quinta-feira, 26 de outubro de 2006

MICO SOCIAL

"Linda e Radianate vaia a noiva". Quando li a legenda da foto, fui induzido a imaginar que duas mulheres (Linda e Radianate) teriam comparecido ao casamento e vaiado a noiva.

Reli e pensei: acho que o colunista social How Campos, do site Erros da Hora, na verdade tentou dizer que a noiva chegou linda e radiante.

Mas não foi apenas a noiva que chegou. Ela e o noivo aparecem juntinhos na foto. "Vai a noiva" não soa bem, mas está escrito "vaia"... Será que a noiva foi realmente vaiada? Impossível.

O casamento do empresário Marcelo Dias com Isabelle Nunes, o mais extravagante do ano -foi construída até uma capela no estacionamento do hotel Imperador Galvez-, acabou exposto em mais um mico da hora.

Comentário do escritor Juarez Nogueira: "Wow!, diria o Paulo Francis. Questão aí não é de "erro" não. A lembrar o dito cartesiano, "o erro não é pura negação", isto é, simples carência ou falta de alguma perfeição por parte do indivíduo. Seguindo o raciocínio: é uma privação de algum conhecimento que se deveria possuir. Em resumo, é ignorância mesmo. Desconhecimento em estado latente (gostei disso, wow!) Não é infração de norma gramatical, a coisa aí denota é vício de linguagem mesmo, falta de trato com um linguajar com o qual o sujeito se esforça para usar com "naturalidade" e... falha. E não dá para relativizar o "erro" porque não se vê, sob os "Holofotes", a intenção deliberada de reforçar a mensagem em nome da arte, da originalidade ou da eficácia da mensagem. Boa oportunidade mesmo é para rever o "estilo" de linguagem desse renitente viés paroquiano de colunismo social. Risível, no mínimo. O estilo é o homem, o texto não. Nem o pecado. O homem pode estudar, ler, aprender, aperfeiçoar. Não necessariamente nessa ordem. Ih, Altino, tô professoral. Wow! Será que se eu mudar para o Acre sobrevivo com e na redação? Um abraço!"

O casal deveria exigir alguma indenização do colunista e do site.
Clique aqui para ver a foto ampliada e para ler o relato chicoso de How Campos sobre a festa. Coisa da Terra de Galvez.

Em tempo: leio no blog Verbo e Devaneio, da jornalista Giovana Manfredi, da equipe de pesquisadoras da novelista Glória Perez: "Eu queria publicar o livro ou sair voando pela janela. Essa noite sonhei com o Herbert Vianna e o Altino Machado. Meu Deus!" Meu Deus, digo eu.

8 comentários:

Thiago disse...

O How é o responsável pela nota mais nonsense do ano, na minha opinião. Foi dias atrás, até salvei o texto. Saca só:

"Musicalidade

Para galera da música, a boa de hoje e amanhã é o Festival Varadouro, que acontece no Mamão Café. O evento é uma produção da Coletivo Rádio Cipó (!!), banda paraense que mescla estilos musicais do carimbó ao rap, na maior boa.

E olha que o Pará tá com tudo, vide o sucesso da Joelma e do Chimbinha, da Banda Calypso."

Juvenal disse...

Esperto q alguém do site leia isso: Eu e muita mas muita gente mesmo parou de visitar o site devido aos sucessivos erros, não seria uma má idéia colocar esse site concorrendo a um dos sites q mais erram em todo o mundo. Todo dia sem brincadeira vejo mais de 3 erros.

Juarez Nogueira disse...

Wow!, diria o Paulo Francis. Questão aí não é de "erro" não. A lembrar o dito cartesiano, "o erro não é pura negação", isto é, simples carência ou falta de alguma perfeição por parte do indivíduo. Seguindo o raciocínio: é uma privação de algum conhecimento que se deveria possuir. Em resumo, é ignorância mesmo. Desconhecimento em estado latente (gostei disso, wow!) Não é infração de norma gramatical, a coisa aí denota é vício de linguagem mesmo, falta de trato com um linguajar com o qual o sujeito se esforça para usar com "naturalidade" e... falha. E não dá para relativizar o "erro" porque não se vê, sob os "Holofotes", a intenção deliberada de reforçar a mensagem em nome da arte, da originalidade ou da eficácia da mensagem. Boa oportunidade mesmo é para rever o "estilo" de linguagem desse renitente viés paroquiano de colunismo social. Risível, no mínimo. O estilo é o homem, o texto não. Nem o pecado. O homem pode estudar, ler, aprender, aperfeiçoar. Não necessariamente nessa ordem.

Ih, Altino, tô professoral. Wow! Será que se eu mudar para o Acre sobrevivo com e na redação?

Um abraço!

marcos h. disse...

Moro no Rio Grande do Sul e leio o Altino diariamente. Fiquei conhecendo o blog na reportagem da revista Rolling Stone e acabei viciado. Que baita propagandam heim tchê! um abraço

Altino Machado disse...

Barbaridade, tchê. Acreanos e gauchos têm algo em comum: cantam o hino de seus respectivos estados. Volte sempre, pois de vez em quando da pra sorrir ou chorar. Abração

Giovana disse...

Foi um sonho bom, Altino, foi um sonho bom! Eu, vc e o Hebert falamos de política. :-)

beijão!

Altino Machado disse...

Herbert é demais! Só você mesma para conseguir nos reunir em sonhos. Ainda bem que não foi pesadelo. Quando voltar você m vai me contar esse sonho tin-tin por tin-tin. Prepare-se. Beijão

Dean disse...

Esse Juvenal...primeiro disse que parou de ler o tal site...depois disse que todo dia encontra 3 erros ou mais...hihihi...é porque parou de acessar o site....imagine se ele não tivesse parado!!!!