domingo, 16 de janeiro de 2011

FALTA DE SENSATEZ

Qual o motivo de tanto festejo em torno da epidemia de dengue que castiga a população do Acre? O que torna tão sorridente o governador Tião Viana (PT), o ministro da Saúde Alexandre Padilha, os ex-secretários Osvaldo Leal (Saúde) e Gilberto Siqueira (Planejemento), além da atual secretária de Saúde Suely Melo? Comemoram a promessa de R$ 5,4 milhões do governo federal para a "guerra" contra a dengue? Todos sabemos que não é por falta de verba pública que estamos sendo derrotados pelo mosquito.

13 comentários:

Altemar disse...

Dizer o que?

Marcel Marques disse...

"Todos sabemos que não é por falta de verba pública que estamos sendo derrotados pelo mosquito."

Justamente! É por falta de mobilização social, de respeito consigo e com o próximo. É pela ociosidade baiana que tem o acreano, sempre esperando pelo Estado, se cada um fizesse a sua parte, aquele trabalho de formiguinha mesmo, nós teríamos vencido a dengue.

Mas... vamos as críticas ao governo, já que a culpa é 100% deste né?!

ISAAC RONALTTI disse...

É...o pedantismo do Governo e de seus técnicos é impressionante. Vi uma determinada Secretária dando uma entrevista essa manhã na oportunidade da visita do Ministro da Saúde no Acre. Bem...ela falava que o Acre está saindo na frente no que diz respeito a uma política intensiva de combate a dengue. Perguntaria a estas pessoas se após tantos anos com epidemias e números sendo controlados com declarações indecorosas em receituários constando a palavra "VIROSE", o que exatamente está sendo feito de novidade? Estão gastando mais com mídia? Com propaganda? Estão pagando mais os jornais? Ou continuam fazendo reuniões com os médicos para que não atestem em seus prontuários DENGUE?

Chega de propaganda! Tudo que se faz é novidade, é o melhor, é o maior...sejam mais humildes e realmente mais humanos!

Sejam mais leais em relação o governo do Binho...que infelizmente faz parte da mesma agremiação de vocês.

A propaganda de vocês parece até que está a serviço da oposição, pois em todas as falas de Tião e CIA dá pra sentir por parte dos gestores uma certa ironia em relação a uma declarada incompetência da Prefeitura...isso é um prato cheio pra oposição...pra entregar de vez a Prefeitura falta só indicar o LÉO DE BRITO (que virou LÉO DO PT) pra concorrer a Prefeitura.

Mais do que nunca blogs e redes de comunicação servirão para participarmos interferindo diretamente em questões de interesse de nosso estado.

Tem construção para fiscalizar...Gasto do erário público...Lei de Incentivo à Cultura (essa em especial terá grandes novidades no acompanhamento)...e o DERACRE...quem é que vai acabar com a festa?

Ativista d'Acre disse...

Altino,gosto muito dos comentários do
Marcel marques!É Cidadão Provocador! Põe o dedo nas 'feridas expostas'...
É isso,Marcel!Mobilização Social é
um Crescendo de Consciência Cidadã!!!
Educação x Saúde Pública Associados!
A maioria dos Acreanos ainda 'Véve' à margem das Políticas Públicas e o
Resultado é visível.O Poder Estatal e
os agentes públicos 'devem respeito e
a garantia aos direitos das Pessoas humanas'.Esta é a razão Primeira da Existência do Estado!!! É prá 'isso' que vêem tantos Recusrsos Federais para os Estados federados Republicanos !!! A estes recursos no formato de : FPE e FPM,respectivamente,chegam nos respectivos 'cofres' dos municípios e do Estado, justamente,
TRÊS VEZES POR MÊS!TRÊS VEZES MÊS!
Gestores de 'Vergonha Kara Pálida'
Não podiam deixar prevalecer os
ACÚMULOS PREVISÍVEIS e TRÁGICOS!!!
Lamentávelmente morrem mais 'Povo
que Véve,a grande maioria acreana'.
Eu sou,Joana D'Arc Valente Santana

Janu Schwab disse...

