quarta-feira, 28 de setembro de 2011

CRIME AMBIENTAL NO ACRE


Três moradores do seringal São Bernardo, em Rio Branco (AC), assinam uma nota contra os danos ambientais causados no Riozinho do Rola pelo manejo de madeira da empresa Triunfo.

Auxiliados por ativistas da igreja católica, os moradores tentam uma reunião na manhã desta quarta-feira (28), em Rio Branco, com a presença de representantes do Ministério Público Estadual e de órgãos dos governos estadual e federal da área de meio ambiente.

A madeireira Triunfo se instalou no Acre em 2004 incentivada pelo “governo da floresta”. Ela beneficia madeira para exportação, principalmente para Europa e China. O então governador Jorge Viana (PT), atualmente senador, à época disse que estava interessado em qualidade e não em quantidade.

- Esta é uma empresa que tem tradição na indústria florestal racional e é isso que nós queremos no Acre: empresas que trabalhem com qualidade e com madeiras certificadas. Isso é a garantia de que teremos nossas florestas preservadas. O que queremos é acabar com a garimpagem de madeira no Acre - assinalou Viana.

"Agonia da Bacia do Riozinho do Rola"

"Nós, moradores das colocacões Centrinho, Catuaba e Cambito, no seringal São Bernardo, em Rio Branco, denunciamos à opinião pública do Acre e do Brasil o que a natureza vem sofrendo em nossa comunidade.

O manejo da Madeireira Triunfo que se instalou no seringal São Bernardo tem causado vários problemas: fuga da caça, obstrução de mananciais e das estradas de seringa e castanhais.

Um dos problemas mais graves é a obstrução de grandes igarapés, como o Vai-se-Ver e o Riozinho do Rola.


O manejo da Madeireira Triunfo construiu uma barragem no igarapé Vai-se-ver e fechou o canal que passávamos com as canoas e represou a água do outro lado. Desta forma, passamos a ficar ainda mais isolados no período do inverno.

Nesta semana, para passamos sob a ponte do Riozinho do Rola, de canoa, tivemos que tirar o barro de meio do canal do rio, colocando nossas vidas em risco, pois o barro podia desabar a qualquer instante.


Todas as intervenções do manejo da Madeireira Triunfo causam fuga e mortandade de peixes, comprometendo não só o nosso transporte como também uma de nossas fontes de alimentação, além de um grande dano ambiental para nossa comunidade e para o planeta.

Quando as máquinas abriram os ramais para escoar a madeira, os entulhos de árvores mortas e barro foram jogados às margens dos ramais, impedindo a passagem para nossas estradas de seringas e castanhas.


O barulho das máquinas afugenta a caça e isso tem influência em nossa renda familiar, comprometendo a nossa sobrevivência.

A poeira causada pelo transporte de madeira fez aumentar o numero de crianças com doenças respiratórias, pondo em risco a vida de nossos filhos.


O manejo da Madeireira Triunfo não respeita sequer acordos firmados. O posseiro Manuel Careca, morador há mais de 15 anos na colocação Cambito, não aceitou a abertura de um ramal dentro de sua colocação, mesmo assim o ramal foi aberto e o transporte de madeira é feito passando no terreiro de sua casa.

Todos sabemos que a Bacia do Riozinho do Rola, que está sendo alvo de tantos crimes ambientais, é importante também para a zona urbana de Rio Branco, a capital do Acre.


O Riozinho do Rola é o principal afluente do Rio Acre, que é a fonte de onde o município de Rio Branco retira toda água para consumo da população. O dano causado a esta bacia também influencia de forma direta quem vive em Rio Branco.

As fotos provam a nossa denúncia.

Por todos estes motivos, pedimos socorro aos órgãos governamentais da área de meio ambiente, direitos humanos, conflitos agrários, instituições de pesquisa e sociedade como um todo.


Este problema não é só da nossa comunidade. É também do nosso município de Rio Branco, do nosso Acre e do nosso Brasil.

Para dar legitimidade a esta denúncia, assinamos este documento.

Antônio Pereira dos Santos (Sulino), morador da colocação Catuaba e Presidente da Associação de Seringueiros do Vai-se-ver

João Manuel de Lima(Careca), morador da colocação Cambito

Antonio Evangelista da Silva, morador da colocação Centrinho"


Clique aqui para ver mais fotos.

