terça-feira, 23 de dezembro de 2008

"CHAMEM O CHICO MENDES"

Antonio Alves abre o coração



Jornalista Antonio Alves, assessor do governador Binho Marques (PT), lavou a alma daqueles que não perderam a capacidade de sonhar e não se fazem cegos pelos encantos do poder. Foi durante a solenidade do Prêmio Chico Mendes de Florestania. O discurso foi abafado, claro. Comenta-se bastante a oportuna reflexão de Toinho Alves, mas nenhuma linha ou imagem do mesmo na mídia local. Está aqui sem piedade.

E eu preciso abrir o olho como blogueiro. O deputado Edvaldo Magalhães (PC do B), presidente da Assembléia Legislativa, conseguiu fazer upload do vídeo para o Youtube primeiro que eu - a velocidade da conexão dele nem se compara à minha. Bem, no Blog do Edvaldo, o post "Toinho abre o coração". Santa Internet.

15 comentários:

morenocris disse...

E de repente... ele se fez por merecer. talvez mais do que todos. talvez o único agraciado merecidamente. talvez o evento tenha sido criado só para esta parte. talvez o CM esteja muito, mas muito feliz. a única certeza que eu tenho é que o meu amigo virtual, Toinho Alves, deixou o rio mais branco. um acre vermelho. de vez. quanta lucidez colorida. Toinho, você é um bravo guerreiro. caramba, queria dizer-te tanta coisa bonita, pegar na unha o espírito da coisa e transbordar em palavras simples, verbos, adjetivos, substantivos, advérbios, todos cobertos de pontuação, em caixa baixa/alta, pinçar do dicionário os dizeres mais significativos, a mais-mais da filosofia... como você é grande. cara, você é demais. estás além da conta. obrigada.

beijos aos dois.

Nilton disse...

Discursos são discursos, ideais são ideais, práticas, por enquanto só vi o Chico fazer, mesmo que em videos, vi ele arriscar a vida ficando em frente de tratores e motosserras, ele mais seu grupo que realmente lutou e fez acontecer. Ao contrário, muita gente se promove apenas com os ideais, pois com a luta, a prática, não vi ninguém empatar tal como Chico. Vi somente a legalização da exploração de madeiras, com o tal de "manejo", vi acabar as marcenarias pequenas, e surgir outras maiores, adepta ao tal de "manejo". Na própria reserva Chico Mendes quem passa pela BR percebe uma madereira, esse é bem visível, gostaria de um convite para ver a quantidade de árvores plantadas se é realmente compatível com a exploração. Se esse era o ideal de Chico, simplesmente desconheço totalmente sua luta. Paulo Freire já dizia: São as práticas que geram os discursos. O que vemos e ouvimos até agora são discursos desprovido da total prática que realmente deveria ser.

Anônimo disse...

O CM é a maior prova de que, morreu virou heroi. No caso isolado dele é pior, muita gnt ganha direiro com esse legado, se dizendo amigo do CM, seguidor do CM, até choram. Se duvidar vai ter um que vai na mídia dizer que jogava peteca com o CM. Tudo não passa de utopia, de mentira, de falsidade, enganhar os bestas. A resex chico mendes é a maior prova disso, muitas familias abandonadas à sorte, tendo que se virar pra sobreviver, agora depois de muitos anos vêm o anselmo-bigode-de-bosta-forneck e faz essa lambança. Aquele povo q está sendo escurrraçado de lá não tinha outra opção, era criar boi pra sobreviver. Queria ver o idealistas do CM ir lá passar o que eles passaram.
A história do CM é apenas uma história triste de uma familia que perdeu o patriarca e essa perda serviu para levar muita gnt à vitoria nas urnas e falar como héroi amazonico.
Parem de nos encher com essas mentiras. A florestania não existe, não é viável e nunca será.

Hércules

Anônimo disse...

Do caramba!! Muito bom!

morenocris disse...

Feliz Natal, Altino e família.

Beijos.

Anônimo disse...

O Toinho Alves semrpe foi bom de retórica.
Mas, no fundo, ele foi um dos que mais perdeu o foco da causa.

Aldo Nascimento disse...

