07, do Ministério da Justiça. A portaria determina que as emissoras de TV adaptem suas transmissões aos diferentes fusos horários vigentes no País em função da classificação indicativa dos programas.
A novela exibida após o Jornal Nacional, às 20h30, no horário de Brasília, deveria ser exibida nas diferentes regiões do País às 20h30, no horário local. Para transmitir sua programação ao vivo para o País, a TV Globo, por exemplo, alugava apenas um canal de satélite.

Quando a portaria do Ministério da Justiça entrou em vigor, para adequar a programação, a TV Globo teria que alugar dois canais adicionais de satélite - um para atender as regiões com fuso de -1 hora em relação a Brasília (Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, oeste do Pará) e o outro satélite exclusivo para o Acre e sul do Amazonas, com fuso de -2 horas em relação ao DF. O custo para o aluguel de um canal de satélite era estimado em US$ 5 milhões/ano.

As emissoras de TV radicalizaram a ofensiva contra a medida, prevista no Estatuto da Criança e Adolescente e na Constituição Federal. Por causa da portaria, as emissoras tiveram que alterar a grade da programação nos estados das regiões Norte e Centro-Oeste, que possuem fusos horários diversos do adotado em Brasília. Elas tiveram que atrasar a programação em uma hora e também alegam o pesado custo da gravação dos programas.

4 comentários:

Altemar disse...

Então a Globo e cia querem mandar no Acre?
Me ajude

GERA disse...

CAROS ALTEMAR,
ESTE HORARIOS FOI FEITO PARA MELHORARAR O COMERCIO COM O RESTOS AGORA SE VC NUNCA TRABALHOU, VOTE NO 77.

Evandro Ferreira disse...

Gera,

Você não deve viver no Acre e se vive, só deve ter passado a trabalhar quando o horário foi mudado de forma arbitrária dois anos atrás não é mesmo?

O Acre sempre viveu bem com seu horário antigo. O fato de ter economia mais fraca que grande parte dos outros estados da federação não tem nada a ver com fuso horário.

Avanço econômico e cultural não tem nada a ver com fuso horário. Se assim fosse, Los Angeles (EUA), que está atrasada 3 horas em relação a New York, teria pobreza de fazer inveja aos africanos. E não é isso que acontece.

Não fique desesperado com a iminente vitória do 77. Tente convencer potenciais eleitores com argumentos plausíveis.

Evandro

Lindomar disse...

Caro Altino,

Quanto a questão do fuso horário, penso que é preciso medidas mais urgentes por parte do TER AC em função do desrespeito ao povo acreano e das inúmeras inverdades que tem sido vinculadas na imprensa local por parte da frente pelo sim. Primeiro, chamam os acreanos de preguiçosos em manifestação clara de preconceito contra essa gente lutadora e digna em oposição à parte da Nação (no caso o Centro-Sul do país) como se aqueles fossem melhor que estes (nós).
Segundo, e tão desonesto quanto, são as outras inverdades apresentadas sistematicamente na imprensa. Só para citar algumas:

“As novelas terão que ser gravadas se voltarmos ao horário antigo”. Ora, a programação que sofre restrição, sofre por força da lei e não de nosso horário. E aí já cai por terra outro argumento mentiroso o de que “os telejornais e o futebol também serão gravados”. Isso é absurdo uma vez que futebol e telejornais não sofrem restrições legais. Outro argumento falacioso é o de que “atividades de caráter Federal como recorrências a medidas judiciais, concursos públicos, ações no INSS... seriam em desfavor do Acre por causa do atraso no horário”. Todas as ações e medidas que envolvam serviços públicos Federais já são adequadas considerando a diferença de horário,(veja o caso das eleições e funcionamento das urnas) independente de que esta diferença seja de uma, duas ou três horas (1 2 ou 3).

Bom trabalho.

Lindomar Padilha