Culpa não. Responsabilidade.

A responsabilidade é sempre dos governos, que são "contratados" via votos pela sociedade para geri-la.

Essa responsabilidade consiste também em ajudar a própria sociedade a se conhecer e assumir suas atitudes.

Não basta dizer "A Dengue Mata". É de praxe: o cidadão médio não faz a associação das coisas ruins com a sua própria realidade.

Se geralmente "O inferno são os outros", parece meio óbvio que, por conta disso, para a maioria das pessoas situações de inferno só aconteça com os outros.

E isso serve para a dengue, para os acidentes de trânsito, para a violência nas ruas, para tragédias das chuvas e até para o IPTU (que muita gente não paga e mesmo assim reclama que não tem calçada ou asfalto na sua rua - mas essa é outra estória).

Se dizer que a "Dengue mata", disseminar campanhas de conscientização e realizar mutirões não surtem efeito, novas ações devem ser pensadas.

Vá lá, mil possibilidades: prêmios para quem tiver o quintal mais limpo, ações divertidas que estimulem as crianças desde já (sem assustar que isso ou aquilo mata, o que causa rejeição e, consequentemente, a anulação da mensagem), etc, etc, etc.

A dengue é coisa séria. Mas a guerra contra ela pode ser bem divertidade e estimulante, de uma maneira que marque positivamente todo e qualquer movimento em relação a ela.

Mudar os hábitos e pensamentos do senso comum é preciso um bom tempo de ações constantes.

Não é culpa dos governos. Mas responsabilidade. São eles que, de certa forma, estão acima da média. Eles que têm a visão macro, os dados, a verba.

E por conta disso devem, sábia e gradativamente, repartir essa mesma responsabilidade com a população.

Comunicação de utilidade pública deve ser macro com ações micro, ações pontuais que capte e estimule a essência de cada segmento (crianças, idosos, jovens, casados, solteiros, etc).

Então valem mutirões, gincanas, premiações, sátiras do sujeito que não limpa seu quintal, jingles, hashtags de twitter, orkut e redes digitais, mídia convencional e alternativa.

Boa vontade esse governo tem. E ações proativas também. Tô vendo daqui e dali alguns resultados (quintais limpos, gente reforçando conceitos, etc).

Só não pode achar que essa boa vontade basta e sair comemorando como se ela fosse a solução de tudo, né, não?

Janu Schwab disse...

Culpa não. Responsabilidade.

A responsabilidade é sempre dos governos, que são "contratados" via votos pela sociedade para geri-la.

Essa responsabilidade consiste também em ajudar a própria sociedade a se conhecer e assumir suas atitudes.

Não basta dizer "A Dengue Mata". É de praxe: o cidadão médio não faz a associação das coisas ruins com a sua própria realidade.

Se geralmente "O inferno são os outros", parece meio óbvio que, por conta disso, para a maioria das pessoas situações de inferno só aconteça com os outros.

E isso serve para a dengue, para os acidentes de trânsito, para a violência nas ruas, para tragédias das chuvas e até para o IPTU (que muita gente não paga e mesmo assim reclama que não tem calçada ou asfalto na sua rua - mas essa é outra estória).

Se dizer que a "Dengue mata", disseminar campanhas de conscientização e realizar mutirões não surtem efeito, novas ações devem ser pensadas.

Vá lá, mil possibilidades: prêmios para quem tiver o quintal mais limpo, ações divertidas que estimulem as crianças desde já (sem assustar que isso ou aquilo mata, o que causa rejeição e, consequentemente, a anulação da mensagem), etc, etc, etc.

A dengue é coisa séria. Mas a guerra contra ela pode ser bem divertidade e estimulante, de uma maneira que marque positivamente todo e qualquer movimento em relação a ela.

Mudar os hábitos e pensamentos do senso comum é preciso um bom tempo de ações constantes.

