sexta-feira, 23 de maio de 2008

ÍNDIOS DO ACRE

Uma das últimas tribos isoladas da Terra, os "índios invisíveis" são fotografados em Feijó (AC) e reagem a flechadas contra um avião


Após quase 20 horas num avião monomotor, o sertanista José Carlos dos Reis Meirelles Júnior, coordenador da Frente de Proteção Etno-Ambiental da Funai, comandou um sobrevôo que resultou nas primeiras fotografias dos índios de uma das quatro etnias isoladas que vivem na fronteira do Acre com o Peru. As mulheres e suas crianças fugiram para a floresta em busca de proteção, enquanto os guerreiros da tribo se posicionaram e reagiram atirando flechas no avião.

No verão amazônico de 2004, ao sair de sua casa para pescar, Meirelles foi alvejado com uma flecha, que entrou no lado esquerdo do rosto e saiu na nuca. No final da década de 80, numa circunstância descrita como "dramática", o sertanista viu-se obrigado a matar um índigena que tentara atingir o sogro dele.

- Nós já sabíamos da existência desses povos, mas, a partir de agora, temos a prova material de que a região é uma das poucas que abriga as últimas etnias isoladas ou desconhecidas do Planeta - afirma José Carlos Meirelles.

Clique na foto de Gleilson Miranda e leia com exclusividade a reportagem na Terra Magazine.

18 comentários:

Válber Lima disse...

Não se pára pra pensar nisso, mas viver neste tempo atual da história humana é de se maravilhar, se orgulhar da nossa contemporêneidade histórico-tecnológica. Estamos ao mesmo tempo na Pré-história e no cyber espaço. três tecnologias convivêm assim - um avião, um câmera fotográfica digital on line na internet, um arco e flecha disparados.

Cris Moreno disse...

Parabéns!

Beijos.

Marystela Ricciardi disse...

Altino,
Ao abrir o Terra hoje e me deparar com uma matéria tão bela só poderia vir aqui e parabenizar você e aos que participam das ações de proteções aos índios (o Sertanista e sua equipe)nessa região do Acre, Brasil.
Maravilhosa a sensação de ter a certeza de que os índios estão lá na sua cultura original e sem intervenções de brancos para alterá-la.
É uma pena que uma vez localizados a cultura possa vir a ser modificada a partir de possíveis contatos futuros.
Como é salutar saber que eles sobreviveram "invisíveis" às colonizações por tanto tempo.
Tomara que eles realmente venham a ser protegidos a partir de agora e possíveis contatos com os "brancos" não venham a destruí-los na última fronteira.
Tomara que o governo Brasileiro e Peruano façam algo de verdadeiro e dêem proteção e continuem a mante-los isolados por muitos e muitos anos ainda.
Quem ama a Amazônia realmente fica encantado diante de tanta beleza (as fotos) histórica.
Parabéns pelo furo de reportagem e parabéns à equipe do Sertanista.
Um abraço a todos!
Salve! Salve "índios invisíveis"! sejam bem vindos mesmo e que sejam mantidos aí isolados em suas terras, com sua cultura e tradição! Quiça os governos salvem vocês da insana ganância dos madereiros ou qualquer outro tipo de exploradores que possam vir a destruí-los.. é o que espero gentis homens guerreiros!

Marystela

Leila disse...

Acrescentaria ao comentário do Válber Lima: e um repórter virado para a lua, passando na hora e nos mostrando o flagrante.
Parabéns, Altino!
Parabéns, Meireles!
Já está no Terra Magazine, tudo coloridinho.

sandro ricardo disse...

Espero que essa tribo continue no isolamento, estudos mostram que como eles se aproximaram da margem do rio para morarem daqui a alguns anos procurarão entrar em contato com outras tribos ou com brancos, então não é necessário globo reporter ou domingo espetacular para exploração dessa, ou dessas tribos, QUE ELAS CONTINUEM INVISIVEIS.

Leandro Chaves disse...

