sexta-feira, 24 de setembro de 2010

GAÚCHOS E ACREANOS

Marina comemora apoio de Pedro Simon e Gisele Bündchen
 
Antes de fazer uma declaração conjunta com o senador Pedro Simon (PMDB), que manifestará apoio à campanha dela, a candidata do PV à presidência da República, Marina Silva, comentou com exclusividade ao Terra a decisão do peemedebista e a relação do Rio Grande do Sul com o Acre.

Leia mais no  portal Terra.

6 comentários:

luciahelena disse...

Meu querido amigo Altino,
Desejo informar-te que não só o Rio Grande Do Sul, por intermédio do grande Pedro Simon, está apoiando a GRANDIOSA MARINA SILVA.
Como vc sabe, a minha cidade, Curitiba, é uma das capitais brasileiras que mais vota na MARINA.
Hoje, às 19h00, ela esteve aqui em função de saber que nós curitibanos marinamos e muito!!! Vc precisava ver a multidão que se reuniu em uma das Pças centrais de Curitiba, embaixo de chuvas torrenciais, esperando a chegada da Marina de Porto Alegre, das 16h00 até às 19h00, quando finalmente minha linda morena Marina chegou. Foi um encontro rápido, mas emocionante e inesquecível nesta reta final para confirmarmos que estamos com ela. Com a única presidenciável que têm um belo e consistente projeto para o Brasil. Sem dúvida, MARINA é a única que representa o novo - o genuíno.
Amanhã, sábado vamos fazer um Banner humano para formar o número 43 num espaço público e um grande marinaço pelo centro da cidade.
Queremos o segundo turno, porque, com certeza, ela será imbatível.
URGENTE, MARINA PRESIDENTE!!!!
Abarços marineiros,
luciahelena

silene.farias disse...

Vamos fazer o banner humano na Gameleira, vai ficar bonito.Marina é o mais belo e melhor dos faróis, nossos passos, portanto, é seguí-la.

O Hiperativo disse...

A Marina seria uma boa opção perante os dois modelos de governo já batidos...

Com certeza ela ganharia no segundo turno de qualquer um dos dois candidatos que lideram as pesquisas...

O povo tem medo do que é novo... Acho que o atual governo desmotiva o povo a crer nisso...

Andarilho disse...

Boa noite Altino,

Li uma coisa interessante nos post, ' o povo tem medo do que é novo', e isso, tem um fundo de verdade.
O mundo estar em transformação climática, não querendo ser nenhuum 'apocalítico', mas temos que apostar na preservação com desenvolvimento.
Existe isso? Lógico que existe.
Os países desenvolvidos buscam isso, aqueles que tem menos mata que nós, densevolvimento, mas mantendo viva suas florestas ou reflorestando.
Não sou contra industrias em nosso Estado, mas quero industria responsaveis com o meio ambiente e com aqueles pequenos produtores, com os índios.Sem prejudica-los. Capacita-los e ensina-los a trabalhar melhor a sua terra. Uma parceria.
Temos que acreditar nisso!!!
Temos lixões em nossa cidade que queimam lixo organico dia e noite.
Se temos um governo sustentavel, pq não vemos industrias aproveitando esse lixo para produzir energia?
Quero dinheiro aplicado, TOTALMENTE, naquilo a que se destina e não pela metade.
É muito dinheiro em emprestimos e só vemos construções pela metade. Quando não cai uma ponte é uma rua faltando asfaltar, pq só se asfalta a principal do bairro. affff!!!

luciahelena disse...

Querido Altino,
Não tenho clareza suficiente, ainda, sobre o projeto de industrialização do Acre defendido por Tião Viana.
Em verdade tenho muitos temores da floresta reduzir-se apenas à matéria-prima inerte, fator de produção, bem econômico - como ocorre com a industrialização do mundo - dentro da lógica produtista dominante que se pauta na super-exploração e destruição de nossos bens naturais.
Temo que se isso acontecer na Amazônia desapareça os ricos significados culturais que os povos da floresta têm em relação a natureza e sua forma tradicional de se relacionar com ela, preservando-a milenar e secularmente.
Além da destruição da cultura da floresta - patrimônio natural, cultural e histórico - a super-exploração dos recursos florestais que a lógica industrial, em geral, impõe poderá levar ao extermínio total desse rico patrimônio cultural e genético.
Bem, essa é minha grande inquietação em relação à industrialização da floresta. Pelo menos se pensa em bio-industrialização?
Diante da relevância deste tema para o futuro da Amazônia, sugiro a vc, Altino, abrir um debate com diferentes vozes para que se tenha vários ângulos sobre a questão, principalmente daqueles que se ancoram na ética da sustentabilidade socioambiental.
Beijos marineiros,
luciacreana, luciamazônida, luciahelena (antropóloga ecológica-Doutora em Meio Ambiente e Desenvolvimento).

Altemar disse...

Estou começando a achar que um segundo turno com duas mulheres está mais provável:

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4701677-EI15315,00-Marina+critica+comportamento+de+Serra+junto+a+imprensa.html
Tomara