quinta-feira, 21 de outubro de 2010

CORTE DE ENERGIA NO COMÍCIO DO PSDB



O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teve que interromper o discurso na noite desta quinta-feira (21), em Rio Branco (AC), após corte no fornecimento de energia elétrica no Ginásio do Sesc.

Alckmin, que participava de comício em apoio ao presidenciável tucano José Serra, chegou a discursar cerca de um minuto quando começou o corte no fornecimento de energia.

Aproximadamente mil pessoas compareceram ao comício. Alckmin discursou no escuro, sem uso de equipamento de som.

O diretor operacional da Eletrobras no Acre, Celso Mateus, negou que a interrupção tenha motivação política.

"Nós estávamos com problema de sobrecarga no alimentador 5, do bairro São Francisco. Fomos transferir carga para o alimentador 4 e com isso interrompemos o fornecimento de energia para o local onde estava sendo realizado o comício. Estávamos realizando uma manobra puramente técnica. A verdade é essa, mas sei que ninguém vai acreditar na minha cara. Não foi nada partidário, acredite", afirmou Mateus.

Piada

Na quarta-feira (20), a direção da TV-5, afiliada da Band no Acre, negou ter censurado uma piada de Marco Luque no programa "CQC". "No Acre, não existe bombeiro. Eles usam elefantes para apagar incêndio", disse Luque na transmissão.

O áudio da piada de Luque foi cortado durante a transmissão do programa, que é gravado por causa da diferença de duas horas entre São Paulo e o Acre.

O dono e superintendente da TV-5, Pedro Neves, alegou que Rio Branco sofre com frequentes oscilações de energia e que isso altera a qualidade do sinal.

Neves disse ao Portal Imprensa que o áudio da transmissão do "CQC" teria sido afetado pela instabilidade da rede elétrica.

4 comentários:

Francisco disse...

Idoso quase foi nocauteado pela bolinha de papel.Eu aumento mas não invento e dessa maneira o Zéarroganteserra disse em entrevista que o objeto lançado sobre o 'aeroporto de mosquito' pesava por volta de meio quilo.O apedrejamento das suas mentiras começou naquele instante.O projétil lançado seria uma bolinha de papel com enchimento de algodão ou um tijolo de isopor?

Janu Schwab disse...

Serrez fez um dramalhão. Fato. E "no que se refere" a Dilmó, caso a coisa coisada fosse nela, o drama não seria muito diferente.

E Lula, ao invés de relativizar, ia esbravejar, ficar vermelho e dizer que o ato foi uma tentativa de golpe. Hipótese. Porem, entretanto, baseada em fatos.

Essa foi uma campanha de "meninos" birrentos.

Marcel Marques disse...

Então senhor Francisco o senhor defende que candidatos da oposição sejam agredidos, desde que com bolinhas de papel com enchimento de algodão ou isopor ou nenhum, correto? Acrescentando-se claro, as ofensas infantis relativas a aparência física deles e não as suas biografias, desse jeito pode e deve-se certo?

Agora falando sério, ridícula a falta de respeito da militância do PT-Rj, bem como as declarações do presidente Lula, que ao invés de recriminar veementemente a violência praticada, preferiu colocar mais lenha na fogueira, uma pequena demonstração do grande democrata que é.

Fátima Almeida disse...

Também acho que o Lula é infantil. Ele conversa com a câmera, em tom coloquial, quase íntimo, como se estivesse conversando no comitê com seus fanáticos.Engraçado, eu li a matéria da Época sobre a Dilma e me tornei supersolidária a ela por tudo que passou, prisão por dois anos e tres meses, tortura,etc, enquanto muitos que se arvoram em "esquerdistas" de ultima hora, estavam vivendo de modo ultraconfortável. Não voto nela porque sei que ela não tem um olhar adequado para as questões ambientais e que o PAC é um trator enorme atropelando tudo, inclusive a legislação ambiental. E a plataforma dela é o PAC. Esse megaprojeto de ligação rodoviária por toda a américa latina, com pontes, portos, etc..para exportação de produtos primários; hidrelétricas impactantes, etc..afora os escandâlos periódicos e constantes envolvendo a casa civil, a família Sarney, etc..etc..Mas não fico olhando os provavéis defeitos dela e nem concordo com as coisas depreciativas que colocam na internet a respeito dela.Eu sou apenas uma eleitora, cidadã e tenho horror á violência, á virulência, a fanatismos.