segunda-feira, 20 de outubro de 2008

BRIGA DA HORA

Antonio Alves

Bem, aqui estou de volta à cidade depois de um Papo de Índio muitíssimo interessante, que não tardarei a contar. O encontro indígena foi na aldeia dos Puyanawa, em Mâncio Lima, uma vila já bastante urbanizada mas que teve a lucidez de não aceitar o tal horário novo, como está acontecendo, aliás, em várias outras aldeias e comunidades do Juruá.


Mas o mundo Terra e seus povos ficam pra depois, hoje quero só deixar um recadinho sobre o fuso horário. Leio no blog do Altino (sempre ele!) que o deputado federal Flaviano Melo, apoiado por outros parlamentares, está encaminhando a realização do referendo popular sobre a mudança sobre o assunto. O que impressiona é a desfaçatez de convocar o referendo para as próximas eleições. Daqui a dois anos!

Flaviano foi a favor do horário novo, enviou carta ao senador Tião Viana pedindo que este intercedesse junto ao presidente Lula para mudar o horário do Acre. Sérgio Petecão é outro que apoiou, animadamente, o projeto do Tião. Agora, que já sentiram a revolta de uma grande parcela do povo, estão tentando livrar a pele.

Imaginem a próxima eleição: duas vagas do Senado em disputa, uma concorrência insana pela cadeirinha federal que a oposição consegue fazer... e o povo vendo a questão do horário, depois de dois anos e meio, transformada em política partidária.

Não dá pra aceitar. Vou botar a banquinha na Esquina da Alegria. Não dá pra contar com a CUT, que promoveu uma consulta desorganizada em algumas escolas e nem divulgou o resultado. (Percebendo o repúdio da maioria ao novo horário, o Manoel, em um acesso de fúria peleguista, mandou jogar fora os papéis.) Mas talvez apareçam alguns sindicalistas independentes (ainda existem?) pra ajudar. Por onde anda aquele grupo de estudantes da UFAC? Vamos lá. Esperar pelos políticos é roubada.

Tenho certeza de que dá pra juntar milhares de assinaturas a favor de um referendo já, agora, imediatamente. Pra divulgar temos os blogs, porque na imprensinha oficial não sai nada mesmo. Pega a baladeira aí, menino. Bota palanqueta no bisaco, que vamo guerriá.

Antonio Alves escreve no blog O Espírito da Coisa.

10 comentários:

Anônimo disse...

Oba estou de acordo caro poeta. A grande maioria desses políticos quando vê o povo contra as besteiras que eles fazem, sem nossa opinião coloca logo os quartos de banda, agora vão te que lidar com as conseqüências para conserta a hora.
O poeta posso colocar uma barquinha na praça principal, como diz você “Barriléia”, onde tem um tacaca delicioso, e coletar assinaturas, e ai nosso Acre será o mesmo sem crianças, jovens e adultos sonolentos.

leila Ferreira

acreucho disse...

Taí Toinho, sou a favor de fazer esse referendo logo. Gastaram uma grana pra ouvir um "não" a respeito das armas. Porque não se pode gastar alguns trocados fazendo a coisa agora, enquanto o assunto ainda está quente?

Anônimo disse...

Tô contigo, Toínho, temos que montar o negócio logo. Como você bem disse, evitam-se duas coisas: primeiro que esperemos tanto tempo com essa anomalia, esse estupro imposto pelo Tião (com o apoio de todos esses aí que vc falou); depois, essa questão não pode se tornar, nas próximas eleições, matéria prima para disputa política. Acho que quem sai perdendo na jogada é o próprio Tião (Flaviano é raposa velha). Tão rápida quanto foi sua presteza em conseguir aprovar e sancionar a mudança, poderia tentar (também rápido) desfazer a "cagada".

morenocris disse...

Ôba. O legal no Altino é que o seu blog não pára um minuto. Está sempre em movimento. E isso é muito importante em uma guerra. Ou seja, o blog é uma tática. Que os outros sejam assim também.

Beijos.
Bom dia.

Anônimo disse...

Creio que de fato não da para contar com a CUT nesta questão do fuso, como diz meu amigo Aldair Matias "quem tem CUT tem medo". Também parece que não tem como contar com o DCE da UFAC estão todos prestando serviço ao governo, já faz tempo que são funcionários do Carioca e sua tropa de choque. Na eleição da UFAC se recusaram a puxar o voto universal. Se o poeta que parece ser também acessor do governo for para ruas então farei o mesmo.

aurora20 disse...

Afinal de contas que horas são? Preciso ajustar o relógio...

Anônimo disse...

QUEM SABE (volta/faz) A HORA!

é uma sugestão de nome para o movimento do da esquina da alegria.Acho mesmo que esse é um bom motivo para sacudir os habitantes do aquiri, que não aceitam a hora imposta por decreto e sim àquela que a natureza nos legou.

Anônimo disse...

Não adianta minha gente! Não vão mudar horário nenhum!! E sinceramente referente a essa altura do campeonato?? Não faz sentido mesmo!! Não existe a minha chance dele rolar!!

Obs.: Vê se publica a note Altino!!Tu tem mania de nao publicar bicho!!

Edson disse...

Toinho precisa isso não meu caro. Deixa como está, pior seria se agora estivessemos a três horas de Brasília (com o horário de verão) há coisas mais necessárias para se corrigir. Continuo teu fã, no entanto esse negócio de horário a maioria será contra mexer de novo. Se não crês põe a mesa na esquina da Alegria para veres o fiasco.

Anônimo disse...

gente!! pra q voltar ao atraso de novo??..confesso q eu mesma logo de ínicio não gostei nem um pouco da idéia. Porém,isso é uma questão de hábito. Vamo arregalar os olhos mais cedo sim!!!..depois dizem q os baianos..q são folgados!! ¬¬