Não é culpa dos governos. Mas responsabilidade. São eles que, de certa forma, estão acima da média. Eles que têm a visão macro, os dados, a verba.

E por conta disso devem, sábia e gradativamente, repartir essa mesma responsabilidade com a população.

Comunicação de utilidade pública deve ser macro com ações micro, ações pontuais que capte e estimule a essência de cada segmento (crianças, idosos, jovens, casados, solteiros, etc).

Então valem mutirões, gincanas, premiações, sátiras do sujeito que não limpa seu quintal, jingles, hashtags de twitter, orkut e redes digitais, mídia convencional e alternativa.

Boa vontade esse governo tem. E ações proativas também. Tô vendo daqui e dali alguns resultados (quintais limpos, gente reforçando conceitos, etc).

Só não pode achar que essa boa vontade basta e sair comemorando como se ela fosse a solução de tudo, né, não?

loucoabreo disse...

INFELIZMENTE NOSSO GOVERNADOR TIAO AINDA NÃO FEZ AS MUDANÇAS NECESSARIA PARA MOSTRAR QUE VAI SER NOVO.

EX: SEFAZ - TEM DUAS DIRETORAS QUE CADA UMA TEM UM GOLF E ESTACIONAMENTO PRIVATIVO, SE ALGUEM COLOCAR OUTRO CARRO NO ESTACIONAMENTO PUBLICO PRIVATIVO EM FRENTE A FAZENDA É CHAMADO A RETIRAR O CARRO SOB PENA...

2 - UMA CHEFE CHAMADA ISAURA GRITA E HUMILHA OS CONTRIBUINTE, CONTINUA NO COMANDO DO SETOR.

KD AS MUDANÇAS

Altemar disse...

Léo quem?

Vingador disse...

Bem,
O que se ver neste começo de um Governo velho é a repetição dos mesmos erros, estão sempre esperando que os problemas se resolvam com o tempo.
Apostam que as pessoas vão se acostumar com as tragédias e tal..
Depois de uma semana de multirão de limpeza e muita propaganda pergunto:
1) já passaram em sua rua?
2) Qual o número de telefone que eu ligo para me informar e informar que tem larvas do mosquito no quintal abandonado ao lado de minha casa?
3) Por que só no dia da visita do ministro apareceram médicos e enfermeiro nas UPA'S?
4) Porque... porque?

beth5050 disse...

NÃO GOSTARIA MAS, SOU ABRIGADA A CONCORDAR COM O MARQUES, POIS ACREDITO NÃO SER POR FALTA DE RECURSOS Q ESTAMOS SENDO APAGADOS PELO TAL MOSQUITO DA DENGUE, ASSIM COMO NÃO ACREDITO Q A VISITA DO SR. MINISTRO, FOI PELA GRAVE CRISE, POIS OS FILHOS DA PATRIA QDO IAM À GUERRA, TANTO CHORAVAM ELES, QTO SEUS PAIS, E O SORRISO RASGADO ERA MANIFESTADO EM SEUS RETORNOS QDO VALTAVAM COM VIDA E NÃO É ESTE O CASO.LAMENTAVÉL...AINDA ASSIM, TORÇO PARA Q TDO DE CERTO.

Gabi Ramos disse...

Olha, a Dengue é um problema de todos nós. A Prefeitura tem que fiscalizar mais. Usar a Lei de multar os donos de terrenos baldios, que é uma coisa absurda. A Prefeitura tem que usar essa Lei em favor da população. Não adianta so fazer propagandas, mandar os profissionais que somente eles não dão conta. O que precisa é mexer com o bolso de quem não ajuda e nem coopera. Autoar os donos de terrenos sujos. Aí sim, quero so ver como resolve. É saber administrar se não a coisa fica como ta.

lzomatos disse...

Tive a mesma sensação quando vi esta foto estampada nos principais noticiários do governo (leia-se: jornais de circulação na praça).

mad max disse...

Eh, ôô, vida de gado. Povo marcado e, Povo feliz.