domingo, 23 de junho de 2013

Com golpes ao Dia do Basta, Tião Viana e PT levam mais de 50 mil pessoas às ruas

Foto: Altino Machado

Mais de 50 mil pessoas participaram neste sábado (22) do "Dia do Basta", que entra para a história como a maior, mais livre e pacífica manifestação de protesto político já realizada no Acre. O que sobressaiu durante o ato foi a crítica ao governador Tião Viana e ao PT, que cerceiam a liberdade no Estado, mas muitas foram as bandeiras.

Durante a tarde, os manifestantes ocuparam a frente do Palácio Rio Branco e depois, às 18 horas, iniciaram uma passeata que ocupou simultaneamente as pontes Juscelino Kubitschek e Sebastião Dantas, além de outras ruas do centro de Rio Branco.

Foto: Altino Machado


Os organizadores planejaram o encerramento do evento na Praça da Revolução, mas o povo preferiu seguir até o Palácio Rio Branco.

A Polícia Militar do Acre, que não acompanhou diretamente a manifestação, mas estava com seus homens de prontidão, calculou a manifestação em 10 mil pessoas no "Dia do Basta". Porém,  de acordo com o engenheiro civil Roberto Feres, perito da Polícia Federal, com formação em engenharia urbana, havia muito mais gente na manifestação.


- Ainda havia gente entrando na ponte Juscelino Kubitschek quando a passeata chegou no cruzamento da avenida Brasil, num conjunto compacto. Só isso já dá uma área de mais de 12 mil metros quadrados. Além dessa turma, ainda havia muita gente pelo Mercado Velho, nas esquinas e nas praças ao lado da Biblioteca Pública e em frente à prefeitura de Rio Branco. A concentração no trecho de aglomeração é de 4 a 5 pessoas por metro quadrado, e isso quer dizer que tinha, só na passeata, entre 48 e 60 mil pessoas - justificou Roberto Feres.

Foto: Altino Machado


A manifestação foi marcada por protestos contra o governador Tião Viana, o PT e a corrupção no Acre. Além de "fora PT" e "fora Tião", os manifestantes exibiam faixas, cartazes e gritavam: "Não somos bobos e nem moleques, queremos resolvida a parada da G7", "Ditadura: mudar a hora sem ouvir o povo. Golpe: negar ao povo o referendo da hora", "Não é Turquia, não é a Grécia, é só o Acre saindo da inércia!",  "O povo unido é mais forte que partido", "Por tanta roubalheira, o Acre é manchete, eu quero a prisão dos envolvidos na G7!".

Foto: Talita Oliveira


O governo estadual usou a mídia local para criar um clima de terror, de modo a desestimular a participação popular. O jornal Página 20, o mais servil ao governo, publicou uma matéria intitulada "Xenofobia, homofobia e violência darão o tom da manifestação do Dia do Basta em Rio Branco". O governador chegou a comparecer ao programa Gazeta Entrevista de sexta-feira (21), quando fez coro com o conteúdo fanfarrão de sua mída. A matéria foi contestada neste blog com o título "Dia do Basta: mentira, violência e roubo são monopólio dos "capitães da mata".

Ponte Sebastião Dantas. Foto: Talita Oliveira


Tião Viana, sem citar nomes, afirmou ter tomado conhecimento que dois professores (Armando Pompemaier e Elder Andrade),  além de um blogueiro (Altino Machado), teriam participado de uma reunião cujo indicativo era promover violência durante a manifestação. O governador disse que o objetivo era o apedrejamento do Palácio Rio Branco e do prédio da Assembleia Legislativa.

Ponte Juscelino Kubitschek. Foto: Talita Oliveira


Nas redes sociais, os petistas da área de marketing e comunicação tentaram de tudo para aterrorizar a população.

- Ouvi falar em apedrejamento da Aleac, invasão do Palácio, quebra-quebra, fogueira com as bandeiras do Acre e de partidos. É ISSO?? É nisso que vai se resumir o ato deste sábado ? Nenhuma causa será nobre e nenhum protesto será justo se este for o desfecho - escreveu Lamlid Nobre, assessora de imprensa do senador Anibal Diniz (PT-AC).

Enquanto isso, Romerito Aquino, da assessoria do governador dizia:

- Estudantes do Acre, cuidado com o blogueiro Altino Machado. Ele vai querer baderna no sábado para culpar o governo e o PT! Polícia e Justiça já dispõem da cara da violência que blogueiro Altino Machado vai tentar espalhar amanhã.

Foto: Altino Machado


O único incidente "grave" registrado durante a passeata aconteceu na Rua Mal. Deodoro, próximo à agência do banco Itaú, quando um homem se afastou da multidão e começou a chutar e esmurrar a porta de uma loja. Os demais manifestantes sentaram no asfalto e começaram a gritar e a cantar "violência não", "sem violência". Envergonhado, o homem parou a tentativa de vandalismo e foi vaiado pela multidão. Além disso, alguém pichou no muro lateral do Palácio Rio Branco um "fora PT".