Atualização, às 19h10:

O empresário Jandir Santin, da Laminados Triunfo Ltda., enviou nota em que afirma que "inexiste crime ambiental".

Eis a nota:

"É com perplexidade que tomamos conhecimento da denúncia apresentada por tão somente três pessoas, pois de um grupo de dezenas de moradores ribeirinhos não foi exposta qualquer reclamação.

Com olhos para a verdade, a Laminados Triunfo sempre primou pela prática do bom manejo, que já lhe rendeu reconhecimento nacional e internacional de seus produtos e serviços, em decorrência da responsabilidade ambiental, como também por sua mais profunda preocupação com a população ribeirinha.

Assim trabalhando, é totalmente inverídica a denúncia caluniosa de que a Laminados Triunfo tenha praticado qualquer crime ambiental, e para tanto convida os representantes dos meios de comunicação, bem como qualquer representante de órgão fiscalizador, para acompanhar seus trabalhos, pois, aquilo que realmente vemos nos convence mais do que boatos que ouvimos dizer.

Portanto, a empresa Laminados Triunfo, assegurando assim o contraditório e a ampla defesa, como manda o bom jornalismo,  vem por meio deste esclarecer o seguinte:

1. A Triunfo Amazônia é uma empresa séria e idônea, cujos princípios básicos são calcados no desenvolvimento econômico e social da população, onde explora a matéria prima;

2. Todos os seus procedimentos são certificados por rígidos processos de auditorias por organismos nacionais e internacionais de meio ambiente que certificam a madeira;

3. O ramal recuperado pela empresa para escoar a madeira oriunda de projeto de manejo aprovado pelos órgãos ambientais foi autorizada pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre;

4. A propriedade onde é explorada a madeira está há 15 quilômetros do local;

5. A ponte sobre o Riozinho do Rola,  bem como o bueiro em outro igarapé, serão removidos quando da chegada do inverno, para não obstruir o fluxo das águas;

6. Não houve nem há fuga de caça, obstrução de estradas de seringa ou castanha ou de mananciais;

7. A empresa busca o desenvolvimento dessas comunidades, gerando emprego e renda além dos benefícios sociais, sempre primando pela observação das legislações, ambiental e trabalhista.

Por último, a empresa compromete-se a levar ao local objeto desta denúncia, as pessoas que estiverem interessadas para ver de perto a situação e conversar com as pessoas beneficiadas, para que, desta forma, possa fazer um melhor juízo de valor, ouvindo as partes envolvidas."

45 comentários:

Paulo Henrique disse...

A realidade é vergonhosa e contundente, mas o silêncio das instituições é desesperador! Até quando?

Estou Sabendo disse...

Isso é a realidade do desenvolvimento sustentável do governo da frente popular! destruir florestas e mananciais, obstruir rios e afugentar a caça dos que moram e sobrevivem dela.
Eu fui nas três últimas semanas à Sena Madureira e tando na ida quanto na volta, cruzei com vários caminhões lotados de madeira. Que propaganda enganosa é essa de desenvoltimento sutentável? só se for sutentar os bolsos dos comandantes da frente popular.

OLima disse...

Pela gravidade do caso, vou fazer a devida referência no Ondas3 de amanhã. Bem haja.

Roberto Feres disse...

sustentável: aquilo que se não tiver um bom apoio, cai...

Jonas Amado Araújo disse...

Altino, você sabe dizer porque isso não é PERMITIDO em cruzeiro? Em Rio Branco na estrada do aeroporto vemos filas de carretas com essas toras de madeira. Aqui em cruzeiro se carregar uma tábua vai preso até a sétima geração.

Aqui tem um tal de Ibama que é o terror de quem sonha em fazer uma casinha para viver embaixo. Tem um tal de Imac multa até radio a pilha se tiver com o volume acima do 2.

Eu queria saber porque aqui a Fiscalizaçao é tamanha. Será que é porque aqui o povo ta sendo cobaia dessa tal de Florestania?

O ibama gasta milhoes com passeio de helicóptero, mas não gasta 1 centavo pra ajudar ninguem.

ALTINO MACHADO disse...

Jonas, este é o Acre real, distante da propaganda e das conferências do socioambientalismo.

Enzo Mercurio disse...

Kd a policia federal? E a Dilma esta sabendo disso?
Precisamos avisar com urgência , pois o PT no Acre é uma referencia .
E os europeus endinheirado kd ? Não vão fazer nada.
Parece que a florestania é apenas uma balela.

