quarta-feira, 24 de novembro de 2010

CONVERSA COM LULA

Transcrição textual de minha participação na entrevista do presidente Lula com blogueiros nesta quarta-feira (24), no Palácio do Planalto. A transcrição completa da entrevista está disponível em formato "doc". Clique aqui para download.



Altino Machado: Presidente, bom dia. Eu sou do Acre, que é um colégio eleitoral pequeno, o senhor conhece muito bem. E embora tenha pouco mais de 470 mil eleitores, o Acre, grosso modo, é um ícone para o PT, como é São Paulo para o PSDB. O José Serra venceu nos 21 dos 22 municípios do Acre. Jorge Viana não se tornou o senador mais votado, proporcionalmente, do país, perdeu na capital. Tião Viana foi eleito muito apertado, é...
 

Presidente: Marina teve (incompreensível) e teve só 3% dos votos.
 

Altino Machado: É. Então, esse... Por que o senhor não é “o cara” no Acre? Embora, embora tenha sido dito assim, o Tião Viana disse: “O povo do Acre foi injusto com o Lula”. O Aníbal Diniz, que vai assumir a cadeira dele no Senado, disse: “Nós temos que entender a hostilidade do eleitor acreano contra Lula e contra Dilma”, não é? Como é que o senhor interpreta tudo isso? Como é que... esse caso do Acre?
 

Presidente: Espera aí, eu quero te agradecer por essa pergunta, porque é uma coisa que eu trago desde a minha primeira eleição para Presidente, é uma coisa... Eu perdi para o Alckmin lá.

Altino Machado: Sim, no primeiro turno.

Presidente: No primeiro turno, eu ganhei no segundo. E eu tenho... eu visito o Acre desde 1979, ou seja, por causa do Acre eu fui condenado a três anos e nove meses de cadeia. Não cumpri a pena porque... por causa da morte do assassino no comício.

Altino Machado: Eu estava lá naquele comício que o senhor fez e foi, em seguida, para Brasiléia.
 

Presidente: Essa semana eu encontrei com o Jorge em um jantar da Câmara Brasil-França, eu falei: “Jorge, eu preciso sentar com você, porque eu preciso entender o que está acontecendo no Acre”. Veja, eu tenho a convicção de que se pegar... O Fernando Henrique Cardoso foi até um bom presidente, na relação com o Acre.
 

Altino Machado: Sim.
 

Presidente: Mas eu tenho a convicção de que se pegar tudo o que foi feito no governo Fernando Henrique Cardoso, governo Itamar, governo Collor, governo Sarney, se somar tudo não dá a metade do dinheiro que eu pus no estado do Acre para fazer as coisas. Inclusive, vocês vão ter o prazer de ver, no Acre, os cinco rios do Acre todos com ponte estaiada, que foi uma briga para a gente poder convencer o financiamento daquelas pontes, por causa que um paulista ou um cara de Brasília não tem noção da dificuldade do que é fazer uma obra no estado do Acre, que não tem pedra, é preciso trazer pedra de outros estados, pedra importada de outros estados, às vezes demora 40 dias para chegar, se não chover demora quatro meses, ou seja, é um dilema para fazer as coisas no Acre. E durante a campanha eu estava preocupado. Eu dizia para o Tião Viana e para o Jorge: “Olhem, eu gostaria de estudar profundamente o Acre, como é que funciona a cabeça do companheiro do Acre”. Sobretudo porque já havia um sinal muito forte de que mesmo o companheiro Jorge Viana sendo a liderança que é, o Binho sendo o quadro que é, tendo a prefeitura da capital e tendo o Tião Viana. Eu nunca vi ninguém trabalhar tanto como o Tião Viana. O Tião Viana saía daqui na quinta-feira, chegava lá, ia para todas as cidades. O PT governa 12 dos 22 municípios, tem mais cinco aliados e perdeu em quase todos, ou seja, é inexplicável. Eu acho que precisa um estudo sociológico sobre o Acre, ou o que os companheiros erraram na política do Acre. Tem erro, tem erro. Eu não ouso dizer aqui o erro antes de fazer... Mas daqui a uns seis meses, quando eu for ao Acre, sem ser presidente, eu me comprometo a te dar uma entrevista dizendo o que eu acho que aconteceu no Acre.
 

Altino Machado: Obrigado.
 