Altino, há pessoas no PT por quem possuo admiração e respeito, mas, ainda sim, não peroo meu senso crítico. Admiro Antônio Alves, porém sua fala neste video não é de uma pessoa que problematiza a ponto de não merecer prêmio. Neste vídeo, Toinho se mantém no limite de uma possível crítica para receber aplausos, prêmio e seu cargo no governo. Toinho fala o necessário para não se manter à margem do poder, para não tecer críticas profundas ao PT. Toinho é o homem cordial de que fala Sérgio Buarque em Raízes do Brasil. Toinho não é a figura macunaímica de que fala Oswald de Andrade. Gosto muito dele, bom homem, boa pessoa, mas nele pulsa um silêncio sobre o PT no poder, porque assim ele pode pagar a conta de luz, o crediário, a água, a compra do mês. Quem vive à margem não recebe prêmios.

Marystela Ricciardi disse...

Altino que bom que você também postou o vídeo.
Que bom que dentre os homenageados um resolve dar uma pausa e pede para refletirem sobre as premiações e medalhas.
Me lembrei de um ator que um dia se recusou a ir receber pessoalmente um OSCAR e enviou em seu lugar uma Índia que em seu nome também fez uma pausa nas homenagens e fez um discurso para reflexões naquela noite especial.
É assim que vejo o discurso do Toinho, ele foi receber sua premiação, mas, parou para refletir e se questionar se realmente era merecedor da referida homenagem.
Todos os homenageados merecem os seus prêmios, afinal, o próprio Chico não fazia nada sózinho ele tinha os seus companheiros do Sindicato e inclusive famílias inteiras que o seguiam.
Essas famílias, essas pessoas também mereciam serem homenageadas, elas participaram, elas correram os riscos juntas de Chico ao defenderem a bandeira de um ou de vários ideais em defesa da vida/floresta.
Entendo que nesses dias de homenagens teria sido muito bonito e agregador se o povo das cidades do Acre fossem conclamados a irem a vários locais pré-determinados e também tivessem a oportunidade de plantar as suas mudas de árvores de espécies nativas para em um ato conjunto e único reflorestar vários locais desmatados, por exemplo: às margens dos rios ou outros locais já degradados.
Nesse dia que seria muito marcante, o povo, ele estaria tão envolvido em "adotar" suas mudas e a cuidar de suas árvores que passariam a contribuir de fato com a preservação da natureza.
Quem sabe uma idéia para o futuro, quando decidirem prestar homenagens novamente ao Chico Mendes, chamem ao povo para de fato participarem, os que o ajudavam nas ações dos empates e os demais que resolvam agora participar, chamem às novas gerações a fim de assumir o seu papel de co-responsáveis pela manutenção das florestas.
Ao Toinho e aos demais quero dizer que mereceram serem homenageados, mas, na próxima vez chamem as pessoas que participavam dos empates ou os seus familiares se hoje já não estejam mais por aqui entre nós e ao povo em geral.
Quanto às novas ações para a manutenção das pessoas nas reservas, a manutenção do povo da floresta lá na floresta, quais medidas a serem tomadas e projetos a serem elaborados, também chamem ao povo e aos outros que possam contribuir com idéias inovadoras.
Preservação e desenvolvimento ao mesmo tempo ainda é muito complexo, eu particularmente acredito ser possível, é necessário ainda descobrir a fórmula, mas se todos (povo) estiverem imbuídos de um compromisso único "o bem comum" eu acredito que se chegue ao ideal que Chico pregava.
Parabéns Toinho por expor seus sentimentos foi o que vi de lucidez nessas homenagens.

walmir.AC.lopes disse...

Altino, vejo as palavras do Poeta Antonio Alves como uma crítica muito positiva nesse caminho cheio de obstáculos, enfim, nesse rumo administrativo visivelmente equivocado que o Governo da Floresta seguiu em relação a alguns pontos da Florestania. Palavras equilibradas que, embora permeadas de ternura e conciliação -onde sobressai a grandeza de não apontar culpas individuais-, são também impressionantemente sinceras, ao assumir públicamente a realidade de algumas omissões em relação ao sonho do Chico Mendes, não só aquele de Xapurí, mas o que existe dentro de cada um de nós, acreanos ou não, que amamos nossas florestas. Eu achava que esse prêmio não ia servir pra nada, apenas pra promoção pessoal dos homenageados e gastança desnecessária. Estava enganado. Serviu, sim, e muito. E já se pagou.