Carlos disse...

Rapaz agente sabe que essas coisas acontecem, mas ninguém denuncia, esses senhores estão de parabéns!
Se todos os brasileiros tivessem essa atitude e coragem o país seria bem diferente!
A parte deles foi feita, a denúncia.
Agora quero ver a manifestação das "autoridades".

Andarilho disse...

Prazer esse é o desenvolvimento sustental, real, do Acre para os seringueiros.
O desenvolvimento sustentavel vendido lá fora é o contrário do que a notícia expõe, o tal do 'pra inglês ver'.
Agora, no dia que um governo sério assumir esse Estado, um adminitrador de verdade e, mostrar a vergonha que é esses projetos de desenvolvimento sustentavel 'furreca', que serve para poucos enriquecerem. Dará vergonha de ser acreano!

Pietra Dolamita disse...

Graças ao deuses dos jornalistas, e a padroeira Santa Clara, que finalmente tenho o prazer de ler está matéria jornalistica. Parabéns a estes seres corajosos que denunciaram este absurdo ao mundo. E ainda bem, que o Altino mora no Acre, e tem este blog para dá vozes aos oprimidos.
E agora, será que a "filosofia da florestania" está em crise? Ou será que não passou de idéias mal elaboradas para o tal desenvolvimento sustentável? Que sustenta apenas alguns, enquanto os reais habitantes das florestas, ainda sofrem. Entendo que o falecido Chico Mendes morreu apenas para servir de bandeiras para todos os ditos "ecologistas", e toda turma que gosta de dizer que salvaram os povos das florestas, e o seu habitat.

Paulo Henrique disse...

Uma das primeiras atitudes para a conquista do "ACRE QUE NÓS QUEREMOS" é compartilharmos do vinho da fé, esperança e amor, conquistando assim a coragem para "sairmos das catacumbas escuras do medo e do anonimato" e poder professar o testemunho da verdade onde houver ouvidos para ouvir e olhos para ver...
MAGISTER DIXIT

Tiago disse...

Gostaria mesmo com tudo isso aonde esta a fortuna que esta madeira traz, mais uma aonde esta os empregos das empresas de madeireira traz aqui para Rio Branco só tem emprego publico ou fica calado ou vai pra geladeira . Sem contar com o nosso querido DETRAN-AC....
Aonde só os ricos (VIAN) tem vez!!

Peter disse...

Pogresso chegando!!! Foi assim que ocorreu em Rondônia

Janu Schwab disse...

A florestania é pura retórica para gringo ver. E o pior é que nenhum valor é agregado a esse movimento de "extrair" da floresta o que a floresta tem. O Pólo Moveleiro é um embuste, não há mercado de design de móveis, a marchetaria sobrevive nas mãos de poucos talentos a base dos mecenas que fazem o patriciado estatal (porque o civil está intimamente ligado ao recurso público), não há tecnologia, nem incentivo. Plantamos boi e fim.

Eduardo Carneiro & Egina Carli disse...

Altino, o governador e prefeito não sabem disso... eles tem mais o que fazer... inclusive ir aos EUA (com dinheiro do povo...rsrsrsrsr) debater sobre manejo florestal...rsrsrs

Altino, uma matéria sobre os gastos que o governo e seus secretários fazem com "turismo" seria interessante... sim, todos os gastos com viajens inúteis para o povo, aquelas que são justificadas com os mais nobres argumentos, mas que acabam sendo meios de viajar e ganhar diárias...rsrsrs... O Governo do Povo faz coisas que o povo provavelmente discordaria

Ser ou Não Ser... disse...

Com a palavra e muito mais ainda, com a ação, o Ministério Público do Acre.

Eduardo disse...

Não querendo ser chato mas...

Como desconfio de tudo que se faz nestas plagas sui generis (onde gigolô sente ciúmes; traficante se vicia; prostituta se apaixona, beija na boca e tem orgasmo; agroloja só vende material de construção, taxista dá carona e etc.) , sempre imagino que quando denúncias como essa vêm à tona é porque alguém teve seus interesses contrariados, ou “uma grana” que ia ser ganha não chegou às mãos de alguém, ou alguém ou algum grupo foi preterido ou passado para trás na hora da divisão do “acerto”, etc., etc., etc.

