terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Tragédia na região mais desmatada do Acre

Centro de Brasileia (AC) inundado pelas águas do Rio Acre, tendo ao fundo, à esquerda, a boliviana Cobija, capital do departamento de Pando. Às 6 horas desta terça-feira (24), o nível do Rio Acre atingiu 15,34m de profundidade, ultrapassando a marca histórica de 14,72m, registrada em 2012. A cidade está sem energia elétrica e telecomunicação. A região do Vale do Acre é a mais impactada ambientalmente no Estado, desde o final dos anos 1960, por desmatamentos para instalação de fazendas. Foto: Secom

De Boca do Acre, na divisa com o Amazonas, até suas nascentes em território peruano, este é o cenário do Rio Acre. Dele e de outros mananciais do Estado. Quem duvidar, confira as imagens do Google Maps. Ninguém é punido pela ação criminosa. Mas o que se vê a cada ano é muito proselitismo político em cima das vítimas dos alagamentos nas cidades acreanas. O nome de Chico Mendes serve apenas para abafar a barbárie. Foto: Altino Machado

O que deveria ser feito é investigação para identificar e mandar para a cadeia quem faz isso com as florestas do Acre, incluindo a mata ciliar de rios e igarapés. O resto é proselitismo político. Foto: Altino Machado

Todos nós já observamos o impacto da chuva numa pequena área apenas de terra ou, também, sobre alguma pequena área de terra gramada. Agora imaginem o impacto da chuva sobre uma área de milhares de hectares de floresta ou, ainda, sobre milhares de hectares de solo apenas coberto por pastagem. Usar o Google Maps para sobrevoar os desmatamentos das margens dos rios do Acre talvez nos ajude a compreender um pouco o desastre ambiental que afeta as populações das cidades ribeirinhas. A região conhecida como Vale do Acre, onde está a cidade de Brasileia praticamente toda inundada, é a mais devastada do Estado. Foto: Altino Machado

2 comentários:

Carlos Floresta disse...

Slogan correto: "Governo DÁ floresta".

Quequel disse...

Altino, muito importante essa sua postagem. Entra alagação, sai alagação, os comentários das pessoas nos posts são sempre variações de "Deus, tem misericordia!". Ok pras pessoas elevarem seu pensamento a Deus num momento de tragédia, mas só isso não basta. Deus não deve ser culpado pela situação que está aí. O seu post nos lembra que muito das tragedias climáticas sao consequencia de acoes humanas (embora muitos céticos discordem) que, ano após ano, deixamos acontecer, fingindo que não é com a gente.
Quem mais, além de você, está levantando essa lebre?
Parabéns por fazer a sua parte.