segunda-feira, 31 de março de 2008

"MATARAM OS IDEAIS DO CHICO"


Ilzamar Mendes, a viúva do líder sindical e ecologista Chico Mendes, faz uma dura avaliação no momento em que o virtual Comitê Chico Mendes, o PT e o "governo da floresta" do Acre começam a "comemorar" os 20 anos do assassinato do seringueiro de Xapuri. "Essas pessoas mataram os ideais do Chico", afirma a presidente da Fundação Chico Mendes. Eis a entrevista:

Chico Mendes vive?
Eu acredito que quando é pra usar a imagem do Chico, ele vive. Os ideais verdadeiros do Chico ainda existem nos corações e nas mentes das pessoas, dos seus verdadeiros companheiros, mas, infelizmente, hoje eles não têm voz nem vez na política estadual ou federal.

Por que acontece isso?
Infelizmente as pessoas que estão no poder mudaram muito seus pensamentos, seus ideais. Na verdade, o pensamento, a posição, os ideais do Chico, eram outros que, como acabei de falar, infelizmente são esquecidos.

Qual o ideal do Chico Mendes que morreu?
Chico lutava pela vida, pela preservação da Amazônia. Infelizmente tenho que dizer que o que se vê é a destruição da nossa Amazônia. As nossas madeiras, as nossas florestas, estão sendo destruídas. Eu dou como exemplo o seringal Cachoeira, entendeu? Foi o berço, onde o Chico começou a ser perseguido mesmo, onde começou a sua luta em defesa e hoje se você for lá vai constatar que o seringal Cachoeira está completamente destruído. Transformou-se em fazenda. Para sobreviver, os colonos são obrigados a vender as madeiras, as suas terras porque não existe uma política para ajudar os colonos, ribeirinhos.

A ministra Marina Silva, o ex-governador Jorge Viana e o atual governador Binho Marques. A conquista do poder não significou avanços?
Tenho que falar, e não estou falando só por mim, mas dos companheiros do Chico com os quais ainda tenho contato. Infelizmente, essas pessoas, que conviveram lado a lado com o Chico, que eram sabedoras dos seus ideais, da sua luta, infelizmente mudaram seus pensamentos. Hoje, o que é importante para essas pessoas é o poder e não os ideais do Chico. Fazem qualquer coisa para se manter no poder. Companheiros que realmente estavam lado a lado com o Chico não têm voz para dizer para estas pessoas o que eles necessitam. Hoje o que se vê são pessoas dentro de seus gabinetes, no ar-condicionado, fazendo o que bem entendem, mas não vão ouvir o que a população carente necessita.

Como seria tratado alguém que surgisse hoje com as mesmas atitudes do Chico Mendes?
Eu teria até pena. Fariam qualquer coisa para eliminar essa pessoa. Mas elas existem. Se não são ouvidas, se não têm voz, é porque as pessoas que estão no poder não dão voz a essas pessoas. Mas ainda existem pessoas que querem dar continuidade aos ideais do Chico e que não têm voz e não são ouvidas.

Estamos completando 20 anos do assassinato do Chico Mendes. Fala-se muito em comemoração...
Eu daria até um recado a essas pessoas: que não são 20 anos de comemoração, mas de avaliação dos 20 anos, porque os verdadeiros ideais do Chico estão esquecidos, não existem mais. Que este seja um ano de avaliação e que estas pessoas que estão no poder hoje se lembrem verdadeiramente, com humildade, dos ideais do Chico, que não era o de fazer qualquer coisa para se manter no poder, mas sim defender a vida dos mais humildes, levar escola, educação, alimentação e ser igual a todo mundo, sem poder para meia dúzia de pessoas, esquecendo dos que realmente defendem a Amazônia, que realmente precisam sobreviver porque são elas que realmente sabem como tratar a floresta. Que estes 20 anos sirvam para que as pessoas possam avaliar isso. Para mim, que fui companheira do Chico, é, ainda, um ano de muita tristeza porque infelizmente os ideais do Chico foram esquecidos.

Você acha que é possível mudar ou existe uma tendência de esquecimento mesmo?
Eu, após 20 anos da morte do Chico, não tenho mais esperança. É uma tendência de esquecimento mesmo. O Chico vai ser lembrado sempre em comemoração, para que as pessoas possam aparecer, mas quanto aos ideais dele não tenho mais nenhuma esperança.