Iberê Thenório disse...

O mundo tem sentido falta de falas descobertas de demagogia. Glórias à coragem de Antonio Alves!

Anônimo disse...

Quero ver se essas pessoas que ganharam prêmio tem coragem de se deitar em frente de tratores hidráulicos e com ar condicionado. No tempo de Chico Mendes a exploração era modesta, com tratores pequenos, árvore por árvore. Hoje a coisa anda modernizada, é arrastão mesmo. Sendo modesta a exploração no tempo de Chico, ele teve coragem de arriscar a vida para defender a floresta. Ele não tinha medo de morrer, ele deu a vida pela floresta, enquanto têm pessoas que dão mesmo é a floresta a consócios internacionais e dizem que defendem as idéias de Chico. Uma parte discurso do Toinho Alves foi para justificar a retirada das pessoas que moram na resex Chico Mendes, como se elas fossem as culpadas por toda a devastação das florestas do Acre e do mundo.

Anonimato

Edmilson Alves disse...

Parece que ainda existem pessoas de bom senso dentro do Governo que destrói a floresta.

O jornalista Toinho Alves – assessor do governador Binho Marques (PT). Demonstrou durante o recebimento do prêmio Chico Mendes, dia 20, a necessidade de se reconhecer o óbvio. Fracassaram no legado do mais universal dos brasileiros.

Mary Allegreti – a antropóloga que influenciou e foi influenciada pelo movimento dos seringueiros acreanos. Também abriu o coração: “ Se o extrativismo em Xapuri está falido, como afirmou a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri, Dercy Telles... ...Concordo plenamente com a crítica da Dercy e acho muito constrangedor para todos os membros atuais e anteriores do Governo do Acre e do Governo Federal conviver com essa crise dentro da Resex Chico Mendes nesse momento”. Allegreti também acredita na omissão do estado.”Também acho que existe omissão do governo do Acre na busca de justiça às outras pessoas assassinadas no mesmo contexto do Chico”.

Não tenho dúvidas de que a memória de Chico Mendes tenha servido de um grande palanque para muitos aproveitadores. Que chegaram ao cúmulo de comemorar a morte de Chico.

" o Governo exagerou um pouco no tom festivo, com entregas de medalhas e comendas... ...como se estivesse comemorando, fazendo apologia de uma morte, um assassinato cruel e covarde.
Sílvio Martinelo, jornalista - diretor da Gazeta. (blog do Altino Machado, dia 22)

“O momento a se falar desta questão [20 anos da morte de Chico Mendes] é o momento oportuno, a pensar de eu ter uma certa discordância de estarem fazendo festa. Comemorado uma morte. Sem ter o que comemorar.”
Osmarino Amâncio, um dos responsáveis, juntamente com Chico Mendes, pela organização dos empates – como era conhecida a maneira de impedir, pacificamente, que a floresta fosse destruída para dar lugar ao pasto do gado. (Gazeta Entrevista com Alan Rick, dia 23).


Enquanto isso, o Governo segue incentivando a destruição da floresta. “Vacine seu gado”. Diz as caras campanhas publicitárias. Construção e pavimentação das estradas e ramais. Facilita a vida de quem quer desmatar. E por aí segue.

Investir no agronegócio acreano é fácil. Instituições financeiras - do Governo Federal - Banco do Brasil, Caixa Econômica, Banco de Amazônia e outras patrocinam. Quem dinheiro? Venha pegar-lo.

O IMAC – órgão ambiental do estado. Ajuda. Burlar a lei? Isso é fácil.

Veja trecho do blog da Amazônia:
De Deus e a atual presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), Cleísa Brasil da Cunha Cartaxo, emitiram de maneira irregular, dispensando o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) e extrapolando a competência do Imac, seis licenças ambientais para a pavimentação da BR-317, também conhecida como Estrada do Pacíficio, que liga o Brasil ao Peru.

Quer investir no Acre? Aqui as terras são baratinhas. Você não terá dificuldades.

É, Toinho. Chamem o Chico. Mais chamem rápido. Ainda dá tempo de salvar as florestas do Acre.



