segunda-feira, 31 de outubro de 2005

CENAS DOS IMPACTOS



Por Irving Foster Brown (*)

As imagens de duas cenas do satélite sino-brasileiro CBERS-2, dos dias 21 de agosto e 12 outubro, na regiao ao redor de Xapuri e Cobija-Brasiléia-Epitaciolândia, permitem visualizar os impactos de queimadas e incêndios florestais que alteraram as copas das florestas. Existem outros incêndios florestais que se espalham no sub-bosque e não são facilmente detectadas por imagens de satelite ou sobrevôos.

O impacto das queimadas e incêndios é impressionante e só nesta cena existem dezenas de milhares de florestas com copas alteradas. Os próximos passos desta pesquisa incluem a quantificacão deste impacto e priorizacão de àreas no campo para estudos detalhados.

Para estes próximos passos vai ser necessária a colaboracão de pesquisadores, técnicos e líderes comunitários em vários municípios.

O Leste do Acre cobre 40 mil Km2, equivalente ao Estado do Rio de Janeiro. Em outras palavras: um bom estudo vai demandar um investimento de gente e recursos para cobrir uma área tão grande e diversa.


As queimadas não foram restritas ao Acre. Nas imagens red 20051012 da cena 180-113, que estende de Porvenir a Chive, em Pando, na Bolivia, existem queimadas ao longo do Rio Manuripi que cobrem, individualmente, até mais que mil hactares.

Consequentemente, é importante pensar em colaboracão regional no nível do MAP (Madre de Dios-Acre-Pando). Um grupo de trabalho de pesquisa está se formando para este fim.


(*) Irving Foster Brown é Ph.D. em Geoquímica pela Northwestern University (Estados Unidos). Desenvolve estudos nas áreas de Dinâmica do Uso da Terra e Florestas, Gerenciamento e Educação relacionados a Recursos Naturais e Mudanças Globais. Atualmente, desenvolve suas pesquisas no Parque Zoobotânico da Universidade Federal do Acre.

Um comentário:

Alceu Ranzi disse...

O Dr. Foster Brown é mais um dos cientistas que escolheram o Acre para viver e trabalhar. Além de sua liderança no PZ/UFAC, o Dr. Foster é uma referência quando se fala em MAP, a organização que envolve cientistas da Bolivia, Peru e Brasil e se preocupa com os aspectos ambientais e humanos da região da tríplice fronteira. Os comentários e observações do Dr. Foster merecem atenção.