O governo do Acre e o Comitê Chico Mendes estão planejando uma série de eventos em memória desses 20 anos. Você tem participado disso, tem sido consultada?
Eu quero deixar bem claro aqui: no governo do Jorge Viana eu ainda era convidada a participar de alguma coisa, mas no governo do Binho Marques eu fui eliminada, assim como outros companheiros. Não sou convidada a participar de nada. Para você ter uma idéia: participei do Prêmio Chico Mendes porque a Elenira, que faz parte do Instituto Chico Mendes, chegou para mim e falou: "Mãe, você não foi convidada, mas você tem que participar". E eu entrei de bicão porque não me convidaram. Fui e participei, mas não fui convidada. Infelizmente eu ou os companheiros do Chico, que conviveram com ele lado a lado, nós não somos convidados para discutir qualquer situação.

Como você, presidente da Fundação Chico Mendes, lida com a imagem do Chico Mendes?
A imagem do Chico é muito importante, mas vou ser sincera: eu preservo mais os ideais dele. Isso é o que é mais importante. O Chico deu a vida dele por uma causa justa, em defesa da vida, da Amazônia. Acho que é essa a nossa luta e s pessoas que estão no poder têm que começar a ouvir a gente. Eu fico muito triste quando vejo pessoas que hoje estão no poder, que conviveram lado a lado com o Chico, inclusive comigo muitas vezes fazendo almoço, janta, dando apoio a essas pessoas. Tenho que ressaltar aqui: pessoas que colocavam mochilinhas nas costas, que não tinham como pagar uma refeição e que tinham o apoio meu e do Chico para dormir ou fazer uma refeição. Hoje esquecem disso e fazem qualquer coisa para ficar no poder. Procuram eliminar de qualquer forma tanto eu como os companheiros dele, porque a nossa posição é essa. Hoje, a política do Acre está voltada para a pecuária. Quem não lembra do fazendeiro Darli, que queria destruir o seringal Cachoeira, que o Chico organizou os seringueiros para impedir que fosse transformado em pasto para criar boi? Na minha opinião a política no Acre está mais voltada para a pecuária do que em defesa da vida, dos seringueiros, da Amazônia.



A pecuária é a atividade prioritária no governo da floresta?
Infelizmente essa é a minha opinião. E se você for conversar com outros companheiros do Chico, vai encontrar a mesma opinião. Acho que a política do Estado está voltada pra pecuária. E o que é a pecuária? É a destruição - criar pasto e criar boi. Se você voltar 20 anos atrás, você vai ver qual era a verdadeira luta do Chico.

O que você considera um erro do Chico Mendes?
Ter confiado em algumas pessoas. O Chico confiou em algumas pessoas e infelizmente ele morreu. Pessoas que o traíram e que na época já tinham a intenção de trair.

E como o PT se comporta em relação a isso?
Eu vou falar do Chico político. O Chico, se fosse vivo, não estaria no PT. Dias antes do assassinato, fui comunicada de que ele estaria pedindo a desfiliação do PT e iria se filiar no PV. Ele não estaria no PT hoje.

Você sente por parte das lideranças do PT que atuam dentro do governo do Acre cerceamento do movimento social em defesa da floresta?
Existe um grupo de pessoas que tentam controlar, que eliminam de qualquer jeito as pessoas que têm posições contrárias. Fazem isso para se manter no poder.

Nesta semana a imagem de Chico Mendes passou a figurar no topo da primeira página do Diário Oficial do Acre. Além disso, todos os impressos do governo estadual reproduzirão a mesma imagem. Isso contribui para firmar os ideais dele?
Não. É mais uma imagem sendo usada em vão. Os ideais do Chico realmente não são postos em prática. É a imagem sendo usada. Por quê? Porque a imagem do Chico vai dar poder a alguém. Os ideais dele morreram para essas pessoas. Não morreu para mim nem para os companheiros do Chico, mas para essas pessoas morreu.

Ou como você me disse ontem...
Essas pessoas mataram os ideais do Chico.

Como você vê o desempenho de sua filha, a Elenira...
Vou dizer isso a você em primeira mão: orgulho-me da Elenira porque vejo hoje o que o Chico pediu para mim há 20 anos atrás: que a Elenira desse continuidade à luta que o pai dela não iria conseguir vencer. O que vejo na minha filha é isso. Tenho certeza de que minha filha, em nome de Jesus, vai ter força, vai vencer e dar continuidade aos ideais do pai dela. E eu vejo nela a pessoa que vai ter condições de resgatar esses ideais que para muitas pessoas morreram.

