segunda-feira, 10 de junho de 2013

Aniversário da Operação G-7

Faz um mês que a Polícia Federal deflagrou publicamente a Operação G-7, após dois anos de investigações em sigilo. Por ordem da desembargadora Denise Castelo Bonfim, 15 pessoas foram presas acusadas de crimes de formação de cartel, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, formação de quadrilha, fraude à licitação e desvio de verbas públicas. Entre os 29 indiciados, empresários, secretários do governo estadual, do município de Rio Branco e servidores públicos.

O processo da Operação G-7 está no Supremo Tribunal Federal (STF), que proibiu liminarmente, a pedido da Procuradoria Geral da República, o Tribunal de Justiça do Acre de julgar qualquer recurso ou processo relativo ao pior escândalo da história do Acre.

Como todos defendemos justiça, nada melhor que o STF para julgar o processo de modo isento.

Para quem realmente ama o Acre, a Operação G-7 trouxe de volta a esperança nas instituições, a esperança no trabalho da Polícia Federal e da Justiça.

Mostrou que nem tudo está dominado e que se não existisse internet, sites, blogs e redes sociais, agora apelidados de "pseudojornalismo" pela estreiteza política de alguns, os fatos relacionados à Operação G-7 não teriam sido noticiados no Acre e seriam desconhecidos pela opinião pública estadual e até do país.

Como a política e a história são processos dinâmicos, a mudança é sempre possível. Bom é continuar repórter, independente dos que passaram ou passarão.

2 comentários:

Aldo Nascimento disse...

Verdadeiro jornalismo é o que o governo faz com a imprensa acriana?

Sara Daniela disse...

Caro Altino,

Seu texto me remetou ao Mário Quintana:
Eles passarão,
Vc passarinho.
Parabéns pelo seu exercício da liberdade de imprensa.