Pelas ótimas fotos publicadas, deduz-se que a infraestrutura (mesmo que precária) para a extração de madeira não “nasceu” da noite para o dia. Isto é óbvio também pelo tempo de sete anos de instalação da empresa na área, que eles mesmos relatam.

Agora vejamos:

“...fuga da caça, obstrução de mananciais e das estradas de seringa e castanhais...”
“O manejo da Madeireira Triunfo construiu uma barragem no igarapé Vai-se-ver e fechou o canal que passávamos com as canoas e represou a água do outro lado.”
“Quando as máquinas abriram os ramais para escoar a madeira, os entulhos de árvores mortas e barro foram jogados às margens dos ramais, impedindo a passagem para nossas estradas de seringas e castanhas.”
“O posseiro Manuel Careca, morador há mais de 15 anos na colocação Cambito, não aceitou a abertura de um ramal dentro de sua colocação, mesmo assim o ramal foi aberto e o transporte de madeira é feito passando no terreiro de sua casa.”

Ué, e nunca fizeram nada?!

Ora, a empresa se estabeleceu há sete anos! Por que somente agora a reclamação foi feita? O que aconteceu durante todo esse tempo para “calar a boca” dessas pessoas que hoje denunciam? Ou tudo isso dito acima começou este ano, este mês ou esta semana?

Outra coisa: se o “posseiro” mora há mais de 15 anos, “espere aí!” . Não é posseiro. É invasor. É fora da lei. Se fosse morador há 40, 50 anos vá lá.

Tenho minhas dúvidas.

Penso sempre na nossa índole (brasileira) que sempre coloca em primeiro plano a oportunidade de tirar vantagem de alguma forma, a visão primeira de “ganhar algum”, em detrimento de uma análise mais acurada da situação e suas possíveis consequências a qualquer prazo. A filosofia do “meu pirão primeiro!”...
Penso naquela herança maldita e persistente, o dna-zinho dos primeiros colonizadores, em 1530 - degredados, salteadores, punguistas, larápios, gatunos, rufiões, escroques, enfim, a escória lusa – que veio somente para tirar vantagem, ver-no-que-ia-dar (de lucro), conseguir se safar da lei...

Sou crítico, concordo em gênero, número e grau com as demais opiniões externadas, mas seria bom que olhássemos em volta ou mais além do telhado do PT.
“Eles” têm a maior responsabilidade sim, pelo engodo aos conterrâneos (eu fora, nunca engoli), pela dissimulação, pelo descaramento, pelas perseguições. Mas o buraco é mais embaixo.

Quando vejo essas coisas fico sempre com um canil inteiro atrás da orelha... acho que sou desconfiado demais...

P.S.: Assisti o parto do PT dentro do Casarão. Depois de uma doses de cachaça, os meninos diziam: “Hay gobierno? Soy contra!” “A pátria é uma prostituta que se deita com os generais e com os banqueiros, e os dizeres da bandeira nacional estão podres! Abaixo a ditadura!”
A segunda assertiva ainda é bem atual não? Adaptemos...

Albuquerque disse...

Como escreveu sabiamente o Profº. Doutor. Helder, da UFAC, em sua Tese de Doutorado, (DES)ENVOLVIMENTO (IN)SUSTENTAVEL. A estrutura de poder arquiteta pelos vianas se ramificou em todo o tecido social, ministério público estadual, sindicatos, ong's, igrejas e etc, etc...todos calados com medo de perder a "boquinha" arranjada no governo para envolvê-los e deixá-los calados. Pobre Acre. Esses produtores rurais são muito corajosos. Mas, se preparem para a perseguição.

Valterlucio disse...

Isto tudo é só a cara do neo-extrativismo. O corpo é mais longo e dolorido. Queria ver essas fotos grampeadas nos diplomas dos economistas e outros istas que nos anos 90 sustentaram e (ainda?) sustentam teoricamente o modelo. Vamos lá, valentes. Voltem aos seminários e provem que estavam certos. Eu adoraria ouví-los novamente.

Janu Schwab disse...

Comentário da atualização: Mas e essas fotos? São boatos fotográficos? Se a empresa citada diz não praticar crime ambiental, é porque está dentro dos parâmetros da lei. O que não tira o impacto diante das imagens - ainda que sejam provenientes da denúncia de três míseras pessoas: toras, carretos, ramais improvisados, represamento de igarapé e a certeza do que sobra com esse manejo.

