terça-feira, 29 de dezembro de 2009

ALVARÁ DE SOLTURA POR E-MAIL


O juiz Edinaldo Muniz dos Santos, titular da Vara Criminal de Plácido de Castro, a 90 quilômetros de Rio Branco, a capital do Acre, e que responde pela comarca de Acrelândia, expediu por e-mail alvará de soltura em favor de devedor de pensão alimentícia.

Leia mais no Blog da Amazônia.

3 comentários:

Iberê Thenório disse...

Caramba... O juiz usa o e-mail do Gmail pra expedir o alvará.

Logo logo vai encher de hacker expedindo alvará por aí. Afinal de contas, mandar e-mail com nome alheio é coisa que qualquer Outlook faz...

Abs!

Jose Aridson disse...

Altino essa Magistrado e um vencendor conheço a sua Historia toda ele mora a muitos anos no quinari e um grande estudioso,saiu de baixo pois venceu na vida com os estudos e serve de axemplo pros mais Jovems do nosso velho quinari.Parabéns Dr. Edinaldo Muniz

Diego disse...

Viva a tecnologia.

Esse mesmo juiz já havia expedido um alvará de soltura via mensagem de celular - o SMS da vida.

De acordo com o que apurei na época, o juiz estava em Rio Branco e o preso ou detento em Plácido de Castro. Como não haveria tempo para o juiz ir soltar o ex-devedor em Plácido, antes de um feriadão, o magistrado resolveu mandar uma simples mensagem pelo próprio celular. Texto recebido na Comarca do interior, preso solto.

Naquela semana, fui às ruas ouvir da população o que achavam da decisão: a maioria ficou desconfiada do novo "procedimento processual". As pessoas questionaram a autenticidade das mensagens e concluíram dizendo que julgamento se faz cara-a-cara.

Bom, eu penso que tudo que for seguro e que garanta, pelo menos, reduzir a lentidão da ultrapassada justiça, pode sim ser muito útil e valioso.

O que vemos na Justiça é que a bela Deusa está cega também para a dinâmica da vida, do mundo... As coisas mudam, evoluem (é o que se espera), mas ela continua lá sentadinha, com a espada nas mãos, sem muito que fazer.
Que venham mais mudanças...

P.S.: o "réu" de Plácido de Castro também não tinha pago a pensão alimentícia do(s) filho(s).

Abraço
Diego Pintro