terça-feira, 20 de julho de 2010

PECUÁRIA E FLORESTANIA

Na terra de Chico Mendes e Marina Silva, governo do PT apoia senadora ruralista do DEM



A senadora Kátia Abreu (DEM-TO), principal voz em defesa dos ruralistas no país, foi recepcionada pelo governador Binho Marques (PT), na noite desta segunda-feira (13), em Rio Branco, onde participaram da inauguração da sede da Federação da Agricultura do Estado do Acre (Faeac). A solenidade foi prestigiada pelo ex-governador Jorge Viana (PT), candidato ao Senado.

Na terra do seringueiro Chico Mendes e da senadora Marina Silva (PV-AC), ambos símbolos internacionais do movimento ambientalista em defesa das florestas da Amazônia, Kátia Abreu foi muito aplaudida por fazendeiros e autoridades petistas ao defender abertamente a derrubada de florestas para a expansão pecuária.

— Não se planta arroz em cima de árvores. Não se cria bois em cima de árvores. Infelizmente ou felizmente, as áreas precisam ser abertas para a produção de alimentos. Quem dera fôssemos capazes de produzir comida sem ter que desmatar uma área, sem ter que arrancar do chão nenhuma espécie de plantinha. Seria um milagre extraordinário. Infelizmente, nós não somos capazes ainda de descobrir uma tecnologia que evite a abertura de áreas.

Durante a solenidade, a senadora assistiu a um vídeo sobre o Acre, produzido pelo pecuarista Assuero Doca Veronez, presidente da Faeac. Não conteve a emoção e foi  aplaudida por fazendeiros e antigos companheiros de Marina Silva e Chico Mendes.

— Imaginem o que seria do verde se todo mundo gostasse do amarelo. Eu vejo as imagens da boiada do Acre correndo pelos pastos e eu sinto o meu coração estalar. Eu sinto o peito encher de orgulho e admiração pelo meu país, pelo que nós conseguimos com essa pecuária maravilhosa, construída pelo esforço único e exclusivamente dos pecuaristas do Brasil.

De acordo com Kátia Abreu, Veronez é uma referência extraordinária em meio ambiente, tema que ela considera “importante e doloroso”.

— Pode existir alguém no país que conheça de meio ambiente igual ao Assuero. Nunca ninguém mais do que ele. Há 13 anos este homem luta incansavelmente para ver a legislação ambiental modificada. Quero declarar ao Acre a gratidão de 5 milhões de produtores rurais a um acreano de coração, que é o Assuero Doca Veronez.

A senadora também não poupou elogios ao deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), considerado por ela como “símbolo” que foi capaz de operar mudanças em benefício dos ruralistas.

— Um símbolo porque ele não é da direita, ele não é conservador, ele não é fazendeiro. Portanto, as pessoas puderam enxergar de alguma forma honestidade, clareza, bom senso e isenção na matéria. Se fosse um de nós, produtores rurais, relatando essa matéria, não teríamos sucesso. Precisávamos de um símbolo da esquerda, não produtor, nacionalista de bom senso e de coragem para alterar o Código Florestal Brasileiro.

A senadora ruralista disse que o Brasil jamais será o mesmo após o relatório Aldo Rebelo.

— Nós conseguimos destruir um mantra altamente negativo para este país. Às ONGs radicais e fundamentalistas, não me envergonho de dizer, elas possuem o meu desprezo total e absoluto. Elas defendem apenas os seus interesses íntimos, mas não têm amor por este país nem compaixão dos mais pobres.

Convite

O governador Binho Marques (PT) convidou Kátia Abreu para permanecer por mais tempo no Acre, no final do ano, antes dele deixar o cargo.

– Até lá, terei todo o prazer de recebê-la no nosso Estado, para mostrar que, além de hospitaleiro, é um Estado que tem muito a ensinar ao Brasil. Falo isso com toda a sinceridade. Não é porque é um político que está falando que essa fala não merece crédito. Embora os nossos políticos estejam bastante desacreditados de modo geral, no Brasil, os políticos do Acre têm se destacado por uma correção na sua atuação – afirmou.

Binho Marques disse que nunca poderia imaginar, quando organizava os “empates” — resistência pacífica dos seringueiros contra a derrubada de florestas, liderada por Chico Mendes –, que um dia estaria no meio de pecuaristas.

— Estou tão à vontade, me sentindo em casa. Talvez a senadora já não compreenda a lógica do Acre, mas o Acre é assim. Nesses anos todos de militância pelo Acre, eu e Assuero tivemos caminhos bem paralelos. Nesse caminho, mudei muito e talvez o Assuero mais ainda.

De acordo com o governador petista, o que mais aprendeu nos últimos anos foi descobrir as semelhanças. Ele assinalou que os pecuaristas têm um papel importante na economia e na sustentação do projeto político no Acre.

— Esse projeto que, de fato, não é de governo, não é de partido, é um projeto da nossa sociedade. Foi construído a muitas mãos, com muito debate, com muita dificuldade, mas não significa que a gente traduziu tudo a um consenso falso.

Binho Marques acrescentou:

— Graças a Deus depusemos as armas há muito tempo. Aqui nós nos desarmamos há muito tempo.

O governador reforçou que se sentia à vontade, acolhido e respeitado na sede da Faeac. Companheiro de Chico Mendes e considerado o melhor amigo da senadora Marina Silva, Marques, em fevereiro, enviou documento à Câmara Federal em que defendia os 80% de reserva florestal em propriedades na Amazônia.

Ele dizia concordar com ajustes e atualização do Código Florestal Brasileiro, desde que os avanços conquistados fossem mantidos. Mudou de opinião diante de Kátia Abreu.

— Custei a entender a posição do deputado Aldo Rebelo, mas hoje eu descobri que o professor Raimundo, um dos primeiros comunistas do Acre, foi fundador da Federação. Os comunistas sempre tiveram uma quedinha pelos ruralistas. O Acre não é complicado, mas é complexo. Eu sinto que tudo isso é só o começo. Sinto que o Assuero vai investir cada vez mais no plantio de florestas e quem sabe eu vou abrir uma fazendinha. Muito agradecido. Aqui está tudo muito lindo e maravilhoso.

4 comentários:

Marcel Marques disse...

Toda essa história de florestania do PT no Acre é, e sempre foi para inglês ver.

É revoltante observar impotente uma elite acreana que fez sua imagem em cima de um homem que, verdadeiramente era um defensor da floresta e por defendê-la foi assassinado, justamente por estes bons pecuaristas gaúcho-acreanos.

E Aldo Rebelo não passa de um estúpido, como todo bom comunista. Basta "googlar" seu nome e observar os maravilhosos projetos apresentados por ele.

Eraldo Paulino disse...

É incrível como o PT consegue descer cada vez mais ladeira abaixo em nome do poder a qualquer custo.

É uma pena que a Marina tenha ido para o PV, inclusive, que mesmo antes de chegar a ser um partido grande já se alia com PSDB e DEM em vários estados como foi o caso do Pará...

Tivesse ido pra outro partido, talvez Marina pudesse unificar a esquerda de novo em torno de um projeto menos meia boca que o do PT

Abraço, meu caro.. um grande blog tens por aqui!

Altemar disse...

Puta que pariu...

Marcel Marques disse...

Pequeno Eraldo, você como todos os acreanos deveriam acordar para a realidade e parar de endeusar Marina Silva.