sexta-feira, 7 de março de 2014

Querida Marlúcia,

POR VITOR ALBANO

Primeira dama, nós não nos conhecemos.

E, pra falar bem a verdade, eu nunca tinha ouvido falar muito sobre a senhora até agora. Mas depois de aparecer essa semana em quase todos os veículos de comunicação que eu acesso, agora sei algumas coisas sobre você: goiana, arquiteta e esposa do décimo sétimo governador do Acre.

Não estou escrevendo esse texto para criticar o partido A, ou o partido B, e nem para tentar criticar o governo do seu esposo, até porque morei pouco tempo no Acre e não tenho o conhecimento necessário para julgar se o governador tem feito um bom governo ou não.

Tudo o que eu sei é que o estado tem passado por alguns problemas de uns tempos pra cá. Conflitos entre policiais civis e militares; haitianos cruzando a fronteira todos os dias sem ter para onde ir; e, o mais grave dos problemas, esse rio que não para de subir e está deixando muita gente desabrigada. E que deixou o Acre isolado do resto do país, diga-se de passagem! Não tem chegado nem comida direito. E andei lendo que pode faltar combustível e gás nos próximos dias se a situação não voltar ao normal logo.

Mas ninguém quer isso e também não é culpa de ninguém se resolveu chover demais esse ano.

O problema, primeira dama, é que no meio de tantas coisas ruins que estão acontecendo no estado que seu marido governa, a senhora apareceu em rede nacional desfilando em uma das escolas de samba do Rio de Janeiro.

Não que a senhora não tenha o direito de ser divertir! Pelo contrário! Você me pareceu bem jovem na foto que eu vi e acho que uma mulher da sua idade tem mais é que aproveitar as delicias da vida mesmo.

Ainda mais desfilando na Sapucaí. Acho que muita gente tem essa vontade, inclusive eu que nem sei dançar direito (e vou confessar que te invejo um pouquinho).

É tudo sobre timing, primeira dama. Se você não sabia que era tão importante assim, deveria saber. Você é a primeira dama. O povo não escolheu você pra governar, escolheu o seu marido. E eu acredito que ele te ama bastante e deve confiar muito em você. Deve pedir até um conselho, ou outro, de vez em quando.

Você pode não ter nenhum poder administrativo, mas tem muito poder simbólico. Você sabe a influência que tem, principalmente com outras mulheres. A pessoa mais próxima do chefe do estado desperta bastante interesse.

Temos tantos exemplos na história de primeiras damas que foram figuras poderosas: Michelle, Cristina, Evita, Sarah, Jacqueline, Hillary, Eleanor...

E claro que pega muito mal a senhora aparecer desfilando em rede nacional quando o Acre está a beira de uma crise de abastecimento. Muito mal mesmo. Olha que imagem péssima você acabou passando.

Sabe o que me lembrou um pouquinho, guardada as devidas proporções?

Uma senhora chamada Maria Antonieta, rainha da França, que quando informada que o povo da Paris reclamava da falta de pão, disse que eles deviam comer brioches.

E isso deu uma merda! Teve todo aquele lance de Revolução e no final cortaram a cabeça dela.

E ninguém aqui quer cortar sua cabeça, que horror! Só que seu desfile na Sapucaí foi sua mensagem pro povo.

Parece que você não se importa com o que está acontecendo no Acre. Parece que o rio pode estar engolindo Rio Branco que você não vai mexer um dedo. Afinal, o povo elegeu o seu marido e não você.

E, como eu já disse, não te conheço e acredito que você não pense assim. Você até explicou na sua carta aberta que participa de muitos projetos estatais e que não quer ficar em casa cuidando dos botões das camisas do governador. E isso é admirável, já que é o que se espera de uma primeira dama como você.

Entende agora porque tanta revolta da população? Não tem jogo político aí. Você só tomou uma atitude errada.