Janu Schwab disse...

Me pergunto: quantas pessoas seriam necessárias para que a denúncia deixasse de ser tratada como boato? Desqualificar a queixa pela quantidade (somente três pessoas) dos queixosos não me parece ser muito justo.

cplauto disse...

Madeeeeeeiiiiira. Acho que a empresa já pode fretar um ônibus para gente ver de perto. Altino combina com os caras, eu tô nessa, só acredito vendo. Essas montagem de fotoshop não me convenceu.

Fátima Almeida disse...

É um absurdo. As imagens falam por si. Plano de Manejo é o nome que usam agora para justificar o poderio econômico. É só ver os pobres na lama e as carretas abarrotadas de árvores centenárias que estavam ali muito antes desses vampiros terem nascido para saber a que "benefício social e desenvolvimento das comunidades eles se referem"."Aprovado pelos órgãos ambientais"; "certificado por rígidos processos de auditoria de organismos nacionais e internacionais", tudo balela porque está tudo sob controle. Como disse Lúcia Hipólito: "o PT aliado ao coronelismo mais arcaico não vai desaparecer porque está fortemente enraizado na administração pública dos Estados, Municípios e Governo Federal, é o triunfo da pelegada". Vamos todos morrer de calor. A construção civil nos empareda com concreto e asfalto, as madeireiras retiram as florestas do entorno da cidade e o povo constrói Igrejas em cada esquina onde ficam a gritar Senhor, aleluia! Isso não é plano de manejo, é destruição como ocorre em qualquer guerra. Todas as batalhas já estão perdidas. O nome "Triunfo" é uma antecipação disso. Eles são triunfantes. Fazem o que querem com nossas florestas, dizem o que querem, esfregam "certificados" na nossa cara e só faltam nos dizer: os incomodados que se retirem. Aliás, já disseram.

Roberto Feres disse...

Deus oh! Deus, onde estás que não respondes!
Querida Fátima,
Na década de 70, quando os Paulistas chegaram com o progresso e o boi, creio que o conflito com a população tradicional tenha sido mais honesto, declarado. A reação (sindicatos, igreja, empates, Dom Moacir etc) enfim, conduziu à definição de um modelo de ocupação sócio econômico e ambientalmente defensáveis.
Mas dinheiro e poder são foda..
Mandaram Dom Moacir prá Rondônia, deram cargos públicos prás lideranças comunitárias, distribuem esmolas que calam o povão e incorporaram o discurso da sustentabilidade na exploração da floresta. Num ambiente de cinismo assim, acho que a exclusão é maior que nos tempos da chegada dos bois.
Restam as imagens de como a devastação se
deu e a esperança de que a burocracia independente faça sua pressão em nome do povo...

ALTINO MACHADO disse...

Ricardo Cunha, tenho certeza de que você vai acessar esta seção para ler o comentário que deixou. Sendo assim, chupa essa: cria um blog para escrever baboseira e convida os babacas que quiser para que comentem. Passe bem ao largo.

Janu Schwab disse...

Quero saber qual é o outro veículo de comunicação (oficial ou não) que dá as duas versões dos fatos. Lemos uma, opinamos. Lemos a outra, também opinamos. Opinar. É, isso deve ser coisa de babaca mesmo.

Abnara disse...

É muito fácil ter um Blog e aceitar apenas os comentários que são favoráveis sobre as matérias que escrevem. Isso é que é ser jornalista.... Divulgar as informações para o mundo fechando os ouvidos para as críticas. Não faça isso... seja justo com as pessoas.
Cadê o comentário do Ricardo Cunha? Não aceitou? Foi contrária a sua opinião? Realmente só tem a sua resposta... Como sempre as opiniões contrárias as suas matérias não tem espaço para discussão. Isso é que é DEMOCRACIA. Ainda quer ter PEITO para falar mal do serviço público. Mas de uma coisa você está ensinando a todos: “Que a discussão é um meio de uma via só.... A SUA”. Parabéns Altino!!!!!

ALTINO MACHADO disse...

