terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Chico Mendes vive mais na Ufac


Definido pelo governo do Acre, o tema “25 Anos Chico Mendes Vive Mais”, da iluminação de Natal de Rio Branco, destaca um finado.

Tudo bem que manipuladores vicejam pelo mundo todo, mas essa de tentar enaltecer o nome do Chico Mendes em qualquer marmota no Acre não fica nada bem quando todos sabemos que os “povos da floresta” estão na miséria.

A decoração natalina do governo é cafona e não tem nada a ver relacionar Natal com data de morte. Não basta enaltecer Chico Mendes em um banner ou cartaz. Aliás, não há nada na decoração que reviva os ideais dele, nem mesmo os recursos ou conceitos de sustentabilidade ambiental.

As duas imagens que ilustram essa nota são da iluminação de uma capoeira e e de um açude na Universidade Federal do Acre (Ufac). Iluminação que valoriza a floresta. Valoriza o que já temos. Não introduz elementos do tipo "anjos", que mais parecem "demônios" na paisagem, e assustam crianças e adultos.

Por ser simples, bonito e sem dúvida mais barato, o governo estadual deveria contratar o iluminador da Ufac, que nos faz lembrar do mito Chico Mendes com delicadeza.

Um comentário:

Carlos Floresta disse...

A decoração de Natal é "cafona", sim. E vai além: é inapropriada, extemporânea e malfazeja.
Mas compreensível. Assim como modernamente o Espírito Natalino se resume unicamente ao conceito de consumo em uma sociedade capitalista, o Espírito de Chico Mendes representa (para esse povo do governo) o ecocapitalismo que está envolto em um discurso belíssimo, como se fora um presente de Natal mas que tem um apetite voraz pelos recursos das florestas acreanas, especialmente as madeiras nobres...
E Chico Mendes foi feito mais um produto à venda no Natal...