Eu não estou desabrigado por causa da subida do rio e nem está faltando nada na minha despensa, mas se eu estivesse na posição de uma dessas famílias que está passando tanta dificuldade, eu gostaria que você escrevesse um pedido de desculpas e não uma carta reclamando das pessoas que criticaram você.

E olha só, ainda dá tempo hein? Mas isso é problema seu.

Espero que fique tudo bem logo e que você possa desfilar mais vezes na Sapucaí, pois deve ser inesquecível.

Um beijo,

Vitor.

Vitor Albano é palmeirense apaixonado, aspirante a redator publicitário e nerd roots. Escreve no blog A Qinta Dimensão.

16 comentários:

Thiago Cristiano disse...

Primeiro mostre seu exemplo e mesmo após citar sua linda trajetória ainda estará errado em fazer um enorme texto querendo escandalizar a imagem de uma mulher trabalhadora. Valorize o poder feminino na sociedade, elas são mulheres batalhadoras, que optaram por ser o que são, ou melhor, brigaram com todas as forças para hoje ter lugar na sociedade...

Gabi Ramos disse...

Thiago Cristiano não soube interpretar a carta. E tem um monte comissionados assim, sem sabe se quer raciocinar um belo e lindo texto, com classe e nível como a primeira dama merece. Concordo com Vitor, ela errou no momento. E se ela não sabia que era importante como ainda debochou o pior que é. Eu também sinceramente não espera uma carta como a dela, cheia de arrogância e falta de humildade. Thiago, até aquelas pessoas que admiramos quando elas erram a nossa postura não é puxar saco, e sim dizer a ela que errou, mas nem por isso vc vai deixa-la de admira-la(puxar saco). Bom dia.

wesley Lustosa disse...

A Carta do Vitor foi direcionada!
Logo ele referiu-se a apenas uma mulher, sem generalização.
Muito menos criticou a figura feminina na sociedade brasileira.
As verdadeiras mulheres brasileiras trabalhadoras e que merecem total reconhecimento são aquelas que com apenas um salário mínimo conseguem dar um pouco de dignidade a seus filhos. dignidades essas que nos são garantidas por lei, lei essas que são feitas por aqueles que visam o benefício próprio, que acreditam fielmente que um salário mínimo se resolve muita coisa!
Existe algo de muito errado nesse ciclo vicioso em nossa sociedade.
Onde os únicos beneficiados são aqueles que conseguem mesmo em tempos difíceis desfilar na sapucaí, felizes e tranquilos, como se nada estivesse acontecendo.

mauro albano disse...

Thiago, em momento algum houve por parte do Vitor a intenção de escandalizar a Primeira Dama, somente foi um comentário de forma democrática sobre a situação que não deveria ter acontecido. Marluce e sim uma pessoa trabalhadora, honesta e muito bem intecionada nas suas atitudes, o que ele quiz refletir foi que na posição dela e o momento que o Acre vive, não poderia uma pessoa publica como ela estar se divertindo enquanto milhares aqui estão sofrendo.

francisco peixe disse...

concordo plenamente com o Altino,todos nós cometemos erros,e vamos admitir que a primeira dama vacilou feio.

Carlito Andrezito disse...

Belo texto! Concordo com a Gabi, não ofende e nem critica ninguém, serve apenas para refletir, não li a carta da primeira Dama e nem vou perder meu tempo, Só que tem uma coisa Thiago as pessoas auto se escandalizam, vc lembra quando a 1° Dama subiu em um palanque para apoiar o Senador Anibal que de forma grotesca ofendeu duas mulheres trabalhadoras( As Desembargadoras) atingindo sua feminilidade, pois é ela tava lá, não se esperava isso, e muito menos vindo de uma mulher.

@MarcelFla disse...