Abnara, a regra do blog é clara para todos os que o acessam. Está na página principal. Leia: "Os comentários neste blog passam por minha moderação, o que me confere o direito de publicá-los ou não." O comentário dele era ofensivo a mim e a quem comenta neste blog. Recusei o comentário. Aceito comentários contrários, mas não ofensivos. Você acha correto alguém se referir, por exemplo, a uma promotora de justiça como vadia? O que está neste post não tem nada opinativo. Apenas a apresentação do texto e das fotos assinadas por três trabalhadores. Portanto, o blog é meu. Quem manda nele sou. Quem se responabiliza pelo conteúdo sou eu. E fim de papo. Não gostou, cale-se para sempre ou vá cantar em outra freguesia.

Peter disse...

Meu amigo até quando a exploração de madeira e feita de forma regular ocorrem denuncias (as mais INFUNDADAS possíveis) Assim fica difícil algo PROSPERA aqui. Só LEMBRANDO o que parece que todo mundo ESQUECE!!!! ------ Ainda faltam uma PONTE SOBRE O RIO MADEIRA, conclusão do segundo linhão para o Acre pois a primeira e segunda unidades geradoras da UH SANTO ANTONIO irão entrar em funcionamento em dezembro de 2012 e iniciar o mais rápido possivel a REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA de Rio Branco pois o que ta ocorrendo no entrono da Amadeu Barbosa é uma pouca vergonha. Talvez isso seja o mais importante a se obardar no momento...........

Abnara disse...

Altino concordo quando disse sobre os comentários ofensivos que não trazem algo de fundamento para uma discussão. Neste ponto a moderação deve existir.... mas me referi a outros comentários que realmente podem ser uteis a um debate importante em prol das questões que envolvam nossa sociedade.
Quanto à assertiva “... o blog é meu. Quem manda nele sou. Quem se responsabiliza pelo conteúdo sou eu. E fim de papo. Não gostou, cale-se para sempre ou vá cantar em outra freguesia.” te digo: Se você não sabe ouvir criticas está na área errada. Do que adianta ter blog, pois acredito que você o tem para realizar um trabalho que realmente acredita e poder de alguma forma contribuir para o Estado em que vive, se não sabe ouvir as diversas opiniões, exclua, então, o acesso para os comentários; seria mais justo e correto.
Você acha certo um Jornalista, dono do Blog, autor das matérias, chamar as pessoas que acessam seu blog de “babacas?” ou ainda “pedir para calar-se para sempre ou ir cantar em outra freguesia”?
Será que somos pessoas tão superiores assim, incapazes de reconhecer que podemos melhorar o nosso trabalho? .....
De adiante de tudo isso sei que você é uma pessoa coerente, e mesmo diante de alguns comentários de pessoas que conheço afirmando que já tentaram diversas vezes participar das discussões sobre suas matérias e não ter seus post aceites, você aceitou meu comentário. Já é o início de uma Democracia justa.

ALTINO MACHADO disse...

Abnara,

Você leu, não entendeu e eu não sei desenhar. Vou colar aqui os dois comentários que recusei do Ricardo Cunha. Espero que compreenda e deixe de defender cegamente liberdade para gente estúpida. Veja os dois comentários:

1)"Nunca vi tanta baboseira escrita junta num mesmo lugar. Um babaca escreve um monte de asneira e um monte de outros babacas levam isso como uma única verdade."

2) "VOCÊ SÓ FEZ ME PROVAR QUE É MESMO UM BABACA. POR QUE NÃO PUBLICA O QUE ESCREVEM CONTRA O SEU BLOGUINHO DE MERDA AO INVÉS DE COLOCAR SOMENTE O QUE TE CONVÉM. ISSO PRA MIM NÃO É SER UM JORNALISTA RESPONSÁVEL, VOCÊ PRA MIM NAO PASSA DE UM MOLEQUE."

Abnara disse...

Acho que nós dois não estamos nos entendemos mesmo. Não estava me referindo a esses comentários. Mas tudo bem... o mérito aqui é o espaço para realizarmos uma discussão justa. Grata por sua atenção

ALTINO MACHADO disse...

Sem comentário.

Pietra Dolamita disse...

...Nossa, ainda bem que não vivemos em uma ditadura, senão caro Jornalista Altino irias para o porão ser torturado. As pessoas deveriam era se preocupar com o real assunto da denúncia, e não fica ofendendo todo mundo. Posso ser até babaca, como disse o senhor Ricardo Cunha, porque tb comentei sobre o assunto. Mas, é daí? "Quem fala o que quer, ouve o que não quer". Muito justo em vetar este tipo de comentários. E vejamos, tu apresentou os dois lados da história. Cabe o observação e a coerência analisa a verdade. Falam tanto em democracia, e acham que democracia é ficar agredindo todo mundo, e se achando o máximo. Ser babaca agora é falar a verdade?

joaomaci disse...