É pelo fato de falar mesmo quando decide falar que você parece causar tanto mal-estar em antigos companheiros do Chico?
Essas pessoas podem querer achar que são os donos da imagem, que são os donos do Chico, mas eu tenho uma coisa que essas pessoas não têm: eu fui companheira, fui a esposa, e sou a mãe dos filhos dele. E foi no meu colo que o Chico deu o último suspiro. Então eu sei, porque era comigo, apesar de quem está no poder hoje não reconhecer e não aceitar isso... Eles conhecem o Chico líder, político, mas o Chico político e homem quem conhece sou eu.

Alias, ouvi do jornalista Elson Martins que você deveria ser respeitada pelo menos por ter sido a mulher que o Chico amou.
Exatamente.

Você acha que o Acre vê na figura do Chico Mendes o mito que ele é no plano internacional? Ou ele continua sendo alvo de preconceito e intolerância?
Existem grupos onde ele continua sendo alvo de preconceito, mas algo que nos deixa felizes é que todo ano, em época de vestibular procuram à gente porque a vida e a luta do Chico estão sempre presentes, está sempre formando os ideais dele em pessoas que depois possam dar continuidade. Para muitos a imagem do Chico é importante para o mundo, para o Brasil, em defesa da Amazônia, da vida.

Os governos petistas tentam nos fazer acreditar que os fazendeiros se alinharam ao discurso de defesa da Amazônia, da sustentabilidade. Você acredita nisso?
Eu não acredito. Sabe por que as pessoas sempre falam isso? É porque na época de eleição são os fazendeiros e madeireiros que financiam as candidaturas. Mas essas pessoas não são o progresso. Elas não são defensoras da vida. Essas pessoas são a destruição. Na verdade os seringueiros, as pessoas mais humildes, elas só são lembradas na época do voto. Elas não têm condições financeiras para financiar nada.

Quero agradecer pela entrevista, sobretudo após você ter recusado uma para o documentário que a TV árabe All Jazeera prepara sobre a história de Chico Mendes. Por que você recusou?
Eu não acredito em muitas pessoas. Eu preciso estar segura das pessoas sérias, das pessoas que vão realmente divulgar o meu pensamento, do que eu acho. É muito difícil eu dar entrevista. A Veja me liga oferecendo espaço e eu tenho sempre me mantido calada. Mas chega uma hora que a gente tem que falar, tem que falar, é preciso. Eu acredito muito num outro plano e o Chico está lá. Uma hora nós vamos nos encontrar e uma hora eu vou ter que chegar para ele não se envergonhar de mim e dizer que eu fiquei aqui e defendi. Hoje eu penso dessa forma.

10 comentários:

Marcos Venícios disse...

Altino, essa matéria, como vc tinha escrevido, vai causar um mal estar tremendo na alta cúpula do Governo. Depois dessas revelações, poucos veículos de comunicações irão dá ênfase ao conteúdo do teu blog. Mais uma vez, lhe dou parabéns Altino!!

Mais um furo histórico!!

Anônimo disse...

Mulher esclarecida essa viúva de Chico Mendes. Entretanto, terei de admitir que Chico Mendes nunca me sensibilizou...Acho que da mesma maneira que ela criticou os atuais governantes, quem garante que o tal do Chico, se estivesse vivo, não estaria fazendo a mesma coisa que nossos Vianas, Marina e Lula estão fazendo?

A farinha era a mesma, os ideais os mesmos, a luta e "companheirismo" tbm.

O Acre precisa crescer, e para crescer, precisará necessariamente desmatar, e muito. Propagandeiam que somos o Estado da Florestania, escondem-se atrás de véus de hipocrisia sensacionalista dos velhos ideais tupiniquins.

Precisamos é de um governo que assuma: Sim. Vamos desmatar, mas vamos fazer isso direito. Sim, vamos abrir espaços ainda maiores pra agropecuária, mas de modo coerente. Sim, vamos privatizar, mas regularizar.

Onde estaria Chico Mendes hoje?

Anônimo disse...

Altino,
há muito seu blog se tornou obrigatório entre as leituras diárias e não raro quebra o marasmo reinante do repertório habitual na internet e nas bancas. Mas hoje você se superou, ao nos premiar com a eloqüente voz de Ilzamar Mendes. A coragem de Ilzamar deve fazer corar aqueles que abanadonaram a luta - me refiro a todas as batalhas que muitos nós empreendemos algum dia - e ainda guardam alguma dignidade. Com a honra de conhecer sua filha, Elenira Mendes, pude advinhar sua força, sua pureza e sua lucidez. Agora, todos nós só podemos render homenagens à família Mendes, que vive a nos lembrar o que é grandeza.
Vera Artaxo

Saudades do Acre disse...

