segunda-feira, 27 de novembro de 2006

"SÓCIOS" INFORMAIS

Elson Martins

O jornalista Altino Machado me apresentou esta semana como “sócio” (assim, entre aspas) do seu blog. Presumo que o parceiro reclama, com alguma ironia, do fato de eu aproveitar em Almanacre matérias que ele recebe de colaboradores do Acre efervescente que admiramos. São histórias boas de contar, ler, reproduzir... Vai daí, em vez de ofensa, considerei promoção. Afinal, eu vinha sendo identificado como “colaborador” - o que tenho sido de verdade desde o nascimento do seu blog.

Eu e Altino atuamos na imprensa acreana faz um bom tempo. Mais novo que eu, ele foi repórter do jornal A Gazeta do Acre (hoje Gazeta) e da TV Aldeia quando eu era diretor. Já nos anos noventa ele me substituiu como correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo”, função que exerci de 1975 a 1983. De 2000 para cá tentamos fazer algo juntos uma pá de vezes, mas os ventos sopravam para outro lado. Ele então amarrou a mula no blog e eu me tornei colaborador incerto.

Altino é repórter e editor internauta entre os mais devotados. Seu blog tornou-se leitura obrigatória para quem quer saber notícias do Acre de forma atraente, ágil e às vezes instigantes. Digo que ele encontrou seu estilo. Para mim, porém, a informação eletrônica não anula a impressa - diria até que não tem o mesmo charme, pelo menos para os não apressados como eu. Refiro-me mais à forma que ao conteúdo, e confesso que para ler alguns artigos longos que encontro na rede eletrônica, eu tiro cópias para ler na minha rede, de fios de algodão.

Mas reconheço que na internet - mais que em qualquer outro meio - tem um maior número de pessoas falando as coisas com estilo leve e solto e sem autocensura. O blog do Altino é um exemplo: por sua competência e por acolher colaboradores que o enriquecem. E, o que é melhor: de graça! Acho um luxo você poder publicar textos de pessoas como Glória Perez, Leila Jalul, Mario Lima, Alceu Ranzi, Terri Aquino, Mary Allegretti, entre outros, todos com muita qualidade... Por isso tenho feito esforço para gastar menos dinheiro com cartuchos de tinta para minha impressora.

Quanto ao meu vício de fazer jornal impresso, não tem cura: há cerca de oito semanas, lancei Almanacre, que sai aos domingos procurando sondar a alma do Acre. Por enquanto é apenas uma página impressa, mas sonho com algo maior no futuro. E quero fazer esse trabalho a quatro, cinco, incontáveis mãos, coletivamente. Por isso cato histórias no blog do Altino, nos arquivos do Océlio Medeiros, nos meus alfarrábios, citando a fonte.

A propósito, quarta-feira eu telefonei à Leila Jalul pedindo para publicar seus textos no Almanacre (fiz o mesmo com a Glória Perez recentemente). A Leila, companheira das guerras noturnas do bar Jirau nos anos setenta e, provavelmente, dos serenos do clube Rio Branco em meado dos anos cinqüenta, assentiu logo, cheia de ânimo. Mas recomendou: “Rapaz, pede pro Altino te passar uma crônica que mandei pra ele ontem! O título é Notre École, sobre o Colégio Acreano”.

E lá fui eu perturbar o “sócio” novamente.

Elson Martins é jornalista acreano e realmente somos "sócios" informais neste blog, onde os textos dele sempre dignificam o espaço. Ele assina semanalmente a coluna Almanacre, no jornal Página 20, de onde retirei essa referência. É um profissional tarimbado que admiro desde os 13 ou 14 anos, quando eu ainda morava em Cruzeiro do Sul (AC), no extremo-oeste do Brasil.

5 comentários:

Paulo disse...

Este blog até que é legalzinho, o probelma são os textos longos e chatinho. Tudo vai e vem do acre, oras pois, a impressão que fica é que o Brasil se resume a terra dos indios e nada mais. Existe vida além do acre sabia ou não? De resto é papo careta para meia duzia ler. Lamentável a perda de tempo e de espaço, Pois não?

Altino Machado disse...

Paulo, depois daquele "os textos são longos e chatinho (sic)"... Vei ler títulos do material das agências de notícias? São bem curtinhos. Aqui, na terra de índios, dizemos que o caminho do feio é por onde veio.

Moisés Arruda disse...

Parabéns pelo blog, Altino. Muito interessante! Identifico-me com algumas de suas causas, suas queixas e seu palavreado pq sou amazonense. Também dou minha pequena contribuição à valorização da região com o meu "Amazonas in Sampa" - algo bem modesto perto do seu trabalho. Faça-me uma visita. Abraços.

www.amazonasinsampa.blogspot.com

Leila disse...

Elson, querido, um dia nós vamos ser uma grande sociedade anônima, ou, quem sabe, uma grande sociedade dos poetas vivos e intransigentes. Quero seu e-mail. Quando nos falamos foi com a aquiescência da internet. Você, eu e o Altino, ao mesmo tempo. Quando toco flauta, não consigo chupar cana, entende? Me embaraço toda!
Não sei como funciona essa coisa moderna de internet, mas, dentro da minha pouca compreensão, acho que, jornal escrito é uma coisa, falado é outra, televisado é outra, e, blog é uma linguagem que a gente ainda não aprendeu. Questão de tempo! Faço uma força medonha para aprender e, o Altino, santa paciência, faz uma força enorme para me ensinar. A gente ainda chega lá!
Até o presente momento, não me vi tentada a escrever cifras e aberrações, tipo "naum tou, ker dexar rekado?"
Como castigo é bom e chega à galope, com certeza, ainda vou ver meus netos escrevendo: ó vó, sai da linha e me deixa transitar! Este mundo naum "pertense" + a ti. Recolht e vai rezar teu 1/3. Vc já foi d+, agora deixa espaço, agora vc é d-. Temanca!

Monte disse...

Altino: abaixo a adulteração do vernáculo e a preguiça para leitura! Espero que estejam bem vacinados contra melancólicos desinformados, pobres incapazes de ler "textos longos e chatinhos". O blog está de bom tamanho, sempre. É didático, rico, faz e resgata a história. Com a participação permanente de Elson Martins e tantos outros fica ainda melhor.