Na verdade, sabemos que não há novidade em saber que o pessoal do Riozinho do Rôla tem muita coragem, pois durante muitos anos está sentido na pele o preço da injustiça travestida de bonitas palavras e frases de efeito.
A novidade, aliás, a boa novidade é saber que há pessoas vinculadas a instituições que se posicionam em favor destas famílias.
Acredito que o debate deve ultrapassar essa estória do Manejo Florestal que, como muitos já denunciaram, não tem nada de sustentável.
Deve-se aproveitar a visibilidade que o post trouxe a este conflito e cobrar que as autoridades regularizem de imediato a situação das famílias.
Se as famílias querem uma Reserva Extrativista, que seja dado o direito a elas. E caso isso ocorra, que a gestão da reserva se dê de maneira diferente do que temos presenciado nas demais.

Estou Sabendo disse...

O grande problema é que estamos vivendo últimamente em um país dominado por politicos inecrupulosos. Um país em que os exemplos que deveriam nortear os horizontes de nossa sociedade está enlameado. Veja agora mesmo o que aconteceu com a famiquadrilha Sarney. Um juiz do STF alegou que as investigações foram ilegais (acho que se mirou nos exemplos daqui)e não acatou as denuncias.
Agora estão querndo arranjar uma brecha pra salvar o Zé Dirceu, chefe da quadrilha do mensalão. O advogado dele, MTB como é conehcido, foi Ministro da justiça e era chefe da Policia Federal quando da investigação do mensalão. Agora ele é advogado de defesa do Zé Dirceu, e o pior que ele é quem aconselha a presidente Dilma nas escolhas dos Ministros do STF, ou seja ele escolhe os juizes dos processos em que ele atua como advogado de defesa. O que podemos esperar da justiça do nosso país? O PT tem o dominio total dos três poderes da República. E se eles conseguirem aprovar o financiamento público de campanha, o zé Dirceu se safa, além de junto com o PMDB ficarem com a maior fatia do bolo.

Altemar disse...

O Que Não Estais Sabendo:
- uma prova do mensalão, só uma, tens?
- Se Dilma ouvisse MTB, talvez tivéssemos tipos Ali Mazloum, Macabu (vá ao Google), comparastes?
- Famiquadrilha Sarney, quem não sabe? Pergunte aos nossos representantes acreanos se algum foi contra eles...
- Financiamento de campanha, sugiro que leias as informações nos sites oficiais,
- No mesmo Google, procurando pelo pedaço, "ele é quem aconselha a presidente Dilma nas escolhas dos Ministros do STF" olha que surpresa:
"http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/marcio-thomas-bastos-ajuda-a-escolher-ministro-do-stf-ate-ai-ocorre-que-ele-e-testemunha-de-jose-dirceu-e-advogado-de-um-dos-mensaleiros-que-serao-julgados-pelo-stf/"
Reinaldo Azevedo?
Assim é fácil, difícil é pensar.
- Altino, grato pelo espaço.

cplauto disse...

Cara, falei sério, para quer toda essa discussão, a empresa ofereceu para qualquer um ir ver com os próprios olhos, vamos todos. Ou a turma tá com medo de ir para ilha da fantasia.

Estou Sabendo disse...

Altemr,
por acaso recebeu mensalão também, ou tu faz parte do contracheque daqui?

Estou Sabendo disse...

Além do mais eu só estou falando o que li na revista VEJA, como vc mesmo citou. As revistas costumam sumir das bancas aqui no Acre quando falam mal da turma!

padilha disse...

Altino,

Essas fotos do pst são suas?

ALTINO MACHADO disse...

Não, mas gostaria que fossem.

Fusca disse...

O povo da Bolívia já está acordando e protestando pelo mesmo motivo. O Belo Monstro deles é obra da OAS financiada pelo BNDES às custas do povo brasileiro, devastando a Amazônia boliviana e revoltando a população. A Bolívia, primeiro lugar em desigualdade social (índice GINI da ONU) está acordando. Está na hora do Brasil, terceiro país mais desigual do mundo desde 2010 (o segundo lugar é do Haiti) acordar também.