Presidente: Eu não quero ser grosseiro e fazer um julgamento precipitado. Mas certamente, certamente nós erramos no Acre por presunção. Não sei se você sabe, na minha opinião uma das razões pelas quais a Marina foi candidata a presidente é porque ela tinha convicção de que não se elegeria senadora pelo Acre, como aconteceu, de fato, uma votação pequena. Então, eu quero, eu quero aprender o que aconteceu no Acre, não apenas com a campanha majoritária, mas com os companheiros lá. Ou seja, o Jorge Viana quase que não se elege, o Tião Viana foi 50,04%, quando a gente imaginava que ele ia ter 80%, 90%. Então, certamente não é erro do povo. Posso te garantir o seguinte, eu quero começar dizendo o seguinte: se tem uma coisa certa lá é o povo. É preciso que, ao invés de a gente ficar culpando o povo, a gente sente, faça uma reflexão [sobre] onde é que nós pisamos na bola no Acre, porque certamente o erro é nosso. Ninguém apanha tanto se acertou. Então, nós temos erros. É só a gente ter humildade, ter humildade e descobrir o que está acontecendo no Acre, porque eu tenho convicção, Altino, e você também, de que os Viana fizeram um bem para o Acre muito grande. Eu conheço o Acre desde 1979.
 

Altino Machado: Inegável.

Presidente: Eles transformaram aquilo em um estado. Rio Branco virou uma cidade bonita. Mas você percebe que não basta obra, não basta obra. Eu tenho na minha cabeça há muitos anos, o povo não vota numa pessoa porque ele fez uma ponte, porque ele fez uma rua, não. O povo vota se o resultado daquilo teve uma explicação política convincente para as pessoas. E eu acho que a política está mal trabalhada no Acre. Você está lembrado? Chico Mendes virou herói mundial, mas foi candidato a prefeito em Xapuri, teve 300 votos. Osmarino saiu na capa do New York Times muitas vezes; foi candidato a prefeito em Brasileia, acho que não teve nem 100 votos. Você percebe? Há uma rejeição a um determinado tipo de discurso, que nós precisamos discutir como enfrentar isso. Me comprometo daqui a seis meses, Altino, a ter uma conversa contigo...
 

Altino Machado: Uma entrevista exclusiva. Muito bem!

24 comentários:

Dan disse...

Parabéns pai, bom trabalho!
abraço!

Valterlucio disse...

O Lula está certo. Marina não seria eleita senadora, não há Lulismo no Acre e o povo não está feliz. Pode-se reconquistá-lo? Creio que sim. Humanizando o governo? É pouco. É preciso buscar a realização concreta do desenvolvimento. Parabéns pela entrevista.

Ivone Belem, jornalista. disse...

Tua pergunta arrasou, Altino! E a resposta do Lula também. Estou curiosa para saber o que ele vai te contar daqui a seis meses.

Ativistadacre disse...

Altino,Voçê Foi a Visibilidade e Voz
de Todo o POVO Acreano e,Articulou a
Perfeição Precisa do Presidente LULA
Que,Elegantemente Elogiou ao Acreano!

Altino,Seu Material Jornalístico Já
RESGATOU A DIGNIDADE HUMANA de NOSSO
POVO e MERECE O PRÊMIO 'JOSÉ CHALUB
LEITE' Com Menção Honrosa !!!

Isso é Uma Constatação!!!

Parabéns e Sucesso Sempre Mais...

Eu Sou,Joana D'Arc Valente Santana

Ativistadacre disse...

Altino, o Marco Histórico da Postura
do Presidente Lula em Relação ao Acre
É QUE ELE ENTENDE e GOSTA de GENTE!!!

Gente,Independente de Cor Partidária!

Eu Sou,Joana D'arc Valente Santana

Jonas Amado Araújo disse...

Pergunta perfeita. Resposta perfeita.

Iri disse...

E ainda fisgou uma exclusiva! Muito bom. Parabéns.

Prof Frank Douglas disse...

Mandou muito bem, Altino.

Trabalho de primeiríssima linha.

Parabéns.

Antonio Alves disse...

Pra dizer que a Marina não seria reeleita para o senado é preciso não conhecer os acreanos. Pra dizer que foi esse o motivo dela ter se candidatado a presidente é preciso não conhecer a Marina. Pra dizer isso conhecendo a Marina e os acreanos, é preciso ser... deixa pra lá.

Antonio disse...

