terça-feira, 17 de agosto de 2010

JESSÉ SANTIAGO MORRE EM ACIDENTE


O presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, vereador Jessé Santiago (PSB), morreu na manhã desta terça-feira (17) após acidente na BR-364, a 70 quilômetros de Cruzeiro do Sul.

Santiago pegou carona numa caminhonete porque o avião em que pretendia viajar para Rio Branco não pousou em Cruzeiro do Sul em decorrência da gigantesca nuvem de fumaça que tomou conta do Acre.

O vereador havia agendado para esta terça compromisso de gravação de sua participação no horário eleitoral, pois era candidato a deputado federal.

Outras duas pessoas morreram no acidente -uma assessora parlamentar e uma criança- e quatro permanecem internadas em estado grave.


A fumaça na região certamente dificultou a visão do motorista e causou o acidente no trecho em obras da BR-364, além da precária sinalização.

O prefeito de Rio Branco Raimudno Angelim (PT) divulgou nota de pesar e decretou luto oficial de três dias na cidade.

Saiba mais na Tribuna do Juruá
.

6 comentários:

Alberto disse...

Caro Altino,

Sinto em lhe dizer mas voce esta, ou foi mal informado. O local em que ocorreu o acidente nao estava com sinalizacao precaria. Eu passei por la horas antes do acidente e tambem estava retornando a Rio Branco e lhe afirmo com certeza que o desvio estava sinalizado o suficiente a fim de alertar os motoristas que por ali passaram.

ALTINO MACHADO disse...

Caro Alberto, as fotos dos sites não mostram a área tão bem sinalizada conforme você afirma ter presenciado. Vou admitir que aquele trecho seja diferente do que prevalece nas ruas e nas demais estradas acreanas. Abs

Leao disse...

Meus Pesames as familias do JESSE, Queline e da criança. Amigos passei por esse local quando vinha de Cruzeiro para Rio Branco. Neste local tem um retão e na subida da ladeira não da pra ver a sinalização de um desvio que tem logo na descida a direita. De cima da ladeira para a vala aberta (boeira em construção) dá aproximadamente 30 metros. Quem vem subindo a ladeira não vê a sinalização. O nosso carro que vinha aproximadamente 80 por hora (estrada boa até a subida da ladeira), no retão não conseguiu fazer o desvio. O carro passou dos camburões que fazem a sinalização e parou com muita dificuldade a 5 metros da vala aberta. Com muita dificuldade conseguimos dar ré e pegamos o desvio. Confesso que fui “Covarde”, tive um pensamento que ali alguém ia passar direto. Não parei para puxar os camburões para cima da ladeira por ser de madrugada, pois resolvi prosseguir. Não pensei que ali fosse morrer um amigo meu. Mais, era tantas ladeiras perigosas que não dava para tentar resolver o problema da sinalização, portanto prossegui. Hoje estou de coração partido. Estou me perguntando: Tudo está escrito? Tinha que acontecer? Porque que não Parei e consertei os camburões, já que pensei naquele momento que alguém poderia se acidentar? Afinal estou me sentindo culpado. Portanto, já que fui figura desse caso, mando um recado aos motoristas de área Urbana. “Não pensem que dirigir na CIDADE é a mesma coisa que dirigir em ESTRADA”. Tudo diferente. Boa sorte pra quem vai pegar a estrada!!!

Alberto disse...

Vi placas de advertencia ate 200 metros antes do desvio. Distancia suficiente pra reduzir a velocidade e ficar alerta. Aquele local fica numa area de reserva indigena. Uma pena que as pessoas nao respeitem a sinalizacao e ultrapassem o limite de velocidade. Tenho certeza que nenhuma foto publicada na imprensa mostrou alguma placa, e sim somente o carro destruido. Enfim, e lamentavel saber que tres pessoas perderam suas vidas ali. Inclusive uma delas, que eu conhecia.

Andarilho disse...

As sinalizações existentes nas estradas do Acre, quando em construção ou similar, são precárias. Quando tem é um plaquinha do tamanho de um folha de A4. Deveria ser muito mais que isso.
Com uma fumaça dessas que encobre nosso Estado, quanto mais sinalização melhor.Se é preciso colocar sinalização luminosa, que seja colocado.
Não quero colocar a culpa nisso ou aquilo. Mas, é um ponto a ser observado.
Quando se chega a hora da 'passagem' não tem desculpas.
E uma coisa é certa dirigir em estradas não é como dirigir nos centros das cidades.
MEUS PESAMES AS FAMÍLIAS DAS VÍTIMAS.

Marcel Marques disse...

Fiquei vendo e revendo as fotos da tribuna do juruá, lendo outros jornais eletrônicos e impressos, bem como também os comentários aqui.

Na minha pouca experiência de vida, o que conheço de estrada de terra é que, acima de 60 por hora, torna-se impossível você parar em razão de uma emergência, sejam buracos, valas ou animais na pista.

Às 6 horas da manhã ainda está escuro na minha casa, o sol começa a nascer por volta das 06h20min graças a mudança do fuso, o que pode ter sido mister para a inobservância das placas de sinalização, do desvio ou mesmo da vala.

Aliado a isso, paira uma fumaça desgraçada em todo o Estado (o que me deixa agora com uma gripe terrível em casa).

Bom, as condições do motorista só podem ser especuladas (por enquanto), mas com tudo que coloquei antes, isso era uma tragédia anunciada que poderia ter ocorrido com qualquer um, na mesma ou em outras estradas do Estado.