domingo, 28 de dezembro de 2008

POST DE UM FRACASSADO

Aldo Nascimento

Primeiro, ouvi o que o jornalista Antônio Alves expressou quando recebeu o Prêmio Chico Mendes. Depois, com muita atenção, li o texto. Em blog e em jornal, propagou-se a idéia de que Antônio Alves é uma voz crítica dentro do poder, até Altino Machado concordou com isso.

Se fosse voz crítica, o bom Toinho Alves não estaria no poder. Como permanecer nele se sua fala se opõe à pensão vitalícia dos governadores? Como permanecer nele se sua fala propaga que não houve revolução na educação acreana? Sobre pensão e pseudo-revolução, silêncio.

Quando digo voz crítica, refiro-me a uma voz que emite rupturas. No poder, com seus amigos, Toinho não promove rupturas, mas se conserva no poder para pagar a conta de luz, as compras do mês, o crediário, para receber prêmios - coisa de que não gosta, disse certa vez.

Quando os senhores falarem de voz crítica, por favor, citem Frei Beto, por exemplo. Ele saiu do poder e revelou em livros o que blogs e jornais não publicam.

Neste pequeno mundo chamado blog, deixo aos teus olhos meu último artigo deste ano. Queria muito, minha mãe, que a senhora o lesse para comentá-lo, porque a senhora é a única que acessa minhas vãs palavras. Meu sonho desde criança, a senhora sabe, era ser um Altino Machado para não ser acessado só pela senhora. Paciência, sou um fracassado.

Leia no blog Língua, de Aldo Nascimento, "Do gado da reserva extrativista ao gado do rodeio". Além de blogueiro, Aldo Nascimento é revisor da Tribuna e professor de português na rede pública estadual. Meu comentário: cada um faz o que pode para pagar as contas.

14 comentários:

EDUARDO DUZEK disse...

ENTÃO QUE DIZER QUE ESTE RAPAZ É O QUE TEM A MANIA HORRÍVEL DE CORRIGIR OS TEXTOS DO PERIÓDICO A TRIBUNA? MEU DEUS!

ELE TEM O VÍCIO GROTESCO DE "ABRASILEIRAR" AS PALAVRAS. INTERNET, VIRA INTERNETE. ORKUT, E TORNA ORKUTE E REPÓRTER, POR IRÔNIA DO DESTINO E TORNA REPORTE. ME AJUDE!

OS ERROS ENTÃO NÃO SÃO DOS JORNALISYAS, MAS SIM DO REVISOR?

Anônimo disse...

É ISSO AIM MEU CARO EDUARDO 200ZEK, O ERRO É DO "ERREVISOR".

E É DOIDO PRA PEGAR UMA BOQUINHA TAMBÉM NO GOVERNO, MAIS SO ELE NÃO SABE QUE O GOVERNO NÃO QUER ABRASILEIRAR UM CARIOCA...

Janu Schwab disse...

Toinho é um cara lúcido. E ajuda na contínua busca pela lucidez dentro Sistema - que nem sempre é tão lúcido assim. Agora, abrasileirar um carioca? Não entendi. Cariocas não são brasileiros?

Anônimo disse...

O Toinho é como diria seu guru: Tão Acre!

Anônimo disse...

Carioca é Disney.

Anônimo disse...

Acho que a questão seria assim: "Acariocar o brasileiro", assim como o personagem do Disney, dos gibis.

Anônimo disse...

Você tem que publicar mais aqui no Altino, daí a turma passa a conhcer o seu blog, que aliás é muito bom.

Aldo Nascimento disse...

Duzek, meu querido, quando eu retornar das férias, dar-lhe-ei algumas explicações sobre "internete", sobre estrangeirismo. Acho que você irá amá-las.

Caso queira debater comigo - e aldoro isso -, é bom retirar seus livros de sua biblioteca. Quanto a mim, só leio as orelhas(kkkkk).

Um abraço!

Aldo Nascimento disse...

Anônimo, não troco a minha liberdade lúcida de escrever por uma vaguinha no governo. Pago minhas contas como professor e como revisor.

Quanto a Altino, ele é ótimo, tenho por ele uma admiração sincera, um acreano que rompe com o silêncio. Espero que ele nunca seja cooptado pelo poder. Claro que comete alguns vacilos, mas, como um todo, vale pela obra.

Vida longa, Altino!

Anônimo disse...

Este apóstolo das Letras tem virtudes inquestionáveis:
-A humildade de um Jó que assume, no texto, a realidade de sua condição de fracassado.
-O humanismo de um franciscano que se preocupa, por mais de uma oportunidade, com as contas mensais de um irmão, o qual afirma ser um bom homem e de quem gosta tanto. Emocionei-me ao ler, tanto este texto, quanto seu comentário anterior. Vai ser sincero assim lá no Rio de Janeiro!

Walmir

Anônimo disse...

Brincadeira esse revisor do Jornal A Tribuna, bom pensava que nem tinha revisor, faltou o MEGA-SENA QUE ELE ESCREVE ASSSIM MEGASSENA. Meu amigo para de puxa o saco do Antônio Alves.

Aldo Nascimento disse...

Ao anônimo, digo-lhe: não sou puxar-saco de Toinho Alves, porque tenho o meu próprio saco.

Tatiana Carbone disse...

É Altino... o sr. sempre me supreende com as verdades nuas e cruas existentes nos mais diversificados desfiles de vaidade que imperam no meu Estado! Quando o assunto é "poder" os corajosos e os covardes facilmente são identificados! PARABÉNS pelo TRABALHO ALTINO!

Anônimo disse...

Estudei no Ideal e precisei mudar de turno para poder ver o conteúdo de literatura porque o "prof." Aldo só enrolava e não dava aula. Ele também escrevia errado no quadro, e no blog dele é a maior empáfia, se apresenta como um profundo conhecedor da língua. KKKKKKKKKKKKK