quinta-feira, 25 de setembro de 2008

NEPOTISMO NO ACRE

Faz mais de um mês que o STF (Supremo Tribunal Federal) aprovou o texto da súmula vinculante que proíbe o nepotismo no serviço público no Judiciário, Executivo e Legislativo da União, Estados, Distrito Federal e municípios.

E no Acre?

Bem, o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Edvaldo Magalhães (PC do B), anuncia a exoneração de 31 cargos comissionados que eram ocupados por pessoas com parentesco com 17 dos 24 parlamentares.

Até no ato de exoneração os privilegiados levaram vantagem. Magalhães optou por livrá-los do contrangimento da divulgação da lista de nomes, mas agiu corretamente ao comunicar ao Ministério Público Estadual (MPE) sobre o cumprimento da súmula vinculante do STF.

E o MPE cumpre a súmula vinculante?

Ninguém sabe, ninguém viu. Mas é fato que, tanto lá quanto no Tribunal de Conta do Estado, a questão jamais foi tratada com a mínima transparência.

Por sua vez, o Tribunal de Justiça do Acre diz que a questão está resolvida desde 2006, quando foi editada a resolução nº 07 do Conselho Nacional de Justiça, disciplinando o exercício dos cargos no Poder Judiciário.

E o governo do Acre?

O Excutivo, onde também existem casos, digamos, complexos de nepotismo, silencia até aqui sobre o assunto.


A caixa de comentários deste post está aberta para quem quiser oferecer pistas que ajudem a combater o nepotismo.

7 comentários:

Leandrius disse...

E toda essa turma depois de exonerada vai ficar aonde? vao fazer nepotismo cruzado? vao fazer "concurso"?

Isis disse...

Isso é um absurdo sem fim.

Hercules disse...

Só no Brasil essa história de cargo em comissão é um paraiso. Em outros paises existem, claro que existem, mas em proporções muito menores.
É fácil: emprega o fulano que ele é irmão, primo, filho, genro ou sei lá o que do siclano, ou seja, "é gente da gente."
Até agora o concurso público (exceto o de avaliação de curriculum e títulos) é a melhor ferramente para se descobrir o melhor perfil para a máquina pública.
No TH sempre existiu e ainda existem casos de nepotismo, no MPE ali é um baile, no TCE nem se fala, esse é um caso de pura cara-de-pau, é nepotistas saindo pelo ladrão.
Parabéns à mesa diretora da ALEAC, agora é ver se essa galera que saiu não tomará o lugar dos, digamos, dos que têm um peixe um pouco menor. Abaixo o nepotismo!!!

acreucho disse...

Nepotismo no Acre é totalmente transparente, só que tem película fumê de 100%. heheheheheheh

Anônimo disse...

Todo mundo sabe, mas se faz que não vê !!!
Ahhhh se dessem um "GERAL" no: Ministério Público X Procuradoria Geral do Estado.

Desblogado disse...

essa prática abominavel é generalizada, pequenas e grandes secretarias fazem isso em larga escala...
Uma desição correta da ALEAC, todavia sabemos que isso ainda é muito pouco...

aurora20 disse...

O nepotismo faz parte da cultura? das religiões? dos sindicatos? do Judiciário? do Executivo? do Legislativo? ou ele é nós mesmo?