Que hipocrisia, dúvideodó que quem se sentiu 'magoado' com o samba da primeira dama utilizou seu devido descanso de carnaval para ir para abrigos, ajudar entidades filantrópicas, e etc., mesmo os santinhos aproveitaram em seus retiros espirituais, sinceramente tenho que convir com a Srª. Marlúcia ..

Denise Lima disse...

Tem é que aproveitar mesmo, quem tem q se lascar é quem ta carregando suas míseras coisas pra cima e para baixo, obedecendo as ordens do rio e de Deus.

Quem pode filho vai pra sapucai, e quem tem cargo comissionado defende ate a morte.#fato

Joao Brito disse...

Quanta má educacação, hein Dona Marlúcia.
Sem partidarismo e muito menos puxa-saquismo, por favor. A sociedade acriana fica indignada sim. Quanto a sua colocação Thiago, não seja hipócrita, sei que você tem entendimento suficiente pra saber diferenciar um ato de uma mulher (errado ou não)e o que representa á sociedade. Ela nos deu um péssimo exemplo de solidadriedade, e se isso não é suficiente, ainda foi muito arrogânte e mal educada ao responder aos críticos e sobretudo á sociedade acriana. Independente do lado a qual estamos, precisamos ao menos olhar a situação do nosso povo, sobretudo aqueles(as) abrigados (as), e a condição que o estado se encontra.
Simplicidade e a educação eram atributos, no minímo necessários para dar uma resposta convincente aos acrianos. Nós não precisavamos de arrogância e muito menos ironia, DONA MARLÚCIA...

analia disse...

fala serio!ela é um ser humano tem todo o direito de se divertir,o que ela podia fazer,assim o fez,não pode mandar na enchente,e o governo pode fazer casas e doar pra essas pessoas
que eles vendem e tornam a voltar pro mesmo lugar,não acho certo ficarem criticando a primeira dama,como ela mesma falou tem pessoas competentes para fazerem isso...e eu não tenho cargo comissionado!!!

ingredy magalhaes disse...

Qual a hora certa para sambar na Sapucaí? Todo carnaval o rio tá cheio, todo ano temos famílias desabrigadas. Ela tem o direito de ir e vir como qualquer outro ser humano. Trabalha pra isso!! Não gosto o que o PT vem fazendo com nosso Estado, essas políticas de mascaramento não tão com nada, mas isso não tem nada a ver com Marlucia Cândido, que antes de ser primeira dama, é cidadã comum.

ELSOUZA disse...

Essa Denise Lima além de ser do cacete possui língua felina. Arre égua.

Tiago Passos disse...

Thiago Cristiano, por favor se isole da sociedade e nos poupe de sua puxa-saquismo e ignorância.

Beneditino disse...


Muito interessantes os comentários sobre as atividades sambísticas da Primeira-Senhora do Acre (já que Dama ela provou não ser com sua Carta Aberta). A referida carta só reflete o modo arrogante, prepotente, mesquinho como os novos donos do Brasil tratam a população (isso não é exclusividade do Acre). Há todo um simbolismo por trás do "cargo" de primeira-dama. Dentre eles o amor de uma mãe para com seus "filhos" num momento de dor, necessidade e aflição. Tudo isso jogado no lixo por alguns segundos de fama na Sapucaí. Cá entre nós: as cenas na Sapucaí me lembraram a dona Dulce Figueiredo. Qualquer semelhança com a ditadura Militar é mera coincidência, já que todos os atores são filhos da Arena.

Julio Cesar disse...

"Para finalizar, quero dizer-lhes que sempre que possível, nunca abrirei mão da meu direito de ir e vir. E tenho dito.” Palavras da Marluce.

Eu: Desse preço até eu amiga, quero ver é você desfilar na escola de samba do bairro do quinze ( ainda existe ?)

Leonardo Carneiro disse...

Uma frase resume tudo: "Figura publica não deve se expor", ainda mas numa situação em que vivemos, que atinge não só os que vivem a em "baixadas" mas toda a população de um estado da federação.