sábado, 2 de julho de 2011

OUTRO LADO DO PARQUE DA MATERNIDADE

Esgoto continua sendo lançado no Rio Acre; danem-se o rio e quem dele necessita para viver

O majestoso Parque da Maternidade, em Rio Branco, tem um canal que recebe água das chuvas e dos esgotos de casas e hospitais numa extensão de seis quilômetros.




No centro da cidade, perto do principal mercado, a água fétida e contaminada é lançada sem qualquer tratamento no Rio Acre, onde pequenos barcos ancoram com a produção dos ribeirinhos.

Nesta sexta-feira (1), a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil revelou que o Rio Acre atingiu 2,47m de profundidade. Está 4 cm a menos que em junho de 2005, quando foi registrada vazão histórica de 1,64m. A média para o período é de 3,57m.

7 comentários:

DaviAcre disse...

Altino, parabéns por continuar batendo nessa tecla, essa não é a primeira postagem que você faz sobre o assunto, que é de extrema importância para o Rio Acre e o futuro de Rio Branco como um todo. Essa história de despoluir o igarapé maternidade, por enquanto é só promessa de nossos governantes.

Marcel Marques disse...

Descaso, o grande geógrafo Claudemir Mesquita alerta a anos a negligencia com nosso Aquiry, sempre recomendo o link do mesmo no youtube!

Fátima Almeida disse...

A passarela em frente que é muito bonita e que dizem ter custado mais de dez milhões representa o ideário da FPA, qual seja, conseguir verbas para o Estado pela via das empreiteiras, o que denota ausência de força política para fazer valer pretenso ideário de sustentabilidade, ou ausência, exatamente disso, de conteúdo programático e por conseguinte, de compromisso com o ambiente e, portanto, com a sustentabilidade, conforme propagam tanto em nossos ouvidos, diuturnamente. Não preciso de falsa propaganda, nem de muitas palavras. Desde quando Jorge Vianna foi prefeito que perdi a esperança de que fizessem o necessário para salvar o rio onde ele e sua equipe obviamente nunca se banharam durante os memoráveis verões da cidade nas praias da Base e do Amapá. é um bando de tecnocratas sem sensibilidade nem sentimentos para com nossa terra, aderindo tão somente ao projeto de empreguismo para toda a família. Obviamente eu poderia ser mais uma puxa-sacos em troca de um cargo comissionado e ficar com a mordaça na boca. Mas entre esses poderes efêmeros e a Mãe Natureza eu fico por ela. Alguns chamam isso de romantismo, pouco me importa. Para mim, os dirigentes da Frente bem como todos que obedecem a eles em que pese andarem bem vestidos e usarem carros de luxo, são desprezíveis tanto quanto o condutor desconhecido que lança latinhas e garrafas pets por fora da janela do carro. Se bem que aqueles, unicamente, serão penalizados pela História, porque emprestam seus nomes para essa contaminação generalizada das águas fluviais e do solo em nossa terra. Fazem boas obras, é verdade, mas do tipo que varre a sala e joga a sujeira para debaixo do tapete.

Roberto Feres disse...

Ontem eu fazia um trabalho bem nessa região o rio e um boto cor-de-rosa brincava por ali.

Andarilho disse...

Basta dizer que preferiram mudar o projeto original,desse canal da maternidade, onde tinha um centro de tratamento de esgoto, para simplesmente enfeitar o 'descer das fezes' no manancial.

Mario Marcelo disse...

Não sou especialista no assunto, mas em breve serei, e o que vejo eh um descaso imenso , o lançamento de efluentes no leito de um rio castigado por assoreamentos e impactos diverssos e sem nenhum tratamento eh uma afronta ao meio ambiente e um atentado a vida.
A pergunta eh - onde estão os orgãos ambientais, as Ongs(sanguessugas que usam recurssos publicos sem prestar contas)he hora de mostrar que são mais que um bando de folgados q gostam de viver do dinheiro publico sem nada devolver pra sociedade.

Julio Pinto disse...

Preocupo-me como isso ficará nos proximos 20 anos quando nossos filhos estarão adultos!