sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

CEIA MACABRA

Abrahim Farhat - Lhé

Forma estranha
Trágica
Essa maneira nossa
De a vida celebrar.

Para festejar
O nascimento de Jesus
Ou a entrada do Ano Novo
São mortos, sacrificados
Milhões, bilhões de animais
Que seguirão para nossa ceia macabra.

5 comentários:

Altino Machado disse...

Será que o Fome zero resolveria o problema, Lhé?

Carlos Silva disse...

pior é a ceia de palestinos e judeus: a guerra sem fim que sacrifica milhares de vidas.

Soad Farias disse...

Lhé:
O dia em que a paz seja o nosso alimento e o amor o condimento,
poderemos celebrar o Natal.
Sem sermos nem palestinos nem judeus,
apenas filhos do Pai.
Festejando a cada dia a vinda de Jesus.

ZEZA AMARAL disse...

Oi, vegetariano. E os bilhões de plantas que vocês sacrificam diariamente, hein? Sou carnívoro porque gosto muito das plantas: elas não defecam e nem urinam. Mas a poesia é boa. Vai firme.

Hélio Pimentel disse...

Até aqui já tem esse negócio!

Eu escrevo sobre esse fanatismo no www.hpm.net

Tenho um livro sobre o assunto que pode ser baixado gratuitamente clicando-se em Zoonazismo/Livro