ALTINO MACHADO disse...

Comentário enviado por Jandir Santin Jr.:


"Por favor Sr. Altino Machado,

Se interem melhor do assunto antes de publicar algo. De audiência o Brasil esta cheio. Triunfo Amazônia é uma das poucas, senão a única a ter madeira legal e reconhecida mundialmente.

Eu como dono não me canso de ver pessoas locais, nacionais e internacionais entrando e saindo dia e noite da empresa elogiando o trabalho de manejo correto que é feito.

Porque vocês não vão até a empresa fazer uma reportagem com toda a equipe e com todos, eu repito, TODOS os comunitários?!

Garanto a vocês que menos de 5% terá algo a reclamar. Porque vocês não tem idéia quanto de renda e recursos nos fornecemos para as comunidades.

Vão fazer uma reportagem como esta no Mato Grosso, Pará, Rondônia e faz uma comparação com a política ambiental do Acre antes de falar algo sobre a política de manejo florestal.

Sou um fiel leitor e hoje fiquei extremamente decepcionado com esta reportagem. Não porque faço parte da empresa, mas sim porque só nós que vivenciamos o dia a dia podemos falar e responder por atos de justiça ambiental.

Trabalhamos tanto para conseguir livrar esta imagem "suja" que madeireiros possuem por, supostamente, "destruir" as florestas, e uma noticia como esta abala a nossa motivação de lutar pelo justo, correto e sustentável.

Lamentável.

Obrigado por respeitarem minha critica,

Jandir Santin, Jr.

Cursando Business de Produtos Florestais

Estudante da Universidade de Virgínea Tech - USA"

ALTINO MACHADO disse...

Caro Jandir Santin Jr., grato pela mensagem. Em resposta à sua crítica vale a nota de esclarecimento enviada na tarde desta segunda-feira (3) pelo IMAFLORA/SmartWood, orgão certificador da Laminados Triunfo, que será destaque no blog na manhã de terça-feira (4):

"O IMAFLORA/SmartWood, na qualidade de organismo certificador da LAMINADOS TRIUNFO LTDA (certificado código SW-FM/COC-001586), vem se pronunciar publicamente sobre as notícias de crimes ambientais praticados pela empresa, recentemente veiculadas na mídia, e os encaminhamentos relativos à certificação FSC da mesma.



O local citado nas denúncias refere-se ao ramal de acesso à Fazenda Ranchão II (localizada à Rodovia AC 90 Transacreana, K 52 - Ramal do Cucui, Km 12 - Coordenada Geográfica: 09°54’73’’ 68°11’05’’). Apesar de estarem sob responsabilidade da LAMINADOS TRIUNFO LTDA, as atividades de exploração florestal realizadas na Fazenda Ranchão II não fazem parte do certificado FSC desta empresa.



Por solicitação da LAMINADOS TRIUNFO LTDA, esta área passou por uma auditoria do Imaflora/SmartWood entre 29/08/11 e 02/09/11, cujo objetivo foi avaliar a possibilidade de inclusão desta área no atual certificado de manejo florestal da empresa. Para isso, visando verificar a conformidade com os Princípios e Critérios (P&C) do FSC, a equipe de auditores realizou consulta a partes interessadas locais e avaliou as atividades realizadas pela empresa nesta área e no seu entorno.



Durante esta auditoria, foram identificadas práticas que representam não-conformidades aos P&C do FSC, impedindo, portanto, a inclusão desta área na certificação FSC da empresa LAMINADOS TRIUNFO LTDA, até que os problemas identificados sejam solucionados.



A resolução dessas pendências condiciona não só a inclusão da área no escopo da certificação da TRIUNFO, como também pode afetar a continuidade da certificação da empresa, já que, segundo as normas do FSC, empresas certificadas devem manter-se alinhadas aos Princípios e Critérios em todas as áreas sob sua gestão, não promovendo ações que tenham conflitos com tais diretrizes.



Sendo assim, o Imaflora solicitou a resolução dos problemas encontrados e está realizando uma análise completa dos fatos.



Conforme previsto no sistema FSC, a sociedade pode acompanhar os resumos públicos da certificação, que são publicados anualmente no site do FSC.

As informações e resumos públicos da LAMINADOS TRIUNFO LTDA. podem ser acessados em http://info.fsc.org/PublicCertificateDetails?id=a0240000005sTcBAAU."