quarta-feira, 20 de abril de 2011

ÍNDIOS PROTESTAM EM TARAUACÁ

Juiz Manoel Pedroga pede proteção policial



Mais de 200 índios das etnias katukina e kaxinawá se deslocaram nesta quarta-feira (20) de Feijó para Tarauacá, no Acre, para protestarem contra a prisão do pajé José Guilherme Nunes Ferreira, preso desde sábado (16), quando foi flagrado com 17 trouxinhas de maconha.

Pintados para guerra e armados com arcos e flechas, os índios estão desde às 12h30 (11h30 no horário local) em frente ao fórum de Tarauacá. O juiz substituto Manoel Pedroga, que responde pelas comarcas das duas cidades, pediu proteção.

O defensor público Paulo Michel São José apresentou pedido de liberdade provisória para José Guilherme Nunes Ferreira na terça-feira (19).  Segundo o defensor, a maconha do pajé seria utilizada para curar doentes da Terra Indígena Katukina-Kaxinawá, no baixo Rio Envira.

O pajé, durante o depoimento que prestou à polícia, disse que fabrica um chá de maconha que é ministrado aos doentes e que é ele é o único que fuma maconha na tribo.

Existem dois laudos preliminares de contestação de natureza toxicológica da substância vegetal. O primeiro acusa a presença de maconha, mas o segundo laudo aponta para inexistência dela. Segundo o defensor, o laudo preliminar foi negativo e não há qualquer hipótese autorizadora da prisão preventiva.

- Estou tentando permanecer tranquilo. Os autos foram remetidos para manifestação do Ministério Público. Vou dialogar com os índios e dizer que o Judiciário não funciona sob pressão. Depois vou analisar o pedido de liberdade provisória apresentado pela defesa - disse o juiz.

Policiais que estavam de folga foram convocados para reforçar a segurança do magistrado. Pedroga disse que a direção do Tribunal de Justiça do Acre já foi comunicada sobre o protesto dos indígenas e deu orientações para lidar com a situação.

Pedroga condenou nesta quarta-feira (19) o indígena João Nunes Hunikui Kaxinawá, da etnia kaxinawá, a cinco anos e quatro meses de prisão por tentativa de estupro contra uma crianças de três anos de idade.



Nota atualizada às 13h48 para inserção de fotos da manifestação e da reunião do juiz com líderes indígenas. Saiba mais no Blog do Accyoly.

4 comentários:

Victor Mattos disse...

O Cachimbo do índio é proibido, mas se você quer comprar é mais fácil que pão.. deixem a cultura em paz..

Marcel Marques disse...

Como fã de O Pensador não nego que foi a primeira coisa que pensei. Valeu Victor!

Acreucho disse...

Bem, se os Senadores querem criar alguma coisa como o cultivo oficial da maconha, porque um pagé lá no meio da selva amazônica não pode dar uns peguinhas? Esse Juiz em breve deverá ser transferido com toda certeza... por aqui, quando alguém quer fazer as coisas certas acontecem coisas estranhas...

carlos trilha disse...

Com a saída do Dr. Romário e Dr. Marcos Aurélio, o judiciário e o ministério publicam ficaram jogados as traças, e agora sofrendo pressão desses índios, vai ficar e com moral mesmo, que vergonha!