Tudo bem, Antonio Alves. Da parte da Marina nem digo nada mas, da parte dos assessores dos Vianas e do gov. impopular do Binho, o Lula acertou em cheio.
Quero ver agora quem vai pagar a conta. O povo? o Estado? Os políticos e seus assessores que protagonizaram esse papelão estão muito bem.
Como se já não bastasse tanta sacanagem, ainda teremos que aturar a pessoa arrogante e extremamente antipática do Aníbal, o Petecão - que todos sabem, não tem um carater muito recomendável e o ditador, ops, senador Jorge Viana.
Essa "turminha" pensa que são os reis do Acre mas, afinal, quem vai pagar a conta. Vocês? nós, o povo? ou o Estado?
A torneira secou. E agora???????
Tem mais: a antipatia do grupo de situação já vai longe e parece que vocês não se tocaram. Um pouco de humildade não faz mal e conserva os cargos. Será que ninguém da Frente Impopular não irá se manifestar sobre as palavras ditas por Lula?
Mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa .....humpf!

Ozi disse...

Melhor deixar pra lá msm, Toinho! O que não tem remédio, remediado está!

Janu Schwab disse...

O que mais ouvi (e li nos twitters da vida) depois das eleições foi que o eleitor acreano é burro. O eleitor não é burro. O eleitor é um tipo de termômetro. Que, infelizmente, muita gente não sabe ler.

Marisa Fontana disse...

O surdo mais surdo é o que não quer ouvir. Fazer politica sem ouvir e respeitar a opinião do outro ou da outra é.... concordo com o Toinho e com a Ozi, deixa pra lá.

Fátima Almeida disse...

O PT no Acre já encheu por uma razão simples, seja qual for o candidato a governo, votar nele é votar nas mesmas caras de sempre: nos dudés, nos dudus e nos dodós,na dadá e no dedé. É isso que cansou a beleza. Pessoas que não dão folga, não somem por uns tempos, para estudar, reciclar. Não largam o osso, desde o 1º mandato, já se vão 12 anos!É óbvio, se não se renovam como o Governo pode renovar? Se eles são o Governo? A gente abre as páginas dos jornais são as mesmas caras e o mesmo texto. Se Binho tivesse mudado os quadros, renovado as caras, as coisas poderiam ter sido diferentes. Mesmo porque os avanços são inegáveis,em especial na saúde. Mas o povo quer o divórcio e pronto, mesmo que seja para sentir saudade e casar de novo mais a frente. É provável que Tião Viana faça uma composição com o PMDB, fraccionando-o, minando terreno da oposição e, ao mesmo tempo seguindo o script federal. Temer é presidente nacional do PMDB e vice de Dilma. O Acre não tem pernas para autonomia política. Pode ser uma saída, porque o PT é detestado.Eu chego nos lugares, numa mercearia, por exemplo e alguem começa a esculhambar o PT bem alto, daí eu falo: ei,calma, eu não sou do PT não, viu. Porque até hoje ainda associam um "estilo alternativo" com o PT. Do mesmo modo eu só ouço defende-lo com unhas e dentes quem depende para sobreviver e/ou aumentar o patrimônio. A isso chama-se "decadência", não é nenhuma novidade para a História. Lembrem-se que os romanos expulsaram os reis indolentes. Hoje, a iniciativa privada emprega mais que o Estado e a maioria vai criando rejeição aos privilegiados.Não tem volta. o proprio progresso que os Vianna impulsionaram com pontes e asfalto está se voltando contra eles. o PT teria que mudar, governar com base em pesquisas, por exemplo e não em fisiologismo. É muito fácil para um empresário no Acre vestir a camisa do PT ou do PC do B para se capitalizar sem esforço, sem ser obrigado a seguir as regras básicas universais da economia do mercado.É muito fácil se locupletar num gabinete com ar condicionado, gozando das benesses e enrolando as pessoas necessitadas. O tempo não para.

Fátima Almeida disse...

É a pura verdade que votar num candidato a governador do PT é o mesmo que votar no Dudu, no Dudé, no Dodó, na Dadá e no Didi que sempre permanecem há 12 anos! Isso cansou a beleza e o povo quer o divórcio. Mesmo que depois queira casar de novo. O Governo impulsionou muito o "progresso", pontes, vias asfaltadas, que agora se volta contra ele porque a iniciativa privada está empregando mais que o Estado e a maioria não tolera mais assistir à empáfia nem manter o baronato do PT. Além disso alguns empresários vestiram a camisa do PT ou do PC do B para se capitalizarem sem esforço, até ocupando cargos,sem seguir as regras básicas e universais da economia do mercado.Isso também irrita àqueles que se viram por si mesmo. (Por toda parte, numa mercearia onde entro, por exemplo, pessoas começam a xingar o PT bem alto. As vezes sou obrigada a falar: ei, calma, eu não sou do PT, não). o Binho deveria ter renovado os quadros. Essas pessoas não somem por uns tempos, para estudar, reciclar, não largam o osso. Se elas não procuram se renovar como podem renovar o Governo se são a sua cara? Estudar faz bem, abre a mente, o olhar muda, mesmo que seja às custas dos cofres públicos, no problem. É possível que Tião busque uma composição com o PMDB para seguir o script nacional, mesmo porque o Acre não tem autonomia econômica nenhuma portanto,o PT local não pode insisir em autonomia política.Vai ter que ceder, vai ter que seguir Lula.

