sexta-feira, 17 de outubro de 2008

CHICO VIVE E DARLY FICA EM CASA

O fazendeiro Darly Alves da Silva, 74, mandante do assassinato do líder sindical e ecologista Chico Mendes, ocorrido na noite de 22 de dezembro de 1988, em Xapuri (AC), dessa vez não teve que fugir pelo portão de entrada do presídio do Acre, como em fevereiro de 1993, quando contou com o apoio de pecuaristas, políticos e policiais do Acre.




O fazendeiro voltou a deixar o mesmo presídio neste 2008, mais conhecido no Acre como “Ano Chico Mendes Vive!”, instituído que foi pelo “governo da floresta”, para marcar a passagem dos 20 anos do assassinato do seringueiro de Xapuri. Dessa vez, Darly saiu sob escolta da Polícia Militar para cumprir mais três meses de prisão domiciliar concedida pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre.

Baseados em laudo da Junta Médica Oficial do Estado do Acre, os advogados do fazendeiro conseguiram convencer os desembargadores Feliciano Vasconcelos (relator), Francisco Praça e Arquilau Melo de que Darly sofre de graves problemas de saúde - úlcera, visão deficiente, problemas pulmonares e intestinais. A prisão domiciliar, em princípio, só é admitida para presos que cumprem pena em regime aberto. Excepcionalmente, a jurisprudência concede o benefício quando é comprovada doença grave e o tratamento médico não poder ser ministrado no presídio.

Mas, após manifestação do Ministério Público, a juíza Maha Kouzi Manasfi e Manasfi, da Vara de Execuções Penais, havia indeferido a sugestão de prisão domiciliar. A direção do presídio chegou até a afirmar que poderia fornecer dieta especial ao preso “nos termos da orientação médica” e enviou à juíza uma cópia do cardápio da alimentação especial fornecida a quem dela necessita.

- Verifica-se que na mesma Unidade Prisional há outros presos acometidos com tal enfermidade e ainda assim encontram-se segregados, recebendo os cuidados exigidos, conforme se extrai da lista de reeducandos que necessitam de dietas especiais e do cardápio de dietas, elaborado pela nutricionista da empresa Tapiri, que é a responsável pela confecção das refeições, dando conta do elevado número de reeducandos que recebem dietas especiais - assinalou na ocasião a juíza ao decidir sobre a sugestão da Junta Médica.

Leia mais no Blog da Amazônia.

5 comentários:

Mambira xixica disse...

PIADA DA MAMBIRA:

Diretor do Detran Cesário
compra bafômetros e distribui para a Ciatran e Polícia Rodoviária Ferderal. A ação do diretor Cesário visa coibir os motoristas que dirigem alcoolizados, fazendo confusões e causando acidentes. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkk

Sereno disse...

Derly mandou matar o Chico. Copiou mais ou menos o exemplo de Caim. Derly poderia ser o meu ou o seu pai, assim como o Chico. Todos podem cometer desatinos. A conta de certos atos é bem alta. Mas um dia chegaremos todos na casa do Pai, passando, é lógico, pela sepultura.

Cartunista Braga disse...

É, Sereno, você está coberto de razão. Mas Ilzamar, Sandino e Elenira nunca mais terão o Chico Mendes de volta, e saber que seu assassino, sempre que tem uma dor de barriga vai pra casa tomar chazinho com bolacha não é nada agradável.

Saramar disse...

Altino,
a hipocrisia do Estado brasileiro é nauseante.
Enquanto usa a imagem de Chico Mendes que fez sozinho o trabalho que este mesmo estado deixou de fazer, proporciona privilégios para seu algoz

beijos
P.S. Andei afastada dos blogs amigos porque estive muito doente. Agora, começo a melhorar e vou voltando às visitas, aos poucos.

Thiago Silva disse...

Misto de revolta e conformismo...

Só lembrando para a cara Saramar que Chico não fez o trabalho sozinho... Muito pelo contrário! Muitos companheiros (muitos deles notórios políticos atuais!) ajudaram e batalharam com o grande Chico Mendes.

Um nome que não poderia deixar de lembrar da batalha dos empates e da grande revolução florestal é Wilson Pinheiro.

Luz e paz a todos! E melhoras para Saramar!