Eram farinha da mesma fornada, em sacos diferentes. Chico Mendes num saco. Marina Silva em outro saco, e os Viana num terceiro saco. A farinha, quando em sacos diferentes, raramente segue destinos iguais. E, com exceção do primeiro saco, haja saco e paciência p'rá tentar descobrir o destino dos outros dois.

otlima disse...

Poderão alguns ter tentado matar esse espírito, mas é por o manter vivo que estamos aqui a falar dele. Bem hajam. Octávio Lima (ondas3.blogs.sapo.pt)

disse...

Interesantissima entrevista, mais uma vez o seu blog é de leitura obligada. Parabéns e muito obrigada.
Além disso, parabéns também por a coherencia da Ilzamar Mendes.
Espero que a Elenira faça um bom trabalho.

Diego Ferraz disse...

Mas uma vez, estou postando um comentário sobre o nosso Herói Chico Mendes, e mais uma vez, peço aos nobres colegas que estão aqui postando suas opiniões que estudem mais, se informem, antes de tentar denegrir a imagem do Chico... E mais um filho ou herdeiro de fazenda tentando defender os pais ou familiares atacando Chico Mendes... Existem outras maneiras de fazer isso colega! Seja feliz em seus comentários , mas sem ofender ninguém... Chico Mendes era "farinha da boa"!!! Por tanto, ponha-se no seu lugar... estude, tenha o mínimo de fundamento...

Álvaro Junqueira disse...

Caro Altino,
Sou de Florianópolis e cheguei ao seu blog por acaso, graças ao comentário de alguém no blog do Reinaldo Azevedo sobre as declarações da Ilzamar.
Em geral, sou muito cético com todas as pessoas que dizem defender a humanidade. Tenho as piores impressões do ser humano em geral. Maquiavelicamente, acredito que o que nos comanda são os sentimentos mais baixos, de sobrevivência, mesmo. Coisa acumulada durante bilhões de anos em nosso "chip" encefálico.
Como não gostaria de fazer como uns e outros aqui neste espaço, prefiro, antes, ouvir a opinião de alguém que conhece a realidade local e, principalmente, priva, pelo que deu para depreender, da confiança da Ilzamar.
Seguindo meus instintos, a impressão que ela me deu é de estar chateada por não estar levando a sua parte do butim. Pareceu-me mais uma ressentida, por estar excluída do festim, do que alguém, de fato, preocupada com os tais ideais de Chico Mendes.
Como sou visceralmente anti-petista, por acreditar que eles estão desconstruindo a institucionalidade em nosso País e agindo como lavanderia das mais imundas reputações deste País, gostaria de colocar esse post na ciranda internética, mas, antes, gostaria de saber que tipo de comentário poderia acompanhar a minha campanha viral.
Parabéns pelo furo e um abraço de um colega jornalista.

Frank Batista disse...

Muito oportuna a pergunta sobre comemoração dos 20 anos sem Chico Mendes e na mesma medida, com extrema inteligência a resposta da entrevistada afirmando que é ora de avaliar esses 20 anos. Conciliar interesses é uma equação que não se resolve quando o assunto é lucro e qualidade de vida de trabalhadores. É claro que não se pode negar os avanços da Frente Popular no governo do Acre. Não podemos esquecer os governos do início dos anos 90, as crises com funcionalismo público e institucional do Estado, os braços armados,o desrespeito aos "povos da floresta", o Plano Colômbia, etc., Práticas efetivamente combatidas. Por outro lado se acertamos, não quer dizer infalibilidade. Houve mudanças de prioridades, percursos, flexões políticas. É mesmo estes 20 anos um bom momento para avaliar. O que não nega a celebração anual para lembrarmos da liderança, mantermos viva a memória de Chico Mendes e cuidarmos para que nem ele, nem seus ideais (que se confundiram com os da esquerda acreana), sejam esquecidos ou desencaminhados. Parabéns pela matéria!

Xandoca disse...

Muito interessante o que diz a Ilzamar, porém, algo que não fecha nesta contabilidade, é de que forma ela faz melhor para o Acre e para o Brasil declarando o voto para alguéns (sei que não existe isto!) que só destruiram a natureza e sempre estiveram do outro lado da arma que matou o Chico: PFL e suas quadrilhas, como UDR (União Democrática Ruralista), TFP (Tradição, Família e Propriedade) e Opus Dei? Por que o Serra, um dos carecas amestrados de FH e ACM, vai fazer o que nunca fez quando poderia ter feito, afinal esteve no Poder Central por mais de 10 anos.