Marcos Aurelio Lemos De disse...

Acho que nao tem misterio ; o povo do Acre ainda tem um pouco da Arena na cabeça.È isso.

Luis Celso Lula dos Santos disse...

Altino levantou a bola e o meu Presidente Lula pegou de voleio. Golaço, aço, aço, aço, aço.
Parabéns Altino.
Abraços,
Luis Celso

Julio Cesar disse...

Altino,

Você é o unico jornalista do Acre com coragem e independencia para fazer essas perguntas ao Lula. Parabéns.

Julio Cesar disse...

Concordo com a senhora Fatima Almeida. FPA não muda nem os DAS e diretores.Na Junta Comercial do Acre, um funcuionário da casa me informou que o secretario geral Edson Figueiredo está a mais de quinze no cargo. Haja competencia.

Ernesto disse...

Vcs foram responsáveis pela maior dor de cotovelo PIGuística "nunca vista na história deste país" Parabéns aos bravos! VCS FIZERAM AUMENTAR AS OLHEIRAS DO ZEZINHO SERRA KKK!! http://bit.ly/gb2ESE

Maria disse...

Já comentei no outro link que bom que ainda tem alguém são no nosso PT. Agora que tal começar com uma excelente idéia A EXTINÇAO DE PENSÃO DE EX-CARGO, OU MELHOR EX-GOVERNADOR, e visando contribuir que tal deixar um link disponível na internet onde a pessoa possa colocar dados como cpf ou rg e mais algum dado para servir como assinatura?!?!? O site www.proteste.org.br já utiliza este sistema, portanto é viável

RodB disse...

Se Antonio Alves conhece tão bem os acreanos, como explica a inexpressiva votação da Marina no estado? Se Marina conseguiu tão parcos votos para presidente, por que conseguiria votos suficientes pra ser reeleita senadora?

Antonio disse...

Bem que poderia surgir uma forte e grandiosa corrente contra o pagamento de pensão a esses ex governadores e a todas as outras funções públicas tidas como vitalícias. ABAIXO ESSA MORDOMIA À CUSTA DO DINHEIRO PÚBLICO.

FOOOOOOOORRRRRAAAAAAA ANÍBAL BOCA DE LOBO/senador imposto pela absurda lei eleitoral deste país/espertalhão da matilha...

cabocla disse...

Altino grande Altino!
Que bom que você com sua questão pertinente (como sempre) deu a oportunidade ao Lula de demonstrar sabiamente como ele se relaciona com a política e o respeito que ele tem ao povo. Lula deu uma resposta de um cientista político e de um grande POLITICO. O povo acreano mesmo que não goste de Lula, deve reconhecer que o "fazer política" e ser POLITICO na concepção do Lula têm uma coerência. Nesse sentido, seria interessante que os Vianas, Jorge e Tião tivessem a mesma humildade e a honestidade política de Lula, afim de que eles pudessem dar uma parada para fazer uma avaliação sobre o percurso deles no "fazer política" e do Ser Político. O que eu admiro no Lula é a coerência entre o Homem e a política.
Agora os acreanos irão entender porque que o Lula foi escolhido o homem do ano Ano na França, Estados Unidos e outros tantos países e porque ele ganhou tantos prêmios sem que a grande imprensa comentasse...
Eu daqui do outro lado do atlântico busquei tentar entender o comportamento eleitoral do povo acreano e de seus políticos e mesmo indaguei ao querido jornalista político Altino. Lembras? Vamos esperar esses seis meses... Enquanto isto, Altino vai nos fornecer através de seu Blog outras analises que a grande imprensa não faz. Também, a leitura das reações dos internautas já oferece o calidoscópio da complexidade política. Um bom desafio para os cientistas políticos!
Quem sabe Altino dentro de seis meses eu possa aproveitar para ir até Rio Branco para fazer uma reportagem sobre esse momento histórico da política acreana!
Da França fria (meu quintal estar coberto de neve) te envio minha fraternura cabocla
MMF