sábado, 29 de junho de 2013

Telexfree: desespero, lágrimas e ranger de dentes dos investidores nos últimos dias


Um agravo regimental apresentado pela defesa da empresa Telexfree terá que ser julgado pelos desembargadores Samoel Evangelista, Waldirene Cordeiro e Regina Longuini.

O processo não consta na pauta de julgamento do Tribunal de Justiça para esta segunda-feira, mas pode ser incluído na pauta a pedido do relator, o desembargador Samoel Evangelista, que é o presidente da Segunda Câmara Criminal.

Na semana passada, Evangelista manteve a liminar da juíza Thaís Khalil, da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, no sentido de suspender as atividades Telexfree, a pedido das promotorias de Defesa do Consumidor e de Direitos Humanos do Ministério Público Estadual. A juíza e a família estão sob proteção porque foram ameaçadas de morte por divulgadores da empresa.

Desde sábado, conforme foto e relato do oficial de justiça e investidor Shawke Thielly no Facebook, a Telexfree passou a contar com "total apoio do governador Tião Viana", que "abriu as portas do seu gabinete" para ouvir "pedido" de três milionários da empresa no Acre.

Se o governador é mesmo tão poderoso, influente e apoia a empresa, a "família Telexfree" já comemorar antecipadamente uma vitória no Judiciário.  Waldirene Cordeiro é casada com o secretário de Fazenda Mâncio Cordeiro. Ela foi nomeada desembargadora pelo governador em novembro do ano passado.

A desembargadora Regina Longuini é casada com o desembargador Adair Longuini, que foi o mais firme e exaltado num esforço fracassado recentemente para que o processo da Operação G-7 permanecesse no Tribunal de Justiça.

Comentário do advogado Edinei Muniz:

- Como tudo no Acre começa e termina na política, aconteceu o inevitável: o processo da Telexfree está sendo politizado. Não tenho condições técnicas para afirmar se a referida empresa pratica ou não a tal pirâmide financeira. O que posso afirmar é que uma possível liberação da Telexfree agora lançará na opinião pública uma aparência de legalidade, que inclusive servirá de estimulo para inúmeras outras redes ilícitas. Será uma infestação que movimentará grandes somas da economia local. Aí fica a pergunta: se lá frente, estando certo o Ministério Público, a pirâmide ruir? Fatalmente a conta cairá no colo do Poder Judiciário.

Centenas de divulgadores da Telefree se deslocaram de todas as regiões do país para se juntar aos que têm realizado protestos nas ruas de Rio Branco contra o Ministério Público e a Justiça. Eles planejam bloquear as quatro pontes sobre o Rio Acre. Policiais estão de sobreaviso por determinação do comando da Polícia Militar.

No mais, o Ministério da Justiça abriu processo contra a empresa por suspeita de formação de pirâmide financeira.

A Telexfree também está sendo investigada por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

A empresa, que vende pacotes de serviços de telefonia com a ajuda de uma rede de colaboradores, será tema de uma reportagem no Fantástico neste domingo.

13 comentários:

Júnior Shin. disse...

Angariar fundos é preciso, afinal de contas vem se aproximando uma eleição e os traços catastróficos da eleição passada que ainda reflete no presente talvez não seja corrigido para que os cofres estejam prontos no futuro próximo...

Júnior Shin. disse...

Ah sim, sem contar que se trata de, o que, 75 mil (eleitores) Divulgadores?

É, muito bem hospitaleiro...

Rarismar Bezerra disse...

Investigar sim, mas fechar antes que seja declarada culpada isso é um absurdo. A Constituição Federal diz que ninguém é culpado até que se prove o contrário e aqui está invertido, pois está se dizendo que a empresa é culpada até que se prove o contrário. Todos são inocentes até que se prove e essa decisão foi arbitrária, pois não se provou nada contra a empresa. Que se continue investigando e buscando provas que realmente condenem a empresa. Tem-se que levar em consideração que muitas famílias voltaram a passar fome pro causa dessa decisão da justiça do Acre, onde nossos juristas continuam comendo bem todos os dias, dormindo bem, não necessitando de ônibus, hospitais públicos, educação de má qualidade. Enquanto isso tem muita gente que já vê seus filhos voltarem a passar fome, pois não tem mais uma renda mensal que lhe dê segurança pelo menos de comer dignamente todos os dias. Nesse embargo à empresa, os responsáveis pela ação deveriam iniciar um trabalho social, visitando as pessoas humildes que voltaram a passar fome e prestar-lhes assistência todos os dias até que essa decisão seja concluída.

antonio ribeiro disse...

