quarta-feira, 17 de abril de 2013

QUEREM DERRUBAR MARINA E A REDE

A manobra em curso no Congresso contra Marina Silva e a Rede Sustentabilidade tira o direito de novos partidos a tempo na TV e ao fundo partidário.

Dizem que é para “moralizar a legislação eleitoral”. O ardil, que aumenta as barreiras para criação de novos partidos, não foi usado contra o PSD de Gilberto Kassab, por exemplo, porque é da base do governo.

Por trás de tudo estão o ex-presidente Lula, o presidente do PT, Ruy Falcão, e a presidente Dilma Rousseff, além dos senadores Renan Calheiros e José Sarney, ambos do PMDB.

Na semana passada, a manobra contou com votos favoráveis de parlamentares do Acre a quem Marina Silva sempre manifestou apoio político.

A lista inclui até os deputados Sibá Machado (PT-AC), ex-suplente de Marina Silva no Senado, e Perpétua Almeida (PCdoB). Além deles, Antônia Lúcia (PSC) e Taumaturgo Lima (PT) . Quando Marina Silva vai se libertar de seus "companheiros" do Acre?

Leia mais no blog Acerto de Contas, de Pierre Lucena.

2 comentários:

cplauto disse...

No Brasil só tem dois partidos:
O Partido dos que estão no Poder e o Partido dos Amigos do Poder.
As siglas não expressam a vontade do povo, apenas dos políticos para se manterem no poder, nem que para isso se juntem aos inimigos. Marina, ainda que tenha "amigos políticos" deveria se juntar aos inimigos e dá o golpe, assim como fizeram com ela. Mas, bom cidadão não se utiliza de artimanhas torpes. Continue sendo uma boa cidadã, ainda que o SISTEMA valorize o político, pois mudá-lo não é impossível, apenas para a minoria que é inviável. Eu, sou minoria.

Beneditino disse...


Pura questão de matemática. Com Marina (adianto que não votaria nela, nunca!) o segundo turno é certo e o resultado imprevisível. Tirar a Rede é asfaltar o caminho para a re-re-reeleição. Será que aguentamos 16 anos?