Edmilson Alves é acadêmico de Comunicação Social.

www.edmilsonalves.com
http://edmilsonacre.blogspot.com

Anônimo disse...

Por que será que enquanto a Dercy Telles do Sindicato de Trabalhadores de Xapuri é alijada das Festividades e Homenagem ao CM, pelos 20 anos de sua morte, por dar declaraçoes sobre a falência do extrativismo no Acre,o Toinho Alves, nao só recebe o prêmio de Florestania , como é bastante aplaudido por reconhecer( concordando com a sindicalista) o fracasso das políticas do governo para desenvolver o extrativismo no ACRE?
Algumas hipóteses: A Darcy era companheira de Chico Mendes, Toinho é companheiro "Deles"(do governo).A Dercy faz críticas , o Toinho faz reflexões : "TURBILHÃO DE REFLEXÃO "de acordo com suas próprias palavras. (Como diz Cristovam Buarque a diferença entre a crítica e a reflexão é que a primeira, a crítica tem que ser feita na hora , pois depois vira a segunda, ou seja , reflexão). Nesta perspectiva, passados vinte anos da morte de CM, Toinho não só recebe prêmio, e é festejado, porque não faz críticas ao governo(como a presidenta do Sindicato) e sim "relexões". Toinho por favor não espere mais 20 anos para fazer reflexões, faça críticas hoje, agora ! E mude, com a inteligência e o poder que vc tem (sobre Eles), suas próprias açoes e de seus companheiros do Governo da Floresta.Como alguém já disse anteriormente, ainda dá tempo de salvar os seringueiros e as florestas do Acre!

Mary disse...

Altino que bom que você também postou o vídeo.
Que bom que dentre os homenageados um resolve dar uma pausa e pede para refletirem sobre as premiações e medalhas.
Me lembrei de um ator que um dia se recusou a ir receber pessoalmente um OSCAR e enviou em seu lugar uma Índia que em seu nome também fez uma pausa nas homenagens e fez um discurso para reflexões naquela noite especial.
É assim que vejo o discurso do Toinho, ele foi receber sua premiação, e, parou para refletir e se questionar se realmente era merecedor da falada homenagem.
Todos os homenageados mereceram os seus prêmios, afinal, o próprio Chico não fazia nada sózinho ele tinha os seus companheiros, companheiros do Sindicato e inclusive amigos e famílias inteiras que o seguiam.
Essas pessoas também mereciam serem homenageadas, elas participaram, elas também correram os riscos juntas de Chico ao defenderem a bandeira de um ou de vários ideais em defesa da vida/floresta.
Entendo que nesses dias de homenagens teria sido muito bonito e agregador se os moradores dos municípíos do Acre fossem conclamados a irem a vários locais pré-determinados e também tivessem tido a oportunidade de plantar as suas mudas de árvores de espécies nativas para em ato conjunto e único reflorestar vários locais desmatados ao mesmo tempo, por exemplo: às margens dos rios ou outros locais já degradados.
Nesse dia que seria muito marcante, as gentes do Acre, eles estariam tão envolvidas em "adotar" suas mudas e a cuidar de suas árvores que passariam a contribuir de fato com a preservação da natureza.
Quem sabe isso possa se tornar uma idéia para o futuro, quando decidirem prestar homenagens novamente ao Chico Mendes.
Chamem as pessoas para de fato participarem, os que ajudavam ao Chico nas ações dos empates e os demais que resolvam agora participar efetivamente em defesa da floresta. Chamem aos mais velhos e às novas gerações a fim de assumirem o seu papel de co-responsáveis pela manutenção das florestas.
Ao Toinho e aos demais quero dizer que mereceram serem homenageados, mas, na próxima vez chamem as pessoas que participavam dos empates ou os seus familiares se hoje já não estejam mais por aqui entre nós e ao povo em geral.
Quanto às novas ações para a manutenção das pessoas nas reservas, a manutenção do povo da floresta lá na floresta, quais medidas a serem tomadas e projetos a serem elaborados, também chamem ao povo e aos outros que possam contribuir com idéias inovadoras.
Preservação e desenvolvimento ao mesmo tempo ainda é muito complexo, eu particularmente acredito ser possível, é necessário ainda descobrir a fórmula, mas se todos (povo) estiverem imbuídos de um compromisso único "o bem comum" eu acredito que se chegue ao ideal que Chico pregava.
Parabéns Toinho por expor seus sentimentos foi o que vi de lucidez nessas homenagens.