Não consigo pensar dessa forma.
Sabendo que existem índios que nunca entraram em contato com não-índios e sabendo sua localização, por que ir lá sobrevoar, tirar fotos e expor esses índios para o Brasil? Dá para protegê-los sem contato próximo.
É uma contradição esse papo de preservar sua cultura em relação a esse ato que Meireles fez. Agora o mundo sabe a localização desses índios.
Imaginem o terror que esses índios sofreram ao verem um avião sobrevoando suas cabeças. Imaginem os dias depois que esses índios viveram achando que o tal avião possa voltar e destrui-los enquanto estiverem dormindo ou algo do tipo. Ninguém pensa dessa forma. Não precisava disso tudo.
Esses índios são estudados há anos e são protegidos de longe. Por que esse contato? Assim como Meireles, outros pesquisadores vão fazer a mesma coisa, tirando a paz desses índios fazendo com que haja uma possível migração com consequências possivelmente não muito boas...
Que esses futuros pesquisadores vejam o que aconteceu com o Meireles que levou uma flechada e nem pensem em se meterem com esses índios. Será que uma flecha desses índios isolados vão pecisar acertar outra pessoa para tomarem consciência de que eles não querem contato? Não seria uma idéia muito ruim...

Leandrius disse...

Gostaria de saber quem custeio essa expediçao e o frete de mais de 20 horas do aviao... com tanta gente morrendo de fome... outro tanto gastando dinheiro com inutilidade

Cartunista Braga disse...

Essa é a foto do ano, Gleilson. Parabéns. Imagina o aperreio desses nativos que nunca viram uma ave desse tamanho e tão zoadenta! Por outro lado, talvez esses guerreiros não sejam tão ignorantes assim e saibam do terrível perigo que esse bicho pode trazer se chegar mais perto.

GLORIA PEREZ disse...

que beleza, Altino! postei lá no meu blog!

Jose Murilo disse...

Alô Colega,
O post foi parar na China:
http://zh.globalvoicesonline.org/hant/2008/05/24/1119/
Abraços,

miltinho disse...

Tá certo...
Vamos crescer muito protegendo "índios invisíveis".

Vão aplaudir e achar muito bonito quando se fundar mais uma ONG (financiada com dinheiro público) para proteger esse seres intocáveis, darem-lhe facões e mandarem matar os brancos "malditos".

Tsc tsc tsc

Ê, povo tupiniquim...

miltinho disse...

Tá certo...
Vamos crescer muito protegendo "índios invisíveis".

Vão aplaudir e achar muito bonito quando se fundar mais uma ONG (financiada com dinheiro público) para proteger esse seres intocáveis, darem-lhe facões e mandarem matar os brancos "malditos".

Tsc tsc tsc

Ê, povo tupiniquim...

sergio souto disse...

Fico feliz de ver a Morena Marina sair "sobre"
A moça é dura na queda e, não há puxada de tapete que derrube!
Seja bem vinda a liberdade!
Os outros que Roussefem...

Abraço!

Angela Ursa disse...

Altino, postei no meu blog trechos de sua matéria sobre os índios isolados, com os respectivos créditos e links. Abraços floridos da Ursa :))

Noé disse...

Essa foto é fantástica. E o texto da reportagem também. Observem a junção de energias para obtê-la: um sertanista abnegado, o Google Earth, o jornalista deste Blog, e...os próprios índios que se mantém, ou mantinham, distantes do século vinte e um!
Noé,

http://consiliencia.blogspot.com/

Anônimo disse...

Posso estar errado, mas acho um pouco de egoismo nosso manter esse povo longe do progresso somente para podermos ver como eles se mantem sem nosso avanco. O governo deveria ter um programa de adaptacao indiginia ao mundo moderno. Que o passado fique no passado e vamos viver o futuro todos juntos. Sera que eles nao gostariam de ter uma vida um pouco mais confortavel, vivendo mais tempo? Sei la. Acho que poderiamos ensina los a avancar com o tempo. Nao acredito nessa ideia de que eles sao felizes como estao. Vivem numa pobreza enorme. Deveraimos nos aproximar deles, e trocar informacoes atuais com as historias de vida deles. Compartilhar o que aprendemos para que todos pudessemos viver melhor. Quem sabe eles ate nos ensinem algo. O tempo passou e o mundo avancou, que todos estejam juntos como um grande time. PS: sou contra qualquer tipo de fronteira. Deveriamos ser apenas um pais, um pais chamado MUNDO.

Anônimo disse...

tomara que estudiosos e não curiosos aprofundem os estudos sobre estes povos indígenas,mas que sejam preservadas suas culturas e tradições. Que fiquem bem longe esses curiosos que só querem suas riquezas!!!!

Camila - Jornalista disse...

concordo plenamente com o que diz Leandro Chaves.