quarta-feira, 26 de outubro de 2005

CARTA ASHANINKA

Sabá Manchineri,

Nós Ashaninka da aldeia Apiwtxa, vimos através desta manifestar a você nossa opinião sobre o que está sendo circulado nos meios de comunicação nos últimos dias, principalmente quando fomos atingidos. Para você, isto parece simples, no entanto, para nós não isto é sério e estamos muito revoltados com seu comportamento desonesto.

Afirmamos que não temos problema com nenhum povo indígena e não-indígena, entidade ou qualquer pessoa, mesmo aquelas que não estão de acordo com nossos princípios, muito menos os Manchineri. Além de termos visitado povos diferentes, fomos bastante visitados recebendo inclusive Manchineri em nossa aldeia com todo respeito e atenção, inclusive sua pessoa quando trabalhava na Administração da FUNAI de Rio Branco.

Sabá, suas atitudes expressam revolta, ódio, desespero e não a segurança de líder verdadeiro que você diz ser. O texto com assinatura de Clarinda Lopez Tapuya, fala que o Francisco não é filho de Antonio Piyãko, se apropriou da cultura milenar do povo Ashaninka, não fala a língua Ashaninka. Todos nós da aldeia Apiwtxa sabemos e provamos que o Francisco pertence ao nosso povo disso não temos dúvida, fala a nossa língua, veste a nossa roupa tradicional, desde quando nasceu e é um dos líderes de nosso povo. Agora nós perguntamos: Onde você deixou a sua roupa, será que é a das fotos da página da COICA?

Você mexeu com nossa família seriamente colocando ao público uma mentira, tentando denegrir a imagem do nosso líder maior, o senhor Antonio Piyãko e sua esposa, que sequer sabe quem são vocês, quem são seus pais e onde moram. Agora você está lutando contra um representante de nosso povo, que por hora está ocupando cargo de secretário na Secretaria Extraordinária dos Povos Indígenas do Estado Acre.

Está muito claro, no ofício da OPIN onde consultam às organizações indígenas, que vocês estão defendendo interesses particulares e um deles é seu nome para secretário. Nós falamos que, se tivesse que te eleger, nós o elegeríamos para você voltar para sua aldeia e aprender com a realidade e os ensinamentos de seu povo. Isso porque achamos que lá você pode ter outro horizonte trabalhando para preencher o vazio que você está vivendo.

Nós povo Ashaninka, do Rio Amônia, temos a consciência de que um representante, seja de que povo for para representar um cargo que envolve vários povos, seja publico ou não, tem que estar bem preparado, sem preconceito entre os povos e deixar de lado os interesses particulares. Nós não brigamos com ninguém para ter um de nossos representantes Ashaninka na SEPI. Ele foi um dos candidatos apontados pelo movimento e aceitou o convite do governador, por isso está no cargo. Quando Francisco assumiu a secretaria nós já tínhamos nossos projetos todos em andamento, vários parceiros, muito bem reconhecidos e sem intermediários em nossos negócios.

Sabá, não estamos questionando o que você quer, pois este é seu direito, como é nosso de não aceitar. Porque, para nós, a sua liderança não é construtiva e nem superior a várias outras que temos neste Estado. Nossas lideranças moram em nossa comunidade. Não ficamos na cidade atrás de poder, nem falando que somos os melhores e nem nos oferecendo para ocupar cargos.
Sabá, pelo que conhecemos, você não tem cargo nenhum no movimento indígena do Acre e você não está autorizado a falar em nome do povo Ashaninka do Rio Amônia.

Nós nunca tivemos notícia de que você desenvolveu projetos em sua comunidade. Se tem não sabemos, nem mesmo com a capacidade e os cargos que ocupou em sua trajetória política. Os ensinamentos tradicionais de seu povo, tenho certeza que você já perdeu, pois um líder com que os tenha respeito a todos, confiança de todos, demonstra conhecimento, capacidade, transparência e honestidade, e não como você, que fica separando os seus.

