terça-feira, 9 de outubro de 2012

O MEU QUINTAL

SÉRGIO SOUTO


O meu quintal precisa urgentemente
Mudar de dono e trocar os seus gerentes
Ser mais desobediente com seu comandante
O meu quintal precisa ser livre como era antes

O povo do meu quintal não pode ser triste
É o dono de si e não gosta de dedo em riste
O povo do meu quintal sabe bem o que quer
O povo do meu quintal não nasceu pangaré

O povo do meu quintal detesta mentiras
Ele conhece de longe quem são seus traíras
Esses vorazes senhores com cara de seminarista
Que amam pisar em gente e maltratar seus artistas

O povo do meu quintal sabe a força que tem
Cansou de reverenciar e dizer amém
Nunca fugiu de uma guerra ou uma disputa
O povo do meu quintal precisa ir à luta

O povo do meu quintal quer mais seriedade
Sonha com dias melhores e oportunidades
O povo do meu quintal merece e faz jus
Então vamos juntos agora tirar o capuz

E cantar com toda força
O canto dos humanos
Reescrever sua história
E até fazer novos planos

E mostrar pro mundo todo
Nossa carta de alforria
E viver na santa paz
Com dignidade e harmonia


Sérgio Souto é poeta e compositor acreano

Um comentário:

laura Rodrigues disse...

Este acreano sabe bem o que diz.... Sou sua fã ...