Foto: Altino Machado


O governo estadual e o PT fizeram de tudo para desestimular a participação de servidores públicos e ocupantes de cargos comissionados, que foram ameaçados de represália caso comparecessem ao Dia do Basta.  Também foi dito durante a semana que o evento ia ser um fiasco de público, pois estava marcado para um sábado, sem servidores nas repartições públicas, quase na mesma hora do jogo Brasil x Itália.

Protesto indígena. Foto: Lindomar Padilha

Antes do encerramento do jogo, as empresas de transporte atenderam recomendação do governo estadual e tiraram de circulação os ônibus. A manobra não impediu que milhares de pessoas caminhassem dos bairros até o centro da cidade com bandeiras, faixas e apitos. No céua, a lua cheia tornava mais bonito o povo que caminhava sem recuar, sem cair, sem temer.

 Já valeu a pena, por Letícia Mamed

Foto: Talita Olveira

E foi assim. De modo voluntário, sem pressão de chefe, sem cobrança de governo e ameaça de partido, o acreano lembrou que poderia gritar e ir às ruas, e assim fez.

Uma decisão simples, mas muito corajosa nesta terra onde o divino partido tem subtraído o direito tão elementar de manifestar e expor opiniões, pois somente é válido o que estiver de acordo com a agenda da governabilidade.

A força propulsora das manifestações que acontecem em todo Brasil foi decisiva para a ampla participação da sociedade neste manifesto local. Mas, além disso, no caso muito particular do Acre, este evento satisfez a vontade do acreano de se impor e falar, de recolocar governo e governistas no lugar de ouvintes dos clamores das ruas.

Hoje, fomos tantos e tão diferentes. Cada um com a sua causa, expondo sua diferença, mas se unindo ao todo pela necessidade de dizer algo.

Todo ato de protagonismo do homem - ser social e construtor da história - é grandioso. Pela chance de viver isso hoje e poder reavivar nossa capacidade, força, poder de escolha e decisão, já valeu a pena.

Letícia Mamed é cientista política e professora da Universidade Federal do Acre

Veja mais fotos do Dia do Basta

Talita Oliveira 

Cinthia Davanzo

Alexandre Noronha

Lindomar Padilha

AC 24 Horas 

6 comentários:

Eliane Sinhasique disse...

A verdade é que o povo se cansou. Nos últimos anos estão gastando muito e gastando mal os recursos da população. As benfeitorias não chegam à quem precisa, ficam pelo meio do caminho... As obras são caras e não terminam, faltam medicamentos, faltam médicos, faltam escolas, falta água, falta luz, os esgotos escorrem à céu aberto na periferia... as placas nas obras apontam os milhões de investimentos e isso não está melhorando a qualidade de vida da população... é por essas e outras que o povo está dizendo Basta! Só não vê quem não quer! Parabéns Altino Machado pela cobertura da manifestação! Parabéns povo acreano que está perdendo o medo de dizer o que quer e o que pensa!

tecnologoalcemir disse...

O POVO ESTA CERTO EM SE MANIFESTAR O MANIFESTO E JUSTO O QUE NÃO ESTA CERTO E ALGUNS TENTAREM SE PROMOVER COM O MOVIMENTO ESTAMOS DE OLHO NÃO VAMOS DEIXAR UM MOVIMENTO BONITO E JUSTO VIRAR PALANQUE ELETORAL DE NINGUEM

Péricles disse...

Comparar esta manifestação incrível de ontem com aquele ato melancólico nas escadarias do Palácio Rio Branco que o PT promoveu para desagravar o pessoal da G7 NÃO TEM PREÇO.

Eduardo Carneiro & Egina Carli disse...

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/06/130623_protestos_acre_fp_bg.shtml

Eduardo Carneiro & Egina Carli disse...

http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2013/06/fantastico-impressionante-diz-professor-sobre-ato-publico-no-acre.html

Luiz Santos disse...

Senhor Altino Machado, primeiramente gostaria de dizer que não sou acreano, e que meu estado é tão cheio de corruptos quanto o Acre, porém, gostaria de saber que tipo de manifesto é esse que as pessoas saem as ruas para protestar contra a corrupção e depois vem aqui escrever que não era contra o governo do Pt João Viana,,, não entendi , esse manifesto foi contra quem ou o que, infelizmente o Acre nunca vai pra frente por causa de BABACAS que devem ter carguinhos no governo e vem aqui criticar e dizer que o manifesto não era contra o governo ,,,, Parabéns Nobre Jornalista pelo seu trabalho e gostaria de dizer que gostei do titulo da matéria. João , Eduardo Carneiro, Jardel Cunha, Giselle XL, Edila Pires, Thiago Silva, vocês são um bando de idiotas que não deveriam nem ter a cara de pau de fazer comentários pois esse momento de manifestações é contra a corrupção contra o mau uso do dinheiro público e vcs vem aqui PUXAR SACO DO GOVERNO,,, por isso que o Acre vai continuar afundando cada vez mais , vcs tem o que merece ter .