quinta-feira, 22 de março de 2007

DEPUTADOS AO TIRO

Deputados estaduais que tanto gostam de pescar, especialmente Naluh Gouveia (PT) e o presidente da Assembléia Legislativa, Edvaldo Magalhães (PC do B), deveriam por à prova a imunidade parlamentar indo fazer a próxima pescaria na fazenda Piracema, de propriedade de Edilberto Moraes, o Betão.

O assessor do governo, Dudé Lima, genro do fazendeiro, com certeza se encarregaria de levar como convidados especiais o ex-governador Jorge Viana e o ex-prefeito Mauri Sérgio, outros dois inveterados pescadores de peixes e votos.

Os açudes da fazenda formam um espelho dágua com mais de 200 hectares, povoados por jacarés, pacus, piaus, tambaquis e traíras.

11 comentários:

walmir disse...

Este texto me lembra um velho adágio, bastando adaptar:
"Açude que tem traíras, jacarés nadam de costas."

Anônimo disse...

Se não pescarem nada, no mínimo encontrarão silêncio no meio do açude, com a água até o pescoço, contemplando a lua crescente com seu brilho esmaecido pelo céu enevoado.

Anônimo disse...

Ainda bem que eles serão convidados.
É claro, vão armados também
de Anzol e caniço.

O povo pra gosta de pesca em açudes de fazendeiros.

Anônimo disse...

Candirú no dos outros é refresco.

Anônimo disse...

Ai Walmir, tem outro muito bom: Açude que tem traira,
macaco bebe água de canudinho.

Anônimo disse...

As traíras e os jacarés sempre se superaram e por isso sobrevivem.Nesses açudes só não têm vez as piabas.

Anônimo disse...

Altino, esqueceu de colocar na pescaria o ex deputado Polanco este deixou de ser deputado amis não perdeu a maninha de pesca.
Ainda bem que ele vai pescar na fazenda dele proprio e claro e la do outro lado ver ser convida os companheiros Polanco.

Anônimo disse...

Piaba que se preza, não gosta de açude. Sabe que jacarés e traíras se desenvolvem e superam devorando peixe miúdo. Vôte!!!!

Toinho Alves disse...

Seria interessante que os deputados encontrassem silêncio no açude. Virariam poetas blogueiros ou, quem sabe, anônimos.

Anônimo disse...

É possível ser deputado e ao mesmo tempo anônimo? É difícil,pois as mariposas do poder adoram as luzes focadas em si.Ser poeta é saber ouvir o silêncio,esta condição também não lhes é permitida pois têm que ouvir o clamor das ruas.Que os deputados ouçam o clamor de nós anônimos: Trabalhem em prol da segurança, saúde,educação e cultura para cada individuo pois, anonimamente votamos, sempre na esperança de que agora a vida vai malhorar."Candirú no dos outros é refresco",ótimo!Valeu colega anônimo.

Angela Ursa disse...

Altino, homenagem super merecida essa para a Glória Perez. Abraços da Angela Ursa :))