domingo, 26 de julho de 2015

Tentamen

Prédio da Sociedade Recreativa Tentamen, fundada em 11 de novembro de 1924. Tombado como patrimônio histórico do Acre, não demora a desabar.

2 comentários:

Luiz Carlos de faraias franca disse...

É triste ver esta imagem. Tanto que as irmãs Eleonora e Silene Farias lutaram por esta causa nos anos setenta e oitenta ,principalmente pelo Cine Recreio e Tentamem. O retrocesso é um péssimo indicador de uma Cultura. Não existe desenvolvimento social sem desenvolvimento Cultural. A sustentabilidade é antes de mais nada, um estado de espírito e consciência. A memória desta linda Casa não merece este cupim.
Bab Franca.
Artista Plástico.

sergio roberto disse...

O problema não está só na Tentamen. No Acre, o problema atinge todos os espaços públicos de memória, bem como os acervos históricos que estão sob suas guardas. Observemos alguns exemplos: o Museu da Borracha encontra-se fechado há quase três anos,A Biblioteca da Floresta encontra-se com o ar condicionado danificado Há quase quatro anos e, da última vez que lá estive, vi que as prateleiras, onde deveriam estar livros e revistas, estavam completamente vazias, o Memorial dos Autonomistas, incluso o espaço Hélio Melo, não têm a menor utilização social e o Palácio Rio Branco restringe-se a um monumento, que pouco dialoga com as múltiplas memórias que perpassaram o Acre, desde o processo de sua construção. Somado a isso, no interior do estado, a Casa de Chico Mendes está sem uso, o Museu de Xapuri serve como "depósito" para algumas mobílias, lindas por sinal, gentilmente doadas por famílias residentes ou que residiram na cidade, mas está mercê da ação devastadora de fatores como o tempo, umidade, insetos, etc. Isso, é claro, sem falar no CDIH, na Universidade Federal do Acre, que é o verdadeiro retrato do abandono.