sexta-feira, 11 de março de 2011

NÃO DESCARTO QUE TENHA DITO BEM MAIS

Edinaldo Muniz dos Santos

Amigos magistrados (com cópia ao Altino),

Como se sabe, jornalista adora aumentar as coisas. E juiz adora não entender isso, ou fazer que não entende.

Eu acredito que não é por maldade. Eles, os jornalistas, sempre se defendem dizendo que não é aumentar, é simplificar. Bom, eu desisti de entender, mas os colegas experimentados na ciência do jornalismo, como o desembargador Arquilau de Castro Melo, hoje magistrado e corregedor do Tribunal de Justiça, poderiam tentar explicar isso melhor, com a nossa linguagem, pra nós juízes, que tradicionalmente temos a mente mais fechada para essas coisas.

Pois bem, o blog do Altino está dizendo, na sua última postagem: “Juiz Muda Horário de Atendimento”.

Mas não é isso, ao menos exatamente, o que diz a portaria. Não houve mudança, ao menos, digamos, exatamente. Não houve provocação gratuita à resolução do Tribunal de Justiça, aqui exatamente mesmo.

Simplesmente criei a possibilidade, para os funcionários que quiserem, de cumprimento do expediente de trabalho deles das 8h às 15h (prologando aquele soninho da manhã). Nada mais.

O expediente oficial permanece das 7h às 14h.

O problema, acho, na minha ingenuidade, é que o Altino fica querendo inflamar a polêmica do horário, aquela do fuso (e eu adoro isso, violo mesmo, no ponto, o princípio da inércia).

E vai que é isso mesmo que a portaria está querendo (melhor parar por aqui, para não haver maior complicação corporativa). O faro jornalístico do Altino é conhecido.

Ah, ele chegou a me entrevistar por telefone. Não me lembro de ter dito textualmente a declaração que ele transcreveu, mas não descarto que tenha dito bem mais. Por isso, não arrisco, de jeito nenhum, dizer que ele está mentindo (e se ele puxar aquele gravadorzinho que um dia ele estava gabando no blog?) (melhor deixar isso quieto; melhor deixar esse brinquedinho do Altino desligado).

Viva o povo do Acre. Viva o respeito ao povo do Acre.

Um abraço os amigos magistrados e ao jornalista Altino.

Edinaldo Muniz dos Santos é juiz das comarcas de Sena Madureira e Santa Rosa do Purus

3 comentários:

beth5050 disse...

Parabens mais uma vez... já nos enganamos demais. Alguem tem q dizer e fazer valer o q o povo decidiu e ponto.

Marcel Marques disse...

Adorei o "violo mesmo, no ponto, o princípio da inércia."

processador123 disse...

Graaande Dr. Edinaldo... sempre polêmico, suscitando debates interessantes que outros não ousam. é isso aí grande douto!!!!!