Altino, admiro o seu trabalho como jornalista, mas ultimamente não concordo com a postura que você vem tomando em relação a aos investidores da telexfree, a impressão que tenho ou a impressão que você passa é de satisfação com a desgraça alheia e ainda de tripudiar sobre essa situação, não acho isso justo, afinal as pessoas que entraram são trabalhadores, aposto com você que não tem marginal ou político investidor da telexfree, então você deve ter mais moderação no que diz, você tem todo o direito de pensar o que quiser da empresa, mas direcionar sua crítica aos investidores é maldade.

antonio ribeiro disse...

sem contar que você nunca criticou o MP por tomar atitude tao tardiamente, no início do ano PROCON e MP fizeram o maior auê e não tomaram decisão nenhuma, o que fez com que muita gente entrasse achando que estava tudo legal, espero ver essa crítica em seu post e blog.

Gabriel disse...

Não sou contra nenhum tipo de investigação, mas não entendo essa perseguição contra a telexfree. Hoje, existem 21 empresas operando a mesma fórmula. Se é para tomar alguma decisão como essa, que seja feito para todas. Se não, tanto o MPE quanto a justiça perdem a moral em sua decisão. Além disso, alguém solicitou proteção ao MPE, para que essa ação civil pública tenha sido impetrada, tenha legitimidade... Ação civil é quando uma quantidade considerável de pessoas procuram o MPE e pedem proteção. E isso não foi feito. Não há uma pessoa sequer que tenha sido enganada. Então, cadê a materialidade e autoria do crime...É um julgamento baseado em suposição, em achismo, não tem substância jurídica. Ainda mais, trata-se de uma ação que impacta todo o país, portanto se esperaria que uma ação dessas deveria ser feita por um órgão nacional.

Carlos Bezerra disse...

Se o esquema for sustentável, a empresa vai ressarcir a todos os seus investidores, garantindo sua idoneidade, sem precisar da adesão de outros. É aguardar a devolução dos valores investidos e fazer como a sede nos EUA. Migrar para um novo modelo que não seja sustentado apenas com adesões.

Tadeu disse...

Como explicar que nos USA a Telexfree não sofreu nenhuma punição? e muito menos deixou de pagar seus divulgadores. E olha que lá, as leis contra economia leva milionários, empresários, investidores, juizes, artistas ou quem quer que seja para cadeia.

Jane disse...

Não concordo com sua posição, pois muitas pessoas com eu, investigaram a empresa e viram que a mesma age na legalidade. Portanto, o que não pode ser penalizado com sua atitude, são os divulgadores que tem seus investimentos bloqueados, na qual quem deveria ser investigada até que prove o contrário todos são inocentes perante a lei é a empresa.

Jane disse...

Não concordo com sua posição, pois muitas pessoas com eu, investigaram a empresa e viram que a mesma age na legalidade. Portanto, o que não pode ser penalizado com sua atitude, são os divulgadores que tem seus investimentos bloqueados, na qual quem deveria ser investigada até que prove o contrário todos são inocentes perante a lei é a empresa.

galliger Marcio disse...

Nao faço parte da empresa Telex Freee mas maioria da populaçao de investidores estao a favor da T.Free pq minuria quer fazer tempestade a voz do povo é a voz de DEUS fazem assinaturas contra essa decisão precipitada e mau investigada e arquiva e todos fiquem em paz.... Como antes

bruna silva disse...


contas da bboom bloqueadas

http://economia.ig.com.br/telexfree/2013-07-10/bbom-contas-sao-bloqueadas-pela-justica-por-suspeita-de-piramide.html

suncase disse...

James Merrill, um dos fundadores da Telexfree, foi preso nos Estados Unidos. Carlos Wanzeler tem prisão decretada e considerado foragido.
E aí?
tá na capa do Boston Globe
http://www.bostonglobe.com

matéria
http://www.bostonglobe.com/business/2014/05/09/telexfree-owner-arrested-worcester/EFuEWcbcvBlvQuCrhtUGdP/story.html