Anônimo disse...

Ze Chileno

altino

queria hacer una simple reflexion concernete a todo cuanto se habla en estos ya 20 anos de Chico.
Si voce encontrara interesante alguna coisa,agradeseria sua traduccion,
le agradesco meu camarada.

Yo pienso que chico era un revolucionario autentico, profeta visionario, de esos que era capaz de sentar juntos dios el diablo por la defenza de la Amazonia
Era un guevarista, el desarrollo una tactica militar, posible en un ecenario de guerra, no era un ingenuo, era un marxista comunista ecologista de una especie nueva, el sabia muy bien quien era el imperialismo y predijo en sus discursos esta mundializacion, a su manera claro,conocia las multinacionales y las denunciaba abiertamente, conocia la oligarquia terrateniente, los grandes bancos responsables de la destruccion de la Amazonia, no olvidemos que la desicion de lucha pacifica del movimiento, tuvo duras discuciones para imponerse como tactica del momento.
El periodo de repligue de los movimientos revolucionarios debido a una serie de dictaduras en AL, hacian de Chico un ingenuo, asi lo veian ciertos partidos revolucionarios dela epoca, inclusive ciertos amigos, el sabia que su lucha era en un periodo historico extremamente difisil y esto le da un valor mayor,tuvo el corage de enfrentar, a toda una tropa de sinverguerzas y ladrones que se escondian dentro de estas dictaduras, Chico fue osado fue al corazon del imperio como embajador de los mas pobres a gritarles sin miedo a ese engano y robo, que son los bancos como FMI BID, miren como su profesia de concretiza con esta crisis sin presedente que se vive hoy enel mundo capitalista.
Chico, no era un jardinero loco, que sonaba con un jardin gigante, como su zoologico, el sabia que la Amazonia abriga millones de hombres mujeres ninos ancianos, el sabia que aqui se cobijaba el, pueblos de la floresta, el sabia que destruyendoles sus arboles, irian a engrosar la masa de pobres y desposeidos de las grandes ciudades,el protegia su familia sus hijos sus amigos su companeros por el tenia un corazon mas grande quela propia amazonia, por el habia sufrido en carne propia la explotacion del hombre por el hombre, el habia sufrido en carne propia la ignorancia la falta de escuela,
Chico era internacionalista y no fue ingenuamente que a su hijo lo llamo Sandino, en homenage a ese grande revolucionario Nicaraguense,
Chico era un guerrillero diferente un teorico que comprendio que las colocaciones no eran nada mas ni nada menos que las bases avanzadas de un movimiento revolucionario que actuaba al interior dela selva, el sabia que esta viejas etructuras esclavistasdela borracha habian dejado las bases a un tipo original y unico de organizacion revolucionaria y las llamo Reservas estrativistas, reservas revolucionarias, no es extrano que estas esten sufriendo un debilitamiento por que el imperialismo sabe muy bien que es aqui donde radicala fuerza del movimiento, asi que no nos quede duda que debemos hacer un dos tres milun millon de reservas estrativistas o ecologicas, es launica manera de reoprganizar este desroden mundialque senos viene encima, esta orda de habrientos y deseredados del sistema que buscan refugio para sus hijos.
Miren ustedes la importancia estrategica que tiene las teoria del Chico Mendes no es cualquier cosa, noes un simple juego intectual terorico, es unapropuesta clara y concreta para defender, la vida en el planeta el sabia que una crisis ecologica mayor se avecinaba, que visionario.
Quiero terminar esta reflexion y invitarlos a una gran marcha desde Rio Branco A Xapuri (a pie) y luego de xapuri a Rio Branco, sobre el eslogan defensa de la Amazonia, reservas estrativistas, socialismo ecologico mistico y revolucionario.

el pueblo de la floresta debe desirle al mundo, que el Chico Mendes no es un ingenuo y que su pueblo rememora y ratifica su lucha

reservas estrativistas o la muerte

vida digna en el planeta o la muerte

Ze Chileno