Sabemos que na vida que você leva há muita desonestidade e faz qualquer coisa para se dar bem. Esses textos assinados por outras pessoas, que podem não ser seus e você não tem coragem de assumir. Para nós você é o responsável até que prove o contrário. Será que você aprendeu a falar várias línguas para se aproveitar dos próprios parentes? Quem será essa Tapuya para falar com tanta firmeza de quem é o Francisco e afirmar que o Sabá é o melhor?

Nós Ashaninka temos vergonha de dizer que somos os melhores, os sábios, e acredito que o seu povo também. Pawa não apóia arrogância, sobretudo dizer que é o filho do universo, pois isso pode fazer mal para sua própria pessoa. O que você tem que fazer é aceitar que o mundo dos povos indígenas já está bem avançado, que as comunidades não aceitam este tipo de imposição.
Sabá, não duvidamos de sua força e disposição. Se usada da melhor forma, pode ajudar muito seu povo e até outros povos.

Associação Ashaninka do Rio Amônia
Comunidade Apiwtxa

2 comentários:

Huni Kui Bixku disse...

Carta da aldeia Apiwtxa ou da aldeia da Dona Pitxi?
Segundo lá tudo é comandada por ela. Os verdadeiros Ashaninkas são todos uns orelhas secas!!!!!

SABA P/ APIWTSHA disse...

Bom, ja que alguen escreveu esta mensaje, aqui vou eu novamente.

Oh apiwtsha, que saber de minha roupa, venha na minha casa que ti mostro estas e outras que queiram.

Eu não tenho problemas com nenhum povo ou pessoa, se eles tem comigo é outra coisa.

Agraceço a recepção, asim como estive na apiwtsha e a conhecir, inclusive muitas outros povos y lideres, assim que falo con convicção e conhecimento dos fatos.

Se voce é tão boa gente, honesto, justo... para que iniciaram as acusações? Quem fere também é ferido. Se voce não consdira que devo esta las funções, porquer que debo aceita um de voces, certo, é honesto?

Se voce não estar buscando poder y dinheiro, porque uma mesma familia esta ocupando cargos em duas secretarias, na apiwtsha, é professor, agente afroflorestal, agente de projeto, agente de saude. Oque acontece com os ashaninka, onde estão, ou eles não existem para a apiwtsha?

Se voce quer respeito, então primero vai ter que respeitar, pois em nenhum de meus documentos digo que tal individo deve ir para sua aldeia ou outro lugar, pois isto é competencia de cada povo ou cada individuo. Esto voce chama de respeito?
Ja que voce é tão honesto e tão umilde, creo que estar no lugar errado. Pois debe prova a sua honestigade e depois venha mi questionar, já que não tem honestidade para assinar seguer un documento. E voce afirmar que não tenho desenvolvido atividade em minha comunidade demostra ainda mais sua desonestidade ao questionar aquilo que não conhece.

Para sua informação, a proposta da secretaria dos povos indigenas do estado do acre, foi escrita pela primeira vez por mi e a apresentada pela UNI e Antonio Apurina, os recursos que voce recebe do PDA, PPTAL e PDPI, foi contruida com minha participação, proposta e principalmente certo que estava fazendo o melhor para o conjunto dos povos indigenas e esto não foi só para os Manchineri.
A viliglancia da terra ashaninka do Amonia teve toda repercursão pela entrada de invasores, mas eu também estava la, informando ao guverno Brasileiro e Peruano sobre os contencimentos. Por tanto apiwtsha não venha com este discurso fajuta, porque não nascir hoje e conheço inclusive quem escreve este tipo de informação.
vivemos tão proximo um dos outros se é não honesto quanto diz, meu contato é este haji@coica.org.ec, como sei que pricisa de orientação, venha que estarei para ti explicar, informar, orientar e ensinar ser homem, honesto, digno e verdadero.

Bom caso quera mas algumas informações, seja por esta via ou outra estou a sua disposição, que pawa ti oriente e saia dessa inceteza que es.

Att
Sabá Haji Manchineri