sexta-feira, 6 de agosto de 2010

INCÊNDIO NA FLORESTA DA BONAL


Mais de 500 hectares de floresta nativa do Assentamento Nova Bonal, no quilômetro 75 da BR-364, em Rio Branco (AC), já foram consumidos pelo fogo. Na área, de 10,4 mil hectares, 200 famílias participam de um projeto de desenvolvimento sustentável que consorcia basicamente o plantio de seringueiras e pupunha.

Equipes de bombeiros já estiveram na área duas vezes para combater os focos de incêndio, mas não foram capazes de impedir que o fogo voltasse a causar sérios danos à área de floresta remancescente de uma antiga fazenda. Uma terceira equipe será enviada nesta sexta-feira (5) para a área do projeto, que foi inaugurado em janeiro de 2006 pelo presidente Lula.

A reportagem apurou que o governador do Acre, Binho Marques (PT), vai anunciar na segunda-feira (9) medidas mais enérgicas de combate às queimadas e de prevenção ao crescente risco de incêndios florestais na região.

O governo estadual demorou a agir durante a estiagem amazônica, em 2005, quando mais de 200 mil hectares de florestas foram devastados por megaincêndio na região leste do Acre.

Naquele ano, os satélites registraram 22,9 mil focos de calor. No ano seguinte, foram registrados apenas 4,8 mil focos de calor. Em 2008, a quantidade caiu para 2,7 mil focos e no ano passado foram registrados apenas 1,3 mil. Neste ano já foram detectados 330 focos de calor.

O pesquisador Foster Brown, da Universidade Federal do Acre e do centro de pesquisa americano Woods Hole, percorreu a floresta nativa afetada pelo fogo no Assentamento Nova Bonal.

- Minha preocupação é com a certeza de que outras áreas estão sob o mesmo risco de incêndios florestais na região leste do Acre - afirmou.

Leia mais no Blog da Amazônia.

Um comentário:

Marcel Marques disse...

É uma pena que o Corpo de Bombeiros do Acre não tenha uma unidade especializada em incêndios florestais, como também não tenha em toda amazônia (não que eu saiba) helicópteros tanque para situações deste tipo.