sábado, 26 de fevereiro de 2011

CASA DE CABA

Destaque para o comentário do leitor Francisco

"A emoção é péssima companheira na hora de tomar decisões.
Ela nos cega e impede de ver o real sentido das coisas ou perceber o rumo certo que se tem que tomar.

Ou seja, a maioria dos acreanos votou na volta do antigo fuso horário, não por que seja melhor, mas porque a emoção da revolta por não ter sido perguntado ou autorizado levou a este posicionamento.

Uma vez vi, na infância, no seringal, um vizinho tocar fogo na casa porque queria matar uma casa de "caba" que ferrou sua filha."

Glossário: no Acre, caba é maribondo ou marimbondo

7 comentários:

Airton disse...

Altino, me explica ai, estava pensando como foi rápido e fácil os políticos mudar o horário do Acre para o horário que eles (Tião, Jorge, petezada em geral) queriam. Agora para retornar o horário para qual o povo acriano escolheu é uma novela colombiana, precisa de uma lei, não se sabe se o referendo é valido, etc.... O Vianismo ditador não se conforma que ninguém vá contra seus interesses.

É isso ai pessoal ¡!

Roberto Feres disse...

Se engana quem acha que o povo optou pela volta ao horário antigo por protesto.
O percentual de votos no 77 foi maior quanto mais a oeste estavam os eleitores. As exceções foram Acrelandia e Cruzeiro, onde os prefeitos ajustaram melhor à mudança os horários de repartições e escolas e Porto Acre, Bujari e Xapuri, que não ajustaram e tem população fortemente ligada às atividades rurais.

Janu Schwab disse...

Essa foi uma excelente observação.

Estratégias coesas de persuasão e convencimento, com a ajuda de explanações e recursos conceituais baseados na realidade de cada indivíduo, não são ferramentas apenas da propaganda comercial, mas também da societal.

O episódio da troca de horário no Acre já faz parte do meu - como dizem os executivos de marketing dessa São Paulo - casebook sobre o que NÃO FAZER, nas aulas que dou como professor convidado.

Ou seja, mesmo com argumentos plausíveis, um sentimento de integração latejando em cada acreano e o melhor projeto de gestão governamental para o Acre em anos, o grupo político em questão não conseguiu êxito em algo aparentemente tão simples - eu disse aparentemente.

Os motivos são vários e não há um ponto final sobre eles. O que é consenso por aqui é que a boa comunicação faz uso de vários recursos e meios para vender uma ideia - ou um produto. A única coisa que ela não faz é obrigar os outros a comprar um produto - ou uma ideia.

A escolha é de cada um e respeita regras muito subjetivas. Jogar todas num só balaio é tão datado quanto a Teoria da Bala Mágica.

No Acre a comunicação é que é subjetiva, tomada por achismos. E o público, visto sempre como algo passivo de manual de uso. Isso ficou claro pra mim nas campanhas do referendo, em ambos os lados.

É o contrário. Comunicação é técnica. Método que tenta se adequar a complexidade das pessoas e aquilo que rege cada uma. Por mais que se tente dizer que as pessoas são influenciáveis, o fato é que cada pessoa se deixa influenciar por aquilo que pra ela é, de certa forma, útil.

Cada um, cada um. Esse é o todo.

ISAAC RONALTTI disse...

Janu foi preciso no seu comentário! Não há o que complementar.

Paulo Henrique disse...

"Nosso horário" sempre existiu, foi fundamentado pela posição geográfica da região em relação ao GMT, que convenciona o fuso-horário mundial. Houve modificação do nosso horario por demanda de interesse econômico de um grupo empresarial específico, a revelia da opnião e dos interesses da população local. Foi uma mudança meramente motivada "pela força da grana que ergue e destroe coisas belas".
A falácia de "tomar decisão sem emocionalizar o debate" é tremendamente irritante... não conheço nenhum trabalho de pesquisa cientifica que descarte a influência da emocionalidade nas diversas facetas do comportamento humano. Somos por isso mesmo "humanos" e não máquinas.

Mariah disse...

Sabe o que é mais engraçado?
É que tivesse ganhado o SIM, nada disso estaria acontecendo.

Ninguém estaria contestando uma "suposta" ilegalidade no feito.

Só quem se recusou a continuar neste horário que deve respeitar o resultado dos pleitos quando perdem não é?

Agora com a situação não, ficam com raivinha e batem pézinho, enrrolam o povo enquanto podem e etc.
Sabe porque várias pessoas NA INTERNET reclamam sobre a volta do horáio antigo?

Porque ninguém aqui tem filho que estuda a 10km de casa, tendo a criança que ir apé, e no escuro, correndo o risco de ser comida de onça ou levar picada de cobra.

Ninguém aqui trabalha as 5 da manhã, e vai pra parada de ônibus correndo risco de ser assaltado.

Ninguém aqui é idoso, e vai cedíssimo pra antiga FUNDHACRE, pegando ônibus ainda de noite e sendo assaltado.

E ainda me falam em emoção de não ter sido perguntado? Meu amigo, se tivessem perguntado ANTES de fazer a lei, quem está reclamando agora seriam os primeiros a dizer NÃO!

Sabe o que é isso? Hipocrisia egoista!
Só pensam no futebol e em não ter que acordar mais cedo pra poder fazer alguma transação financeira!

Ninguém aqui pensou no bem de TODO mundo, então já que é assim, quem falou NÃO também não tem obrigação de pensar!

Emoção? kkkkk eu sei qual é a emoção: A preguiça!

Marisa Fontana disse...

Esse leitor já ouviu falar em inteligência emocional?? Tá bom de se informar.